Home Top Ad

Canal VIVA - Destaques da programação de 2 a 8 de abril

Share:

Destaques da programação VIVA. (Imagem: Divulgação)
Conheça os destaques da programação do Canal VIVA de 02 a 08 de abril.

SAI DE BAIXO
terça-feira, dia 3 de abril, às 21:15

Caco engasga com um brioche, a única coisa que sobrou de um incêndio na cozinha. Ele escapa da morte e resolve fundar uma seita, a do “Le Grande Brioche”. Então, o loiro vira o Guru e Magda, a Gorila (segundo ela). Edileuza e Ribamar acabam ajudando na seita, participando do programa, o “Le grande Brioche em seu lar”, da Tv Brioche.

Neste mesmo episódio, a família batiza Ribamar na caixa d´água, para ele se casar com Edileuza. Ribamar quase se afoga e para agradecer à nova vida, resolve assumir o nome Márcia Fu.

Depois de muita confusão, Caco troca a fita do primeiro programa da seita e no lugar aparece um vídeo mostrando o loiro jogando o dinheiro da seita para o alto e chamando os seguidores de idiotas.

OS NORMAIS
quarta-feira, dia 4 de abril, às 22:15

Vani (Fernanda Torres) e Rui (Luiz Fernando Guimarães) criam um impasse mais uma vez na hora de sair: ele chega para buscá-la, mas a noiva nem vestida está. Para piorar a situação, Vani resolve vasculhar a carteira do noivo, e encontra um papel escrito “Senhora B” com um monte de números.

Antes de tirar satisfação com Rui, ela disca para um dos telefones e, por coincidência, cai na casa de Beatriz (Regina Dourado), que também anda desconfiada do parceiro. Jair (Lúcio Mauro) tem pulado a cerca com sua nova secretária, interpretada por Elaine Mickely. Ao ser xingada, já que Beatriz acredita que ela é a amante de seu marido, Vani resolve pedir uma explicação para Rui, que esclarece que os números do papel são apenas sua senha do banco. É claro que ela não acredita, dá um ataque e acaba indo ao caixa eletrônico para conferir, em plena madrugada. No caminho, ela bate no carro de Jair e Elaine, enquanto Beatriz procura Rui, acusando Vani de ser amante de seu marido. Pronto, a confusão está armada.

ENCONTRO COM FÁTIMA BERNARDES
quinta-feira, dia 5 de abril, às 17:00

O programa desta quinta começa falando sobre educação dos filhos. No palco, os convidados Nalbert, Leila Barros e Tania Zarugy debatem o tema enquanto assistem a vídeos sobre “a hora de comer”, “mãe separada que cuida sozinha dos filhos”, entre outros.

No segundo bloco, Fátima Bernardes entrevista Lúcia Braga, médica e pesquisadora de pacientes em tratamento neurológico da Rede Sarah de Hospitais. Entre alguns depoimentos sobre o trabalho da médica, Herbert Vianna fala sobre a sua recuperação que contou com a ajuda da Doutora.

Atividade física também é tema do Encontro.

TOMA LÁ DÁ CÁ
sexta-feira, dia 6 de abril, às 19:45

É sábado no Jambalaya Ocean Drive e Mário Jorge (Miguel Falabella), Celinha (Adriana Esteves) e Adônis (Daniel Torres) tentam almoçar em paz, mas em vão. Logo Arnaldo (Diogo Vilela), Rita (Marisa Orth) e Tatalo (George Sauma) invadem o apartamento dos vizinhos para fazer uma boquinha.

Copélia (Arlete Salles) está animada porque vai receber a visita de Shavirrara, um velho amigo que conheceu na Índia, quando fez um retiro espiritual.

Ela e Isadora (Fernanda Souza) rumam para o matagal, mas, na última hora, Shavirrara não aparece e manda em seu lugar uma representante, Moranga (Carmem Lú de Mendonça). Ocorre, porém, que Moranga tem hábitos inusitados, se alimenta de grãos de broto de trigo e antúrios e usa umas bijuterias diferentes – que ela chama de jóias orgânicas – como pulseiras de testículos de boi e braceletes de cabelos humanos.

A VIDA COMO ELA É
sexta-feira, dia 6 de abril, às 23:15

Lucy (Debora Bloch) era daquelas que se gabava por ser honesta. Não admitia traição, nem mesmo nas novelas. Estava sempre de cara amarrada, julgava que isso era sinônimo de seriedade. Até que um dia, em seu trabalho, recebeu uma ligação anônima. O homem disse que era seu admirador secreto, a chamou de gostosa e fez propostas indecorosas. Lucy ficou revoltada e contou ao marido, que não se importou. Ela passou a desconfiar de seu vizinho, um rapaz novo que, segundo a amiga, vivia às custas de uma senhora e sofria muito em suas mãos. E Lucy passou a olhá-lo diferente. Já gostava de imaginar que ele era seu admirador. Um dia recebeu flores. Aquilo foi o suficiente para ela acreditar que ele pudesse estar mesmo apaixonado por ela. Valverde (Leon Goes), o marido, chegou em casa radiante por ter ganhado no bicho, mas Lucy nem ligou. No dia seguinte o marido lhe perguntou pelas flores, se ela havia gostado. “Então foi você?”. E tomada de ódio e decepção, chorou muito, gritou e bateu no marido.

DONOS DA HISTÓRIA
sábado, dia 7 de abril, às 19:00

Ator, diretor, apresentador, autor, roteirista, escritor, produtor. Se tem uma coisa que Miguel Falabella não abre mão é de trabalho. Às vezes, faz tudo em uma mesma produção. Um dos marcos de sua carreira é o “Vídeo Show”, programa que apresentou durante 15 anos. A estreia do ator Falabella foi em 1982, na novela “Sol de Verão”. De lá pra cá, acumula mais de 30 trabalhos na televisão. Mas foi em 1986, como Miro, na segunda versão de “Selva de Pedra”, que ele ganhou maior destaque com o público. Também é impossível falar de Miguel e não se lembrar de Caco Antibes em “Sai de Baixo”, um dos personagens mais icônicos de sua vida profissional como ator. Do outro lado da câmera, como diretor, a primeira experiência foi em “Sassaricando” (1987).

Já “Salsa e Merengue”, em 1996, representou a estreia de Miguel como autor de novelas, ao lado de Maria Carmem Barbosa. Depois, vieram os folhetins “A Lua Me Disse” (2005), “Negócio da China” (2008) e “Aquele Beijo” (2011), e o humorístico “Toma Lá, Dá Cá” (2007). Mas a veia humorística de Miguel é antiga: colaborou com textos para dois clássicos dos anos 1980: “Armação Ilimitada” (1985) e “TV Pirata” (1988). Recentemente, escreveu e atuou em “Pé na Cova” (2013) – último trabalho de Marília Pêra na TV – e é o autor de “Sexo e as Negas” (2014). Em 2017, Miguel estreou a série “Brasil a Bordo” no Globo Play.

ESPECIAL ROBERTO CARLOS – 2001
sábado, dia 7 de abril, às 20:45

A partir de sábado, dia 7, o VIVA vai exibir cinco Especiais Roberto Carlos, aos sábados, em homenagem ao aniversário do Rei (19 de abril). O primeiro que vai ao ar é o de 2001, que já começa embalando a plateia com a música “Todos estão surdos”. As canções são intercaladas com declarações de Roberto Carlos sobre o amor, uma emocionante homenagem a Maria Rita, falecida em 1999. “A gente sabe que as histórias de amor têm muitas diferenças. Mas o amor existe para ser bem sucedido”, diz.

Ao lado de Samuel Rosa e Tony Bellotto, o Rei canta “É Proibido Fumar”.  Roberto leva o público às lágrimas com “Detalhes”. “Um amor eterno é um amor de alma”, garante, sempre lembrando Maria Rita. À época, Roberto disse que a música “Te amo tanto” era sua preferida, uma canção que, segundo ele, é a mais forte que se refere ao amor. O especial termina com “Jesus Cristo” e a tradicional distribuição de rosas vermelhas.




Nenhum comentário

Comentários Ofensivos ou Irrelevantes e os que conter publicidades serão todos excluídos.