Home Top Ad

Documentário sobre o impacto cultural das revoluções sexuais estreia no Canal Curta!

Share:

(Imagem/Divulgação)
Historiador e antropólogo, Sylvain Desmille realiza documentários desde 1996, sempre buscando olhares novos para a história, como em “A crise dos mísseis de Cuba” (2015). Na Sexta da Sociedade, 10, às 22h40, o Curta! promove a estreia exclusiva no Brasil de seu documentário “Revoluções Sexuais”, que, através de arquivos inéditos e análises de pensadores, mostra as mudanças de comportamento sexual que transformaram o mundo entre as décadas de 1950 e 2000. Dos movimentos feministas e LGBTs à popularização de métodos anticoncepcionais, a revolução sexual redefiniu as sociedades e Desmille apresenta um panorama sobre a amplitude dessas mudanças. O longa francês é dividido em duas partes, sendo que a segunda vai ao ar no canal no dia 17, às 23h.

O uso da gravura como denúncia social está presente na Terça das Artes, 7, às 21h, com a estreia do documentário “Grupo de Bagé”, do diretor Zeca Brito. A produção mostra a trajetória do movimento artístico surgido no Rio Grande do Sul dos anos 1940, protagonizado pelos pintores e gravadores Glênio Bianchetti, Glauco Rodrigues, Carlos Scliar e Danúbio Gonçalves. Ligados ao Partido Comunista, eles fizeram da gravura uma maneira de popularizar a arte, com temáticas realistas e de denúncia social. Teóricos como Néstor García Canclini e Nicolas Bourriaud, e artistas como Anico Herskovits e Cildo Meireles investigam a trajetória dos artistas de Bagé. “Grupo de Bagé” foi produzido pela Boulevard Filmes e financiado pelo Fundo Setorial do Audiovisual, da Ancine.

Na Quinta do Pensamento, 9, às 23h30, a série “Alegorias do Brasil”, de Murilo Salles, traz o episódio inédito “Saudade do Futuro”. No programa, acadêmicos de diversas áreas falam sobre a nostalgia do tempo em que se pensava o Brasil como o país do futuro.

“Alegorias do Brasil” é a primeira produção do cineasta Murilo Salles idealizada exclusivamente para a TV.  Ao longo de 13 episódios, as alegorias brasileiras - ou seja, as expressões culturais que afirmam a nossa identidade – são colocadas em discussão e analisadas por nomes como Vladimir Safatle, Silviano Santiago, Maria Rita Kehl e Nuno Ramos. A série é uma produção da Cinema Brasil Digital com financiamento do Fundo Setorial do Audiovisual da ANCINE.

A censura exercida sobre a produção musical brasileira durante a ditadura militar, tema da série “Cale-se”, ganha um novo episódio na Segunda da Música, 6, às 20h. Por meio de números musicais históricos ou produzidos para a série, conheceremos o repertório vetado pelos censores e suas motivações mais surpreendentes. Imagens da época e depoimentos de compositores censurados, artistas exilados, advogados, jornalistas e pesquisadores trazem à tona os bastidores da censura musical durante os anos de chumbo.

Na semana em que comemora-se o Dia dos Pais, a faixa “A Vida é Curta!”, da Quarta de Cinema, 8, às 20h, apresenta uma seleção de filmes que enfocam as relações familiares. Abrindo a sessão especial, “Buscando Helena”. Com direção de Ana Amelia Macedo e Roberto Berliner, a produção mostra a viagem dos pais para buscar sua filha adotiva. Na sequência, “Babás”, revela a histórica presença das babás no cotidiano das famílias brasileiras. E para encerrar, “Retrato de Carmem D.”, da cineasta carioca Isabel Joffily, que concorreu no festival “É Tudo Verdade” de 2015. O curta traz a história da psiquiatra Carmen, que atende seus pacientes no térreo de sua casa, onde também vive sua filha Marcela, que sempre nadou na piscina do jardim.




Nenhum comentário

Comentários Ofensivos ou Irrelevantes e os que conter publicidades serão todos excluídos.