Home Top Ad

Canal Brasil - Filmes em destaque na programação de 26 de fevereiro a 04 de março

Share:

Filmes em Destaques no Canal Brasil. (Imagem: Divulgação)
Conheça os filmes em destaque na programação do Canal Brasil de 26 de fevereiro a 04 de março.

É Tudo Verdade: Cinema Novo (2016)(80’)
Apresentação: Amir Labaki
Horário: Segunda, dia 26, às 22h
Classificação: 12 anos
Direção: Eryk Rocha

O documentário de Eryk Rocha é um grande passeio pela história da nossa sétima arte. Pai do diretor e figura crucial na história da filmografia nacional, Glauber Rocha fala sobre a consciência política e revolucionária dos realizadores do Cinema Novo. Joaquim Pedro de Andrade lembra as tonalidades realistas trazidas às câmeras, em uma tentativa de retratar os problemas do povo brasileiro, tão pouco representado à frente das lentes. Leon Hirszman conta como conheceu Nelson Pereira dos Santos e revela que assistiu inúmeras vezes ao filme “Rio, Zona Norte” (1957), do cineasta paulistano.

Há ainda depoimentos de Carlos Diegues, Luiz Carlos Barreto, Ruy Guerra, Paulo César Saraceni, David Neves, Nelson Pereira dos Santos, Orlando Senna, Arnaldo Jabor e Walter Lima Jr. sobre esse momento singular e seu legado para as gerações futuras.

Seleção Brasileira: Como Nossos Pais (2017)(106’)
Inédito e Exclusivo
Horário: Terça, dia 27, às 22h
Classificação: 14 anos
Direção: Laís Bodansky

Laís Bodanzky busca inspiração na canção homônima de Belchior, eternizada na voz de Elis Regina, para discorrer sobre os dramas de uma família em crise. Estrelada por Maria Ribeiro, Paulo Vilhena e Clarisse Abujamra, a produção foi a grande vencedora do Festival de Gramado de 2017 ao conquistar os Kikito de melhor filme, direção, montagem, atriz, atriz coadjuvante e ator.

O filme mostra os diversos embates da vida de Rosa (Maria Ribeiro), uma jornalista de 38 anos cheia de conflitos familiares. O casamento com Dado (Paulo Vilhena), um antropólogo imerso em projetos ligados a causas ambientais e indígenas, está prestes a ruir. O trabalho também não lhe traz qualquer prazer e ela amarga um emprego sem perspectivas e méritos enquanto sonha em escrever uma peça de teatro, sua grande paixão profissional. O relacionamento com os pais, divorciados, também é tumultuado; as brigas com a mãe, Clarice (Clarisse Abujamra), são frequentes, com o pai, Homero (Jorge Mautner), ela tem mais afinidade. O estopim para a crise acontece no momento da descoberta da infidelidade da matriarca e da revelação que seu verdadeiro pai é Roberto Nathan (Herson Capri), um poderoso ministro do governo brasileiro.

Chatô – O Rei do Brasil (2015)(102’)
Horário: Quarta, dia 28, às 22h
Classificação: 14 anos
Direção: Guilherme Fontes

O magnata das comunicações Assis Chateaubriand (Marco Ricca) é a estrela principal de um programa de TV chamado “O Julgamento do Século”, realizado bem no dia de sua morte. É nele que Chatô relembra fatos marcantes de sua vida, como os casamentos com Maria Eudóxia (Letícia Sabatella) e Lola (Leandra Leal), a paixão não correspondida por Vivi Sampaio (Andréa Beltrão), como manipulava as notícias nos veículos de comunicação que comandava e a estreita e conturbada ligação com Getúlio Vargas (Paulo Betti), que teve início ainda antes dele se tornar presidente.

Cidade de Deus (2002)(130’)
Horário: Quinta, dia 1º, às 22h
Classificação: 16 anos
Direção: Fernando Meirelles

Cinco anos depois do lançamento do romance homônimo de Paulo Lins, Fernando Meirelles dirigiu uma das produções brasileiras mais aclamadas de todos os tempos. A obra concorreu, no ano de 2004, a quatro categorias do Oscar: melhor direção, edição, roteiro adaptado e fotografia; recebeu mais de 50 prêmios; e entrou para a lista dos 100 melhores filmes da história segundo a revista Time. O longa conta com a atuação de nomes até então pouco conhecidos pelo grande público, como Alexandre Rodrigues, Douglas Silva, Phellipe Haagensen, Leandro Firmino, Jonathan Haagensen, Roberta Rodrigues, Seu Jorge e Alice Braga, somados à experiência de Matheus Nachtergaele.

Cidade de Deus é um bairro surgido na década de 1960 na zona oeste do Rio de Janeiro após um projeto governamental que visava a remoção de favelas. Duas décadas após sua criação, já era um dos locais mais violentos da cidade. Para contar a trajetória deste lugar, o título mostra a vida de diversos personagens, vistos sob a ótica de Buscapé (Alexandre Rodrigues), menino sonhador atormentado pela possibilidade de se tornar um bandido. No comando das ações criminosas da comunidade estão seus colegas de infância Zé Pequeno (Leandro Firmino) e Bené (Phellipe Haagensen), cuja ascensão e queda são tão rápidas quanto trágicas. Mesmo diante de raras e escassas oportunidades de sobrevivência em seu meio, Buscapé descobre que pode usar o talento para a fotografia para conquistar respeito e dignidade.

Cinemão: O Menino Da Porteira (2009)(95’)
Horário: Sexta, dia 2, às 22h
Classificação: 1o anos
Direção: Jeremias Moreira

Movimento de boiada e som de berrante dão o tom do longa-metragem dirigido por Jeremias Moreira. “O Menino da Porteira” é a refilmagem do clássico filme sertanejo homônimo, lançado pelo mesmo cineasta em 1976, com argumento inspirado na canção de mesmo título, e que levou aos cinemas 4,5 milhões de espectadores. Mais de 30 anos depois, o protagonista – vivido por Sérgio Reis na obra original – ganha as telas na pele do cantor Daniel, que contracena com José de Abreu e Vanessa Giácomo, nos papéis interpretados no passado por Jofre Soares e Maria José Viana. Os atores Rosi Campos, Eucir de Souza e João Pedro Carvalho completam o elenco.

Ao tocar uma grande boiada para a Fazenda Ouro Fino, propriedade do truculento major Batista (José de Abreu), Diogo passa pelo Sítio Remanso, de Otacílio Mendes (Eucir de Souza), onde conhece Rodrigo (João Pedro Carvalho), um garoto que sonha em ser boiadeiro. Logo eles se tornam amigos e testemunhas da maneira predatória e violenta como o major domina o lugar. O fazendeiro ordena que seus capangas chantageiem os moradores locais, forçando-os a vender o gado pelo preço que deseja. O povo aconselha Diogo a não vender mais seu rebanho para Batista, que por sua vez, de tão irritado, expulsa o peão do lugar. O rapaz, entretanto, aceita levar os animais dos pequenos criadores para vendê-los em melhores condições, em outra região, mas o major reage de maneira brutal. A cidade vive dividida, o clima é de guerra e as consequências trágicas são inevitáveis, agravadas pelo fato de Diogo estar encantado por Juliana (Vanessa Giácomo), a bela enteada de seu rival. O amor vivido pelo casal provoca ainda mais a ira do tirano.

Mostra Cine-Delas: Antônia – O Filme (2007)(90’)
Horário: Sábado, dia 3, às 22h
Classificação: 12 anos
Direção: Tata Amaral

Terceiro filme de Tata Amaral que compõe a trilogia dedicada aos arquétipos femininos, “Antônia” retrata a vida de quatro jovens mulheres negras da periferia de São Paulo, compelidas a enfrentar um cotidiano de violência, pobreza e machismo para realizar o sonho de viver do rap. Na Vila Brasilândia, as amigas de infância Preta (Negra Li), Barbarah (Leilah Moreno), Mayah (Quelynah) e Lena (Cindy) deixam os backing vocals de um conjunto de rap masculino para montar seu próprio grupo, batizado de Antônia, cujo significado em latim é “inestimável, a que não tem preço, guerreira famosa, gloriosa”. Descobertas pelo empresário Marcelo Diamante (Thaíde), começam a cantar rap, MPB, pop e soul em bares e festas de classe média.

Apesar do sucesso na carreira, o quarteto enfrenta diversos conflitos em suas vidas pessoais que ameaçam o grupo. Em um acesso de ciúme, Preta rompe com Mayah e com o marido, assumindo sozinha o sustento da filha pequena, Emília (Nathalye Cris). Lena cede à pressão do companheiro, que não quer vê-la cantando rap. E Barbarah, lutadora de kung fu, envolve-se em uma briga depois que o namorado do irmão é morto na porta de sua casa. As amigas terão que lutar para juntar os pedaços do grupo e resgatar a alegria de cantarem juntas.

Cone Sul: Vida Sexual De Las Plantas (2015)(95’)
Horário: Domingo, dia 4, às 22h
Classificação: 16 anos

Bárbara (Francisca Lewin) e Guille (Mario Horton) formam um casal perfeito. A paisagista e o advogado vivem um relacionamento amoroso e ela sonha em engravidar do namorado – ideia sempre postergada por ele, ainda um tanto reticente com relação aos planos paternais. Uma breve escapada para as margens da Cordilheira dos Andes prometia ser uma viagem prazerosa, mas ganha contornos desastrosos depois de um imprevisto. O rapaz sobe em uma rocha para buscar uma flor, mas se desequilibra e bate a cabeça ao rolar pedra abaixo. O acidente lhe causa uma confusão momentânea e algumas escoriações, mas não sugere, inicialmente, algum trauma maior. A queda, no entanto, deixa uma sequela eterna no jovem e ele começa a sofrer constantes mudanças de personalidade.

A paisagista tenta lidar normalmente com esse novo companheiro, mas a moça não sente mais qualquer atração pelo rapaz. A relação estremecida e a falta de afeto abrem espaço para a chegada de Nils (Cristián Jimenez), um engenheiro e empreiteiro que lhe oferece carícias desaparecidas desde o acidente, mas tampouco preenche a lacuna da paixão antiga. Barbara vai, então, conviver com a dualidade de um relacionamento doente, assim como o namorado, ou algo saudável, mas sem brilho.




Nenhum comentário

Comentários Ofensivos ou Irrelevantes e os que conter publicidades serão todos excluídos.