Home Top Ad

Canal Brasil exibe o "Especial Orgulho LGBTQ+" celebrando a diversidade sexual através do cinema brasileiro

Share:

Canal Brasil celebra a diversidade sexual através do cinema brasileiro. (Imagem: Divulgação)
28 de junho é o Dia Internacional do Orgulho LGBTQ+ – data que tornou-se símbolo da luta contra o preconceito e em prol da diversidade sexual. Para reforçar a importância do tema e sempre com um olhar atento em relação às questões da atualidade, o Canal Brasil preparou uma programação especial na última semana de junho, de quarta a sábado, na faixa das 19h30 e das 22h, com ficções e documentários em curta e longa-metragem, mostrando como o cinema brasileiro voltou suas lentes para o assunto. Corpo Elétrico, de Marcelo Caetano; Divinas Divas, de Leandra Leal; Elvis & Madona, de Marcelo Laffitte; Flores Raras, de Bruno Barreto; e Madame Satã, de Karim Aïnouz, são alguns dos longas que serão exibidos. Tailor, de Calí dos Anjos; O Porteiro do Dia, de Fábio Leal; Pobre Preto Puto, de Diego Tafarel; e Da Vida Só Espero a Morte, de Julia Ramos, estão entre os curtas.

ESPECIAL ORGULHO LGBTQ+
Início: Quarta -feira, dia 27/06, às 19h30
Horário: De 27 a 30 de junho, de quarta a sábado, na faixa das 19h30 e das 22h.

Tailor (2017) (10’)
INÉDITO E EXCLUSIVO
Horário: Quarta, dia 27/06, às 19h30
Classificação: 12 anos
Direção: Calí dos Anjos

Sinopse: Tailor Orlando é um cartunista transgênero que compartilha experiências pessoais e de outras pessoas que enfrentam os mesmos desafios em sua página na Internet. O diretor Calí dos Anjos utiliza técnicas de animação para recriar as histórias de transgêneros nesse documentário de curta-metragem e contar os dilemas, medos, as inseguranças e dificuldades vividas por quem nasceu em um corpo com o qual não se identifica.

Lampião da Esquina (2016) (82’)
Horário: Quarta, dia 27/06, às 19h40
Classificação: 14 anos
Direção: Lívia Perez

Sinopse: A diretora Lívia Perez resgata a história do Lampião da Esquina, um jornal irreverente voltado para o público gay que circulava durante a ditadura militar, a partir de entrevistas com os idealizadores e realizadores dessa anárquica gazeta. A coprodução do Canal Brasil remonta o contexto histórico da fundação do jornal, publicado pela primeira vez em abril de 1978. As pautas do Lampião da Esquina eram aguardadas com ansiedade por seus leitores, e eram praticamente sinônimos de polêmica. As reportagens debatiam questões controversas como aborto, legalização das drogas, prostituição e violência contra homossexuais por parte das autoridades policiais. O conteúdo, no entanto, também possuía um teor bem-humorado.

Corpo Elétrico (2017) (95’)
Horário: Quarta, dia 27/06, às 22h
Classificação: 16 anos
Direção: Marcelo Caetano

Sinopse: Elias (Kelner Macêdo) tem 23 anos e, mesmo com todas as adversidades e preconceitos sofridos por um nordestino homossexual em uma cidade grande como São Paulo, leva a vida de forma leve. Ele trabalha desenhando manequins em uma confecção de roupas na capital paulista, mantém pouco contato com a família na Paraíba e basicamente todas as noites tem encontros fugazes com homens, dormindo sempre em uma cama diferente a cada madrugada. O fim do ano traz reflexões sobre possibilidades de futuro, reconexões com o passado e muitas horas extras, que acabam por aproximá-lo dos colegas da fábrica e consequentemente inseri-lo em novos círculos de amizade e cenários.

O Porteiro do Dia (2016) (26’)
INÉDITO e EXCLUSIVO
Horário: Quarta, dia 27/06, às 23h35
Classificação: 18 anos
Direção: Fábio Leal

Sinopse: O curta-metragem de Fábio Leal narra o encontro sexual entre dois personagens completamente distintos. Marcelo (Carlos Eduardo Ferraz) é um jovem homossexual assumido, morador de um bairro de classe média de Recife. Márcio (Edison Silva) é o porteiro do prédio onde o rapaz vive, um homem negro, casado com uma mulher e pai de duas crianças. Depois de trocar alguns cumprimentos meramente educados com o funcionário, ele percebe que a relação pode avançar para algo mais íntimo.

A Visita (2015) (08’)
Horário: Quinta, dia 28/06, às 19h30
Classificação: Livre
Direção: Leandro Corinto

Sinopse: Leonardo Corinto discute a composição familiar de uma família homossexual neste curta-metragem vencedor de diversos prêmios nacionais e internacionais de cinema – entre eles, o de melhor ficção no Festival de Cinema Infantil de Florianópolis e de melhor curta-metragem estrangeiro no Festival de Cinema Independente de Los Angeles (Estados Unidos). Matheus (Kayky Gonzaga) mora com um tio que considera ser seu pai – ele nunca conheceu seu progenitor. O menino recebe a notícia de que finalmente seria apresentado ao seu pai biológico, mas questiona a necessidade de ter dois homens e nenhuma mulher na sua rotina. O reencontro familiar vai mostrar o verdadeiro significado da união para esse jovem.

Divinas Divas (2017) (110’)
Horário: Quinta, dia 28/06, às 19h40
Classificação: 14 anos
Direção: Leandra Leal

Sinopse: A coprodução do Canal Brasil, eleita pelo público do Festival do Rio como melhor documentário, resgata a história da primeira geração de artistas travestis a fazer sucesso na agitada cena cultural do Rio de Janeiro. Aos 17 anos, Leandra Leal fazia pesquisa para viver nova personagem e descobriu uma história familiar ainda inédita. Seu avô foi pioneiro ao abrir o próprio palco, o Teatro Rival, há mais de cinco décadas para um show protagonizado por homens vestidos de mulher. Rogéria, Valéria, Jane Di Castro, Camille K, Fujika de Halliday, Eloína, Marquesa e Brigitte de Búzios marcaram época com um espetáculo transgressor, quebrando paradigmas e enfrentando o regime militar. Em sua estreia na direção, a atriz traz o reencontro das Divinas Divas, em um filme repleto de histórias deliciosas sobre a carreira dessas icônicas artistas da contracultura.

Elvis & Madona (2011) (105’)
Horário: Quinta, dia 28/06, às 22h
Classificação: 14 anos
Direção: Marcelo Laffitte

Sinopse: A trama acompanha a trajetória da motociclista Elvis (Simone Spoladore), cujo sonho é ser fotógrafa, mas a necessidade de sustento a faz aceitar o emprego como entregadora numa pizzaria. Logo no primeiro dia de trabalho, ela conhece o travesti Madona (Igor Cotrim), cabeleireiro que tem como projeto de vida montar um show com o glamour do teatro de revista. O encontro acontece quando Elvis faz uma entrega no apartamento de Madona e a vê machucada, após levar uma surra. O transformista teve todo seu dinheiro levado pelo amante João Tripé (Sérgio Bezerra), marginal envolvido com traficantes dos morros da cidade. Enquanto pensa numa estratégia de resgate da quantia roubada, Madona passa a contar com a ajuda de Elvis. Nasce, então, uma bonita amizade, que evolui para um divertido romance.

Plutão (2015) (13’)
Horário: Quinta, dia 28/06, às 23h45
Classificação: 16 anos
Direção: Daniel Nolasco

Sinopse: O cineasta Daniel Nolasco faz um verdadeiro guia da cena gay do Rio de Janeiro a partir dos principais pontos de encontro para conhecer um novo parceiro. O filme percorre os mais importantes lugares da cidade para a comunidade LGBT sem nunca os mostrar, apenas mencionando cada local enquanto trabalha com imagens de homens em cenas picantes.

Pobre Preto Puto (2016) (15’)
Horário: Sexta, dia 29/06, às 19h30
Classificação: 12 anos
Direção: Diego Tafarel

Sinopse: Vencedor do prêmio de melhor produção na Mostra Gaúcha do Festival de Gramado em 2016, o documentário de Diego Tafarel tem como protagonista uma figura fundamental na defesa dos direitos de minorias. Nei D’Ogum é negro, homossexual e representante de uma religião de matriz africana. Durante sua vida, sofreu diversas formas de preconceito, foi obrigado a trocar de casa várias vezes e a se distanciar da própria família. O filme traz um pouco da trajetória desse ícone transgressor, a história de suas batalhas, os dilemas já enfrentados por ele e as raízes de onde busca força para continuar lutando pelas causas defendidas.

Meu Nome É Jacque (2016) (73’)
Horário: Sexta, dia 29/06, às 19h45
Classificação: 12 anos
Direção: Angela Zoé

Sinopse: O título do documentário de Angela Zoé – a mesma do longa-metragem Nossas Histórias (2014) e do média-metragem Duas Histórias (2013) – poderia se tratar de uma afirmação corriqueira para qualquer mulher ao ter seu nome questionado. Para Jacqueline Rocha Côrtes, no entanto, seu nome é algo muito mais poderoso. Manifestar sua alcunha com propriedade e orgulho, sem qualquer tipo de questionamento ou preconceito, é não apenas a reafirmação da identidade pela qual batalhou toda sua vida para externar, mas também a missão a qual dedica sua trajetória pessoal e profissional. Jacque, como é conhecida, é uma mulher transexual e soropositiva, e transformou suas experiências em combustível para lutas sociais.

Flores Raras (2013) (118’)
Horário: Sexta, dia 29/06, às 22h
Classificação: 14 anos
Direção: Bruno Barreto

Sinopse: 1951, Nova York. Elizabeth Bishop (Miranda Otto) é uma poetisa insegura e tímida, que apenas se sente à vontade ao narrar seus versos para o amigo Robert Lowell (Treat Williams). Em busca de algo que a motive, ela resolve partir para o Rio de Janeiro e passar uns dias na casa de uma colega de faculdade, Mary (Tracy Middendorf), que vive com a arquiteta brasileira Lota de Macedo Soares (Glória Pires). A princípio Elizabeth e Lota não se dão bem, mas logo se apaixonam uma pela outra. É o início de um romance acompanhado bem de perto por Mary, já que ela aceita a proposta de Lota para que adotem uma filha.

Xavier (2016) (14’)
Horário: Sexta, dia 29/06, às 23h45
Classificação: Livre
Direção: Ricky Mastro

Sinopse: O cineasta Ricky Mastro trata a descoberta de um pai sobre a homossexualidade do filho em um grande ato de afeto. Nicolas (André Guerreiro Lopes) é um pai dedicado e presente na vida de Xavier (Gregório Musatti), um menino de 11 anos. Convocado pela escola para discutir a conduta estudantil do jovem, o homem começa a reparar mais de perto os detalhes do seu comportamento. O olhar mais próximo lhe permite reparar que, além das baquetas de bateria sempre acompanham o pequeno, sua atenção também está voltada para os colegas de sua idade, e decide transformar a revelação da homossexualidade, muitas vezes rejeitada, em um momento de amor.

Da Vida Só Espero a Morte (2014) (09’)
Horário: Sábado, dia 30/06, às 19h30
Classificação: Livre
Direção: Julia Ramos

Sinopse: O filme de Julia Ramos narra o comportamento de um pai ao descobrir a homossexualidade da filha. Nestor (Roger Lisboa) é um homem de rotina repetida diariamente sem nenhuma alteração. Já idoso, resume seu cotidiano a escrever histórias, contar moedas e visitas os túmulos de parentes no cemitério. Ele é preocupado com a vida da filha, uma fotógrafa que mora na Espanha, mas se recusa a aceitar o relacionamento dela com uma outra mulher. Um dia, no entanto, uma carta inesperada chega em sua casa e ele vai acabar vendo seu dia a dia se transformar em algo inesperado.

Olhe pra Mim de Novo (2012) (77’)
Horário: Sábado, dia 30/06, às 19h40
Classificação: 12 anos
Direção: Claudia Priscilla e Kiko Goifman

Sinopse: Os documentaristas Claudia Priscilla e Kiko Goifman viajavam pelo Nordeste em busca de arranjos familiares incomuns quando se depararam com Sillvyo Lucio. Aparentemente, não havia nenhuma relação entre o personagem, um homem simples vestido com chapéu de vaqueiro, camisas polo listradas e um cigarro onipresente entre os dedos, e o roteiro proposto pelos cineastas. Um novo olhar mais atento, como sugere o título da obra, trouxe à tona a história surpreendente desse homem transexual em busca de um tratamento que o possibilite gerar um filho e formar a família de seus sonhos. A trajetória dessa figura rendeu aos diretores o prêmio especial do júri de documentários do Festival do Rio em 2011.

Madame Satã (2002)
Horário: Sábado, dia 30/06, às 22h
Classificação: 16 anos
Direção: Karim Aïnouz

Sinopse: A cinebiografia de um personagem contraditório e fascinante: João Francisco dos Santos (1900-1976), figura célebre da Lapa, no Rio de Janeiro dos anos 1930. O filme se passa em um momento essencial de sua vida, quando realiza o sonho de se tornar artista de cabaré e comete o primeiro crime. Passado entre a prisão e o Rio boêmio, o longa nos transporta para o cotidiano de João Francisco (Lázaro Ramos), apresentando seu círculo de amigos e sua intimidade na pensão em que vive, de onde comanda seu mundo após deixar o cárcere. João passa a viver com Laurita (Marcélia Cartaxo), prostituta e sua "esposa"; Tabu (Flávio Bauraqui), seu cúmplice; Renatinho (Felippe Marques), seu amante e também traidor; e ainda Amador (Emiliano Queiroz), dono do bar Danúbio Azul. É neste ambiente que João Francisco irá se transformar no mito Madame Satã.

Desvelo (2012) (15’)
Horário: Sábado, dia 30/06, às 23h45
Classificação: 14 anos
Direção: Clarissa Rebouças

Sinopse: A diretora Clarissa Rebouças assina roteiro e direção deste curta-metragem que mescla a suavidade do amor e a agressividade do preconceito. Premiado em festivais em Salvador e Porto Alegre, o filme trata com delicadeza, com poucos diálogos e narrado através do toque e da trilha sonora, o amor entre Luiza (Manu Santiago) e Léo (Fernanda Beling), uma mulher transgênero. Diogo (Fábio Ferreira) não aceita o fim do relacionamento com a primeira personagem, e faz de tudo para descobrir quem é seu novo namorado. Violento e alcoolizado, ele vai persegui-la e será obrigado a lidar com o choque de ver a antiga paixão nos braços de uma nova companheira.




Nenhum comentário

Comentários Ofensivos ou Irrelevantes e os que conter publicidades serão todos excluídos.