Home Top Ad

Recordar é TV celebra o legado de Fernando Pamplona para o carnaval nesta terça na TV Brasil

Share:

(Imagem/Divulgação)
Considerado referência na cenografia, o saudoso Fernando Pamplona é lembrado na segunda edição da nova temporada do Recordar é TV nesta terça (24), às 22h45, na TV Brasil. Carnavalesco, professor, produtor e apresentador de televisão, o bamba fez história na cultura popular brasileira.

Para homenageá-lo, o canal resgata de seu acervo trechos do programa Memória Nacional, exibido em 1989 pela antiga TVE do Rio de Janeiro, onde ele foi cenógrafo de destaque. No material de acervo preservado pela emissora pública, o artista plastico é entrevistado pela atriz Neila Tavares.

Durante a conversa, o célebre Fernando Pamplona fala sobre sua juventude e formação artística. Ressalta sua relação com o carnaval carioca e comenta o lendário enredo "Quilombo dos Palmares", em seu primeiro ano como carnavalesco.

Um ano após estrear no carnaval como jurado, em 1959, Fernando Pamplona deixou as cabines e ingressou no barracão. O cenógrafo conquistou o título do desfile em 1960 com o inesquecível enredo "Quilombo dos Palmares" pelo Salgueiro que viria a ser sua escola do coração.

Até então, nenhuma agremiação tivera a ousadia de ir além das fronteiras da história oficial. Esse desfile da escola vermelha e branca da Tijuca inaugurou uma nova era de enredos, revolucionando a estética de alegorias e fantasias, levando diversidade aonde antes havia a mesmice. O carnaval deve essa renovação ao talento e à criatividade do fascinante Pamplona.

Carismático, ele sabia conjugar ironia, inteligência e simpatia em doses perfeitas. Fernando Pamplona assinou 12 enredos pelo Salgueiro nas década de 1960 e 1970. Nessa época, conquistou quatro títulos e três vice-campeonatos.

Com sua marca única de produzir e desenvolver enredos, tornou-se referência nos trabalhos desenvolvidos por carnavalescos das gerações seguintes como Arlindo Rodrigues, Joãosinho Trinta, Maria Augusta e Rosa Magalhães.

Após deixar os bastidores das escolas de samba no final dos anos 1970, Fernando Pamplona manteve-se ligado ao carnaval. Observador astuto, o mestre da cenografia soube como transformar-se em comentarista e crítico de carnaval nas transmissões da extinta TV Manchete e da própria TVE do Rio de Janeiro onde foi importante cenógrafo.

Sem acompanhar com a mesma assiduida os desfiles nos últimos tempos, já nos anos 2000, Fernando Pamplona ainda debatia as questões relacionadas ao carnaval como o samba acelerado e a estética do iniciante e supreendente Paulo Barros. O artista plástico faleceu há quase cinco anos, em 20 de setembro de 2013, um dia após completar 87 anos, vítima de um câncer raro no fígado.




Nenhum comentário

Comentários Ofensivos ou Irrelevantes e os que conter publicidades serão todos excluídos.