Home Top Ad

Documentário sobre o impacto cultural das revoluções sexuais estreia no Canal Curta!

Share:

(Imagem/Divulgação)
Historiador e antropólogo, Sylvain Desmille realiza documentários desde 1996, sempre buscando olhares novos para a história, como em “A crise dos mísseis de Cuba” (2015). Na Sexta da Sociedade, 10, às 22h40, o Curta! promove a estreia exclusiva no Brasil de seu documentário “Revoluções Sexuais”, que, através de arquivos inéditos e análises de pensadores, mostra as mudanças de comportamento sexual que transformaram o mundo entre as décadas de 1950 e 2000. Dos movimentos feministas e LGBTs à popularização de métodos anticoncepcionais, a revolução sexual redefiniu as sociedades e Desmille apresenta um panorama sobre a amplitude dessas mudanças. O longa francês é dividido em duas partes, sendo que a segunda vai ao ar no canal no dia 17, às 23h.

O uso da gravura como denúncia social está presente na Terça das Artes, 7, às 21h, com a estreia do documentário “Grupo de Bagé”, do diretor Zeca Brito. A produção mostra a trajetória do movimento artístico surgido no Rio Grande do Sul dos anos 1940, protagonizado pelos pintores e gravadores Glênio Bianchetti, Glauco Rodrigues, Carlos Scliar e Danúbio Gonçalves. Ligados ao Partido Comunista, eles fizeram da gravura uma maneira de popularizar a arte, com temáticas realistas e de denúncia social. Teóricos como Néstor García Canclini e Nicolas Bourriaud, e artistas como Anico Herskovits e Cildo Meireles investigam a trajetória dos artistas de Bagé. “Grupo de Bagé” foi produzido pela Boulevard Filmes e financiado pelo Fundo Setorial do Audiovisual, da Ancine.

Na Quinta do Pensamento, 9, às 23h30, a série “Alegorias do Brasil”, de Murilo Salles, traz o episódio inédito “Saudade do Futuro”. No programa, acadêmicos de diversas áreas falam sobre a nostalgia do tempo em que se pensava o Brasil como o país do futuro.

“Alegorias do Brasil” é a primeira produção do cineasta Murilo Salles idealizada exclusivamente para a TV.  Ao longo de 13 episódios, as alegorias brasileiras - ou seja, as expressões culturais que afirmam a nossa identidade – são colocadas em discussão e analisadas por nomes como Vladimir Safatle, Silviano Santiago, Maria Rita Kehl e Nuno Ramos. A série é uma produção da Cinema Brasil Digital com financiamento do Fundo Setorial do Audiovisual da ANCINE.

A censura exercida sobre a produção musical brasileira durante a ditadura militar, tema da série “Cale-se”, ganha um novo episódio na Segunda da Música, 6, às 20h. Por meio de números musicais históricos ou produzidos para a série, conheceremos o repertório vetado pelos censores e suas motivações mais surpreendentes. Imagens da época e depoimentos de compositores censurados, artistas exilados, advogados, jornalistas e pesquisadores trazem à tona os bastidores da censura musical durante os anos de chumbo.

Na semana em que comemora-se o Dia dos Pais, a faixa “A Vida é Curta!”, da Quarta de Cinema, 8, às 20h, apresenta uma seleção de filmes que enfocam as relações familiares. Abrindo a sessão especial, “Buscando Helena”. Com direção de Ana Amelia Macedo e Roberto Berliner, a produção mostra a viagem dos pais para buscar sua filha adotiva. Na sequência, “Babás”, revela a histórica presença das babás no cotidiano das famílias brasileiras. E para encerrar, “Retrato de Carmem D.”, da cineasta carioca Isabel Joffily, que concorreu no festival “É Tudo Verdade” de 2015. O curta traz a história da psiquiatra Carmen, que atende seus pacientes no térreo de sua casa, onde também vive sua filha Marcela, que sempre nadou na piscina do jardim.