Home Top Ad

Canal Brasil - Filmes em destaque na programação de 05 a 11 de março

Share:

Filmes em destaque na programação Canal Brasil. (Imagem: Divulgação)
Conheça os filmes em destaques na programação do Canal Brasil de 05 a 11 de março.

É Tudo Verdade: O Fio da Memória (1991)(114’)
ESTREIA DA NOVA TEMPORADA
Horário: SEGUNDA, DIA 05, ÀS 22H
Apresentação: Amir Labaki
Direção: Eduardo Coutinho
Classificação: Livre

Eduardo Coutinho começou a filmar uma obra sobre a identidade cultural negra no Brasil em 1988, centenário da Lei Áurea, marco do fim da escravidão. Para contar a história do primeiro século da liberdade no país, o cineasta recupera a memória de personagens que viveram de perto as crueldades do trabalho forçado e constrói, a partir de seus depoimentos, um acervo para entender como os traços culturais do cotidiano dos escravos foram inseridos no nosso dia a dia. Com narração de Ferreira Gullar e Milton Gonçalves, o documentário propõe um registro histórico que explica boa parte dos dilemas vividos pela nossa sociedade até os dias atuais.

Seleção Brasileira: A Menina Índigo (2017)(106’)
INÉDITO E EXCLUSIVO
Horário: TERÇA, DIA 06, ÀS 22H
Direção: Wagner de Assis
Classificação: Livre

Sinopse: As crianças índigo são creditadas como especiais por alguns adeptos da parapsicologia. De acordo com os seguidores dessa crença, os pequenos dessa espécie foram enviados ao mundo com o objetivo de construir uma nova era da humanidade por possuírem habilidades especiais, como maior sensibilidade, profundo desenvolvimento de questões éticas e morais, habilidades sociais e capacidade de cura de doenças. O cineasta Wagner de Assis traz a mística história de uma pequena menina com supostas aptidões incríveis em um filme estrelado por Murilo Rosa, Fernanda Machado e Letícia Braga.

Sofia (Letícia Braga) é uma menina de sete anos com problemas no cotidiano escolar. Ela possui grande capacidade de aprendizado e uma incrível aptidão para as artes – especialmente a pintura –, mas não manifesta nenhum interesse pelas matérias ensinadas e encontra ainda menos estímulo para continuar a frequentar o modelo atual de ensino. Ela é filha de Ricardo (Murilo Rosa) e Luciana (Fernanda Machado), um casal divorciado e com um relacionamento complicado. Após mais uma discussão entre os pais, ela pede para ir morar na casa do pai.

A convivência mais próxima com Ricardo traz à tona uma característica supostamente divina da menina. Com um simples toque nas pessoas, ela é capaz de curar algumas doenças. A descoberta do dom espiritual surge inicialmente em tom de brincadeira infantil ao cuidar das contusões de amigas de balé, mas a jovem começa a tratar enfermidades mais graves de seus conhecidos. Sua arte também evolui continuamente conforme ela começa a ganhar ainda mais espaço nas paredes e telas levadas pelo jornalista. Com o passar do tempo, os pais começam a perceber de forma mais clara a aptidão mística da criança e a entender que a jovem Sofia será capaz de ensinar lições fundamentais para o mundo.

Macaco Tião – O Candidato do Povo (2015)(75’)
INÉDITO E EXCLUSIVO
Horário: QUARTA, DIA 07, ÀS 22H
Direção: Alex Levy-Heller
Classificação: 14 anos

O zoológico foi a residência oficial de um improvável candidato à prefeitura do Rio de Janeiro em 1988. O processo de redemocratização dava seus primeiros passos e, ainda descrente com a política, boa parte da população carioca encontrou entre jaulas e cascas de banana um pleiteante inusitado ao executivo municipal. O icônico Macaco Tião, um chimpanzé ovacionado por suas estripulias e seu comportamento curioso, recebeu cerca de 400 mil votos dos eleitores da capital fluminense em forma de protesto, o suficiente para alcançar a terceira colocação no pleito.

Tião era o animal mais famoso do zoológico carioca no fim da década de 1980. O chimpanzé atraía milhares de pessoas à sua jaula – ele era famoso por jogar fezes no público e seus alvos favoritos eram políticos e autoridades. Atentos aos costumes do macaco, a trupe do “Casseta & Planeta” adotou o bicho e o lançou, como forma de brincadeira, ao cargo de prefeito do Rio de Janeiro. A campanha era mais uma piada dos humoristas, mas acabou se tornando um viés de protesto da população às opções oficiais. A partir dos depoimentos dos comediantes e de tratadores que conviveram de perto com o primata, o documentário mostra como o animal conquistou eleitores, comenta os detalhes de seu comportamento e explica o fenômeno do macaco lembrado até os dias atuais.

“Aquarius” (2016)(145’)
Horário: QUINTA, DIA 08, ÀS 22H
Classificação: 16 anos

Clara (Sonia Braga) tem 65 anos, é jornalista aposentada, viúva e mãe de três filhos adultos. Ela mora em um apartamento localizado na Av. Boa Viagem, no Recife, onde criou  viveu boa parte de sua vida. Interessada em construir um novo prédio no espaço, os responsáveis por uma construtora conseguiram adquirir quase todos os apartamentos do prédio, menos o dela. Por mais que tenha deixado bem claro que não pretende vendê-lo, Clara sofre todo tipo de assédio e ameaça para que mude de ideia.

Cinemão: que horas ela volta? (2015)(113’)
Horário: SEXTA, DIA 09, ÀS 22H
Direção: Anna Muylaert
Classificação: 12 anos

Val (Regina Casé) é a empregada doméstica de uma mansão no nobre bairro do Morumbi, zona oeste da capital paulista. Nordestina emigrada para a maior cidade do país em busca de uma melhor condição de vida, encontrou trabalho cuidando dos afazeres da casa de Carlos (Lourenço Mutarelli) e Bárbara (Karine Teles). Ele é herdeiro da fortuna do pai e um artista plástico frustrado, cuja carreira foi interrompida precocemente. Ela é uma estilista famosa, sempre vestida com roupas da moda e anfitriã de festas luxuosas para a alta sociedade. Val é tratada com carinho por ter cuidado do jovem Fabinho (Michel Joelsas), filho dos donos do casarão, como se fosse seu.

A vida da doméstica muda radicalmente com a chegada de sua filha Jéssica (Camila Márdila), de mudança para São Paulo em busca de uma vaga na concorrida Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAU-USP). Estudante de uma escola pública de quase nenhuma infraestrutura em Pernambuco e supostamente com poucas chances de frequentar uma instituição de prestígio reservada à elite, a menina encontra abrigo na casa em que a mãe mora e trabalha. Sua presença é o início de uma guerra entre classes no lugar.

Mostra Cine-Delas: De Menor (2014)(77’)
Horário: SÁBADO, DIA 10, ÀS 22H
Direção: Caru Alves de Souza
Classificação: 12 anos

Estrelada por Caco Ciocler, Rita Batata, Giovanni Gallo e Rui Ricardo Diaz, o filme surgiu a partir de histórias contadas por uma prima da diretora, uma ex-funcionária da Vara de Infância e Juventude da Defensoria Pública de Santos, no litoral paulista. Helena (Rita Batata) é uma jovem e idealista advogada da instituição, responsável por intervir em nome de adolescentes infratores. Ela mora com o irmão, Caio (Giovanni Gallo), um menino de comportamento rebelde e cercado de amizades questionáveis. A jurista passa os dias em audiências com o procurador Paulo (Rui Ricardo Diaz) e o juiz Carlos (Caco Ciocler) para definir o futuro de menores desobedientes à lei, transgressores por pequenos assaltos e violências.

O filme joga luz às interseções na biografia dos jovens criminosos. Em sua maioria, os adolescentes sentados à mesa com os juristas são vítimas de criações corrompidas pelos mais diversos problemas, como abandono parental, drogas, pobreza e alcoolismo, além do descaso do poder público em âmbitos fundamentais como acesso à educação e saúde aos setores mais humildes. O roteiro, no entanto, sofre uma reviravolta quando Caio é acusado de traficar drogas e atirar contra uma pessoa. Herdeiro de uma casa grande e com oportunidades na vida em comparação aos outros infratores, o rapaz desmistifica padrões e seu comportamento mostra como nem a mais afável das famílias pode garantir um futuro próspero.

Mostra Cine-Delas: Antônia – O Filme (2007)(90’)
Horário: SÁBADO, DIA 03, ÀS 22H
Horário: Sábado, dia 3, às 22h
Classificação: 12 anos
Direção: Tata Amaral

Terceiro filme de Tata Amaral que compõe a trilogia dedicada aos arquétipos femininos, “Antônia” retrata a vida de quatro jovens mulheres negras da periferia de São Paulo, compelidas a enfrentar um cotidiano de violência, pobreza e machismo para realizar o sonho de viver do rap. Na Vila Brasilândia, as amigas de infância Preta (Negra Li), Barbarah (Leilah Moreno), Mayah (Quelynah) e Lena (Cindy) deixam os backing vocals de um conjunto de rap masculino para montar seu próprio grupo, batizado de Antônia, cujo significado em latim é “inestimável, a que não tem preço, guerreira famosa, gloriosa”. Descobertas pelo empresário Marcelo Diamante (Thaíde), começam a cantar rap, MPB, pop e soul em bares e festas de classe média.

Apesar do sucesso na carreira, o quarteto enfrenta diversos conflitos em suas vidas pessoais que ameaçam o grupo. Em um acesso de ciúme, Preta rompe com Mayah e com o marido, assumindo sozinha o sustento da filha pequena, Emília (Nathalye Cris). Lena cede à pressão do companheiro, que não quer vê-la cantando rap. E Barbarah, lutadora de kung fu, envolve-se em uma briga depois que o namorado do irmão é morto na porta de sua casa. As amigas terão que lutar para juntar os pedaços do grupo e resgatar a alegria de cantarem juntas.

Cone Sul: Abrir Portas e Janelas
Horário: DOMINGO, DIA 11, ÀS 22H
Direção: Milagros Mumenthaler
Classificação: 14 anos

Marina (María Canale), Sofia (Martina Juncadella) e Violeta (Ailín Salas) foram criadas pela avó, Alicia, em uma casa antiga em Buenos Aires, capital da Argentina. Pela segunda vez em tão pouco tempo, as jovens perdem novamente as referências paternais após o infarto da idosa e precisam entender os percalços e as dificuldades da vida adulta. Cada moça lida de forma distinta com o falecimento da matriarca da família. Marina, a mais velha, acaba por assumir o posto e as funções de maior responsabilidade. Sofia busca ignorar o luto entre o trabalho e a faculdade e ainda traz um pouco da rebeldia do fim da adolescência. A caçula Violeta, adota um comportamento praticamente letárgico e passa a maior parte dos dias vagando entre o sofá e a cama.

As portas e janelas da residência, como sugere o título, estão frequentemente fechadas, assim como os corações das personagens, abertos de forma lenta e progressiva ao mundo exterior. Sem grandes discursos e lições de moral entre elas, a diretora Milagros Mumenthaler mostra-se mais interessada nas palavras não ditas em meio ao silêncio e na análise do comportamento humano.

Cone Sul: Vida Sexual De Las Plantas (2015)(95’)
Horário: DOMINGO, DIA 04, ÀS 22H
Horário: Domingo, dia 4, às 22h
Classificação: 16 anos

Bárbara (Francisca Lewin) e Guille (Mario Horton) formam um casal perfeito. A paisagista e o advogado vivem um relacionamento amoroso e ela sonha em engravidar do namorado – ideia sempre postergada por ele, ainda um tanto reticente com relação aos planos paternais. Uma breve escapada para as margens da Cordilheira dos Andes prometia ser uma viagem prazerosa, mas ganha contornos desastrosos depois de um imprevisto. O rapaz sobe em uma rocha para buscar uma flor, mas se desequilibra e bate a cabeça ao rolar pedra abaixo. O acidente lhe causa uma confusão momentânea e algumas escoriações, mas não sugere, inicialmente, algum trauma maior. A queda, no entanto, deixa uma sequela eterna no jovem e ele começa a sofrer constantes mudanças de personalidade.

A paisagista tenta lidar normalmente com esse novo companheiro, mas a moça não sente mais qualquer atração pelo rapaz. A relação estremecida e a falta de afeto abrem espaço para a chegada de Nils (Cristián Jimenez), um engenheiro e empreiteiro que lhe oferece carícias desaparecidas desde o acidente, mas tampouco preenche a lacuna da paixão antiga. Barbara vai, então, conviver com a dualidade de um relacionamento doente, assim como o namorado, ou algo saudável, mas sem brilho.




Nenhum comentário

Comentários Ofensivos ou Irrelevantes e os que conter publicidades serão todos excluídos.