Home Top Ad

Inspirada em "A Alma Imoral", de Nilton Bonder, nova série dirigida por Silvio Tendler estreia no Canal Curta!

Share:

Inspirada em “A Alma Imoral”, de Nilton Bonder. (Imagem: Divulgação)
Depois de se tornar um best-seller e ganhar adaptação para o teatro, o livro “A Alma Imoral”, do rabino Nilton Bonder, ganha versão audiovisual produzida com exclusividade para o Curta!. Estreia na Quinta do Pensamento, 5 de julho, às 22h30, a série documental “Alma Imoral”. Com direção do cineasta Silvio Tendler e apresentação do próprio rabino, a produção discute o conceito de transgressão a partir de depoimentos de personalidades de projeção internacional. 

Nomes como o linguista e filósofo Noam Chomsky, o jornalista Uri Avneri, a filósofa e escritora Rebecca Goldstein contam histórias de quebra de paradigmas, como ser rabino ortodoxo e declarar-se homossexual ou ser mulher e ocupar posições sociais tradicionalmente reservadas aos homens. Além disso, trechos da obra de Bonder são transpostos para o balé, o teatro e as artes visuais. Deborah Colker transforma as palavras do rabino em coreografia, atores consagrados como Matheus Solano, Letícia Sabatella, Júlia Lemmertz e Osmar Prado interpretam passagens do livro e a artista Ruth Kelson produz xilogravuras exclusivas retratando movimentos transgressivos dos patriarcas da Bíblia. No episódio de estreia, corpo e alma são os assuntos colocados em reflexão.

A série “Alma Imoral” foi produzida pela Caliban Produções Cinematográficas com exclusividade para o Curta! através de financiamento do Fundo Setorial do Audiovisual da ANCINE.

Na Terça das Artes, 3, às 23h30, a obra de Augusto Malta é revisitada no episódio inédito de “Instantes Cruzados”. O fotógrafo ativista e crítico Luiz Baltar é o convidado do programa para produzir uma nova imagem que dialogue com o trabalho daquele que foi o primeiro fotógrafo oficial da Prefeitura do Rio de Janeiro e produziu alguns dos mais importantes registros da cidade no começo do século XX. Com apresentação do fotógrafo e antropólogo Milton Guran, direção de Sérgio Bloch e produção da Ocean Films, a série exclusiva “Instantes Cruzados" apresenta olhares contemporâneos para fotografias icônicas brasileiras.

Também na Terça das Artes, 3, só que mais cedo, às 20h, o episódio inédito de “A História Oculta das Obras de Arte” traz revelações sobre um dos principais pintores franceses do movimento rococó: Jean-Antoine Watteau. O artista era conhecido por registrar minuciosamente a burguesia e seus luxos. Uma das curiosidades trazidas pelo programa é a do quadro “La Surprise”, que ficou mais de 150 anos desaparecido, mas, após ser encontrado largado em um casa de campo, foi vendido pela impressionante quantia de 15 milhões de euros. 

Na Segunda da Música, 2, às 20h, canções do disco “Eu Quero É Botar Meu Bloco na Rua”, de Sérgio Sampaio, ganham versões inéditas e exclusivas no novo episódio da série musical “Os Ímpares”. Negro Leo apresenta sua interpretação da música que dá nome ao álbum. Já Tulipa Ruiz é a convidada para fazer a releitura de “Não Tenha Medo Não”. Renato Piau, grande amigo de Sérgio, visita a gravação e revela detalhes sobre a produção do disco e o contexto histórico da época. A série "Os Ímpares" traz, ao longo de 10 episódios, figuras de peso da música brasileira contemporânea como Criolo, Bayana System e Teresa Cristina para realizar releituras inéditas de álbuns de Jards Macalé, Di Melo, Itamar Assumpção, Walter Franco, Jorge Mautner, Pedro Santos, Ronnie Von, Verocai, Marku Ribas e Sérgio Sampaio. Com direção de Henrique Alqualo e Isis Mello, direção musical de Berna Ceppas e realização da Lunar Multimídia e da Moa Filmes, “Os Ímpares” foi produzida através de financiamento pelo Fundo Setorial do Audiovisual da ANCINE. 

Os mitos, as origens e as consequências da miscigenação, um dos mais marcantes traços culturais brasileiros, serão debatidos na Quinta do Pensamento, 5, às 23h30. No episódio inédito de “Alegorias do Brasil”, nomes como Guilherme Wisnik, Beatriz Jaguaribe e Carlos Fausto analisam a formação da falsa ideia de democracia racial e o impacto da violência sobre negras e índias no processo miscigenatório brasileiro. “Alegorias do Brasil” é o primeiro trabalho para a televisão do cineasta Murilo Salles e foi produzido pela Cinema Brasil Digital.

Na Quarta de Cinema, 4, às 20h, a faixa “A Vida é Curta!” é em clima de Copa do Mundo. Para começar, o filme “Chapa”, de Fabio Montanari, conta a história de dois amigos que são injustamente demitidos da padaria onde trabalharam por mais de 20 anos. Eles decidem se vingar e assaltar o local. Mas a dupla precisa realizar o crime antes que o primeiro jogo do Brasil na Copa comece. Na sequência, dois filmes sobre célebres torcedores brasileiros. “J.Carlos”, de Norma Bengell e Silvio Tendler, apresenta a vida do chargista, ilustrador e designer que dá título ao filme, considerado um dos maiores representantes do estilo art déco no design gráfico brasileiro. E “Tim Maia”, de Flávio Tambellini, traz o pensamento do ‘síndico’ Tim Maia em uma linguagem antiacadêmica, misturando bate-papo e música, deixando a montagem fluir no swing de Tim.




Nenhum comentário

Comentários Ofensivos ou Irrelevantes e os que conter publicidades serão todos excluídos.