Home Top Ad

Roseann Kennedy entrevista a deputada federal Joice Hasselmann na segunda na TV Brasil

Share:

Imagem/Divulgação TV Brasil
Eleita deputada federal com a bandeira do combate à corrupção, a jornalista Joice Hasselmann (PSL/SP) defende o mandato participativo e "sem aquela cafonice de superautoridade" na entrevista ao programa Conversa com Roseann Kennedy desta segunda (19), às 21h15, na TV Brasil.
 
"Deputado não é superautoridade. Foi eleito para representar o povo, é empregado do povo", afirma. Para se aproximar dos eleitores, Hasselmann diz que seu mandato vai ser no estilo reality. "As pessoas vão saber de tudo em lives. Eu faço prestação de contas desde o primeiro dia após a eleição: o que eu estou fazendo, onde estou, com quem estou, com quem conversei".
 
Joice é a mulher mais bem votada na história da Câmara dos Deputados, com um milhão 78 mil e 666 votos. No programa da TV Brasil, ela explica que tem interessem em assumir a liderança do seu partido, o mesmo do presidente eleito Jair Bolsonaro. Mas isso ainda vai depender das conversas que está tendo com o presidente da legenda e colegas do PSL. 
 
Sobre as pautas legislativas previstas para o próximo ano, Hasselmann diz ser a favor da proposta da escola sem partido, da proibição da saída dos presos nos recessos e da flexibilização do porte e da posse de armas.
 
"Não tem lógica você proibir um cidadão que é de bem e não tem antecedente criminal, que está com o seu juízo perfeito, que faz todos os testes e que tem um treinamento, de ter uma arma para se defender."
 
Hasselmann conta que ela mesma tem um rifle AR-15. "Não no Brasil, né? Porque eu não faço nada que contrarie a lei. Onde é que eu tenho um AR-15? Nos Estados Unidos." 
 
Na entrevista para a também jornalista Roseann Kennedy, Joice ainda fala sobre a trajetória de vida, aa carreira nos meios de comunicação, a decisão difícil de entrar para a política e os desafios que vêm pela frente.




Nenhum comentário

Comentários Ofensivos ou Irrelevantes e os que conter publicidades serão todos excluídos.