Home Top Ad

Diogo Nogueira recebe Amigos do Pagode 90 no Samba na Gamboa da TV Brasil

Share:


O programa Samba na Gamboa faz uma romântica viagem pelo túnel do tempo com Salgadinho, Márcio Arte Chrigor, os Amigos do Pagode 90 nesta sexta (14), às 21h45, na TV Brasil. Ao lado do anfitrião Diogo Nogueira, os artistas revivem sucessos que ficaram no coração do público e até hoje atraem multidões em shows por todo o país.

Os pagodeiros contam que seu repertório leva boa parte do público a relembrar histórias da juventude. Os bambas destacam a fase de sucesso com os grupos Katinguelê, Art Popular e Exaltasamba.

Durante o programa da emissora pública, o trio apresenta músicas de seus grupos e de outros da época como o Só Pra Contrariar. Os artistas cantam e tocam hits como "Inaraí", "Eu me apaixonei pela pessoa errada", "Telegrama", "Falando segredo", "No compasso do criador", "Recado a minha amada", "Essa tal liberdade" e "Timidez".

Na entrevista inédita, os convidados falam sobre a pressão de terem sido alçados ao status de celebridade nos anos 1990, ainda muito jovens. Eles recordam o começo sem grandes pretensões ao estrelato, destacam o sonho da carreira solo e comentam todo o carinho do público nessa retomada da carreira.

Também lembram de suas trajetórias nas rodas de samba da infância, e a vida atual, em família, mais maduros e felizes, com o sucesso do projeto "Amigos do Pagode 90", um sonho de Salgadinho de reviver a época de ouro do pagode romântico, quando vendiam milhões de discos.

No decorrer da animada e descontraída conversa na TV Brasil, os cantores ainda revelam suas referências musicais. Destacam os grupos de samba que os inspiraram a iniciar carreira artística e refletem sobre como a fama pode ser efêmera.

Salgadinho fez história no Katinguelê

Famoso em todo o país por causa do Katinguelê, Salgadinho cresceu numa casa musical. Seus avós já tocavam instrumentos e, aos 10 anos, o menino ganhou um cavaquinho. Foi apaixonado por choro, mas, aos 12 anos, só queria saber do futebol. Por sorte o apelo do pagode falou mais alto.

Salgadinho conta ao apresentador Diogo Nogueira que conheceu o Katinguelê e, logo depois, já ingressou no grupo. O artista até tentou criar um conjunto de choro, mas foi no Katinguelê que alcançou sucesso e se tornou ídolo no país. Algumas de suas composições são grandes sucessos do conjunto. Depois da saída, ele se dedicou a projetos pessoais.

Chrigor era a voz do Exaltasamba

Nascido em Santo André, em São Paulo, Chrigor cresceu nas rodas de samba, levado pelo pai, amante do gênero. No início da década de 1990, entrou para o Exaltasamba e viveu a época de ouro do pagode com o grupo.

Vocalista, pediu para sair após a morte do pai e chegou a declarar que estava em "depressão e não queria atrapalhar a trajetória dos amigos músicos". Depois, deu a volta por cima e retomou a carreira solo.

Ele mantém a amizade com os antigos integrantes da banda e chegou a confessar que sentiu ciúme do cantor Thiaguinho, que o sucedeu nos vocais. Hoje, já se encontraram no palco e mantêm o clima de amizade.

Márcio Art dividia vocais do Art Popular com Leandro Lehart

Ex-vocalista e músico do Art Popular, Márcio Art tem uma das mais elogiadas vozes do pagode romântico. Deixou na história do grupo a exclamação "Canta comigo Art Popular!", e marcou com suas interpretações, sucessos do grupo como "Valeu demais".

O artista revela na atração da TV Brasil que depois de se dedicar à carreira solo, em 2017, ele se reuniu comoutros integrantes, como Leandro Lehart, para lançar "Breakdown Partido Alto", uma retomada do Art Popular.

Em 2014, Salgadinho, Márcio Art e Chrigor mostraram que o estilo que marcou os anos 1990 continuava vivo no coração do público ao formar a banda Amigos do Pagode 90. Desde então, lotam shows com fãs cantando em coro os sucessos da época.

A união dos três ídolos deu certo e eles mantêm uma agenda cheia de apresentações por todo o Brasil. No Samba na Gamboa, eles falam sobre o sucesso do passado com nostalgia, mas afirmam que se mantêm ativos também em projetos solo.