Home Top Ad

Canal Brasil - Destaques da programação de 07 a 13 de janeiro

Share:


Conheça os destaques da programação do Canal Brasil de 07 a 13 de janeiro.

Espelho – Cida Bento
Horário:SEGUNDA, DIA 07, ÀS 21H30
REPRISE
Classificação: Livre

Sinopse: Espelho chega à 13ª temporada sob o comando de Lázaro Ramos mantendo a premissa de discutir assuntos e revelar personalidades brasileiras. O programa tem compromisso com a reflexão de temas presentes na pauta da atualidade, através de bate-papos intimistas. Segundo o próprio ator, que segue à frente da atração como idealizador e apresentador, as entrevistas da nova temporada serão mais contundentes, em uma tentativa de entender o momento conturbado do país. O intérprete conduz as conversas – e assina a direção geral da série.

As discussões são em torno dos mais variados temas que movem o pensamento e a diversidade cultural brasileira. Lázaro recebe a nutricionista e apresentadora de televisão Bela Gil; os atores Silvio Guindane, Fernanda Torres; Andrea Horta, Debora Falabella, Monica Iozzi e Cacau Protásio; os músicos Caetano Veloso, Maria Rita e Di Melo, os escritores Nilton Bonder, Augusto Cury e Ana Maria Gonçalves, e as ativistas sociais Djamila Ribeiro e Tatiana Nascimento.

Neste episódio: Referência na luta contra a desigualdade, Cida Bento fala sobre o impacto da discriminação sobre as crianças, o potencial da diversidade e a importância de se apropriar da força de ser negro.

Eletrogordo – Rafael Ilha
Horário:SEGUNDA, DIA 07, À 0H
REPRISE
Classificação: 14 anos

Sinopse: Sob direção de André Barcinski – também responsável por Nasi Noite Adentro –, João Gordo estreia a terceira temporada de sua atração no Canal Brasil, “Eletrogordo”, completando a faixa dos programas da meia-noite, que combinam humor, irreverência e sensualidade.

O cenário é uma oficina de eletrodomésticos e João passa os dias consertando liquidificadores, torradeiras, televisões de tubo, secadores de cabelo e vitrolas. De vez em quando, surge um cliente na loja e eles engatam um papo sobre televisão, música e cinema, suas grandes paixões. Os frequentadores desse estabelecimento são ecléticos e especiais. Nesta temporada, o apresentador conversa com os músicos Rafael Ilha, Leandro Lehart, Jimmy Luv, Simbas, Alex, Arrigo Barnabé, Sula Miranda e Sandra Coutinho; os apresentadores de televisão Marcelo Tas, Didi Wagner, Leão Lobo, Max Fivelinha e Leda Nagle; o ex-jogador de futebol Cesar Maluco; o cineasta Rodrigo Aragão e o comediante e vocalista Bruno Sutter, entre outros.

Vocalista da banda punk Ratos de Porão, o cantor fez história nos palcos com suas letras anárquicas e apresentações agressivas, e se aventurou no mundo da televisão, atuando como anfitrião em programas cômicos, como talk shows politicamente incorretos.

Neste episódio: Livre das drogas desde 2000, o cantor Rafael Ilha relembra a época do extinto grupo “Polegar”, os períodos de dependência química e o tempo em que passou preso ou internado.

Décimo Andar – Dinâmica de Grupo
Horário:TERÇA, DIA 08, ÀS 21H
PRINCIPAL
Classificação: Livre

Sinopse: Dirigida por Caito Mainier e com roteiro assinado por Daniel Furlan, Leandro Ramos e pelo próprio Caito, a comédia apresenta seis funcionários de uma grande e burocrática empresa, que vivem situações surreais em seus cotidianos. Além de Caito e Furlan, o elenco conta com nomes como Juliano Enrico (criador da série de animação “O Irmão do Jorel”), Paulo Tiefenthaler (Paulo Oliveira, de “Larica Total”) e Raul Chequer (do “Choque de Cultura”, quadro da TV Quase que é sucesso na internet).

Willie (Daniel Furlan) passa os dias a criar programas imaginários com os objetos de sua sala. Jorginho (Caito Mainier) não desgruda do telefone por um único segundo e produz filmes de pouquíssima chance de sucesso. Rodney (Juliano Enrico) trabalha no setor burocrático se recuperando de um acidente, e divide seu tempo entre organizar milimetricamente sua mesa e carimbar documentos. Marquinhos (Raul Chequer) é o novo estagiário da corporação e vai usar todos os seus neurônios para se manter na empresa. Os quatro têm seus cargos ameaçados com a chegada de uma nova funcionaria dos Recursos Humanos, Meg Torres (Bianca Fero). A série traz ainda a participação de Paulo Tiefenthaler (Paulo Oliveira, “Larica Total’) como Michael, um agressivo diretor de marketing agressivo.

Neste episódio: Tentando uma vaga na empresa, Marquinhos participa de uma dinâmica de grupo com um concorrente psicopata e violento. Jorginho começa a produzir o remake brasileiro do filme “Senhor dos Anéis”.

A Arte do Encontro – Maria Ribeiro
Horário:QUARTA, DIA 09, ÀS 21H30
INÉDITO
Classificação: Livre

Sinopse: Após 13 episódios comandados por Tony Ramos, Bárbara Paz assume o lugar do ator no comando da quarta temporada de “A Arte do Encontro”, do Canal Brasil. A atriz recebe Bia Lessa, Daniel Dantas, Elisa Lucinda, Luis Miranda, Maria Ribeiro, Paulinho Moska, Xico Sá e Zélia Duncan para conversas intimistas intercaladas por leituras de trechos de livros, poesias e peças de teatro. A atração semanal vai ao ar sempre às quartas, às 21h30.

Neste episódio: “A pior escravidão que existe é ter que ser algo”. A atriz Maria Ribeiro reflete sobre as imposições sociais, a valorização de coisas não fundamentais e as relações monetizadas.

Pornolândia – As Redes Sociais e o Novo Sexo Pago
Horário:QUARTA, DIA 09, À 0H
REPRISE
Classificação: 16 anos

Sinopse: A musa da pornochanchada Nicole Puzzi retorna à tela do Canal Brasil em entrevistas picantes, com membros do universo da pornografia e do erotismo no país. Sempre em tom irreverente, a apresentadora discute abertamente temas como fetiche, sensualidade, nudez artística e o mercado brasileiro de filmes adultos. A anfitriã está ainda mais curiosa e provocativa no quinto ano do programa, seja investigando as práticas sexuais menos comuns, revendo os velhos amigos ou conversando com figuras da indústria pornô.

Neste episódio: Nicole Puzzi conversa com Alessandra Maia e Mari Zombie, duas garotas de programa que vem utilizando a internet para conquistar clientes e realizar fantasias de clientes.

O País do Cinema – A Cidade Onde Envelheço
Horário:QUINTA, DIA 10, ÀS 21H30
INÉDITO
Classificação: 14 anos

Sinopse: Fabiula Nascimento comandou, durante dois anos, um mergulho na história do cinema brasileiro em O País do Cinema. No terceiro ano da atração, a atriz passa o bastão para a também intérprete Andreia Horta, que assume a posição de apresentadora para receber realizadores, diretores e intérpretes e colocar em pauta uma abordagem crítica e informativa da produção nacional recente. O programa dirigido por Marcello Ludwig Maia foca sua atenção em filmes da mais recente safra da sétima arte do país. Entre os escolhidos estão trabalhos de premiados artistas como Laís Bodanzky, Julio Bressane, Cláudio Assis, Ruy Guerra, Camila Pitanga, Fellipe Barbosa, Sérgio Rezende, Caroline Leone, Carolina Jabor, Jorge Durán e Hilton Lacerda, entre outros.

Neste episódio: Andréia Horta recebe Marília Rocha e Luana Melgaço, diretora e produtora de “A Cidade Onde Envelheço”. As convidadas falam sobre o surgimento do roteiro e lembram os bastidores da filmagem.

Nasi Noite Adentro – O Romântico
Horário:QUINTA, DIA 10, À 0H
REPRISE
Classificação: 14 anos

Sinopse: Os mistérios, segredos e personagens mais excêntricos da noite paulistana estão de volta ao Canal Brasil. Na nova temporada do programa comandado pelo vocalista do Ira!, o público acompanha as aventuras do anfitrião por lugares ainda mais inusitados da maior metrópole da América Latina.

Neste episódio: Figura marcante da cultura brasileira, Moacyr Franco relembra a descoberta do talento musical quando era pintor de parede e conta como a participação premiada em “O Palhaço” abriu portas no cinema.

Sonhos de Abu – Andando de 4
Horário:SEXTA, DIA 11, ÀS 21H
INÉDITO
Classificação: 12 anos

Sinopse: André Abujamra é uma figura multifacetada. Líder do Karnak e do Os Mulheres Negras, escreveu diversas trilhas para o cinema, atuou em produções audiovisuais e, recentemente, lançou o trabalho solo Omindá, álbum independente com a participação de artistas de 13 países. O falso reality show Sonhos de Abu chega à segunda temporada acompanhando os problemas enfrentados após a morte do pai, Antônio Abujamra. Além de protagonizar a atração, o cantor assina a criação, produção, roteiro e direção ao lado de Rafael Terpins. A comédia nonsense é estrelada por Lúcia Bronstein, Derick Lecouflé, Clarisse Abujamra, Marat Descartes, Carlos Careqa, Rodrigo Arijon e Giovanna Velasco.

Após os acontecimentos do primeiro ano, quando se esforçava para conciliar a vida artística com o trabalho publicitário para sustentar a família, André Abujamra vê sua rotina virar de cabeça para baixo após o falecimento de seu pai, Antônio. Os problemas caminham por um testamento surpreendente, uma revelação familiar, o fechamento de sua agência e a crise financeira. Sonhando em desenho animado, ele encontra os sinais para superar as adversidades. A série segue os moldes de humor de Curb Your Enthusiasm, de Larry David – também famoso por ser um dos criadores de Seinfeld, uma das comédias americanas de maior sucesso na história da televisão –, programa cujo roteiro é conduzido em cena pelos atores a partir da improvisação de diálogos.

Neste episódio: O quarto episódio deste falso reality show acompanha alguns sonhos de André Abujamra que prometem mudar o rumo dos acontecimentos. Abu pode assumir o programa do pai.

O Som do Vinil – Junior, Junior
Horário:SEXTA, DIA 11, ÀS 21H30
REPRISE
Classificação: Livre

Sinopse: Charles Gavin continua, no 12º ano da série, sua investigação sobre a história da música nacional. Sob direção de Gabriela Gastal e do próprio apresentador, o ex-titã, ávido colecionador de discos raros, entrevista algumas das mais importantes personalidades do ramo para lembrar curiosidades e bastidores de discos fundamentais para a história do cancioneiro brasileiro.

Os episódios contemplam variados gêneros e promovem um passeio por diversas gerações da música brasileira. Há espaço para o trash metal do Sepultura em seu mais recente trabalho, Machine Messiah; o soul e blues de Liniker e os Caramelows; a música clássica regida pelo maestro João Carlos Martins em Ginastera Concerto for Piano and Orchestra; a MPB de Lenine com Em Trânsito e de Ney Matogrosso em Seu Tipo; o rock de Descivilização do Biquíni Cavadão e o rap de MV Bill em Declaração de Guerra. O programa traz ainda vinis de Fagner, Paralamas do Sucesso, Wilson Moreira, Vanguart, Benito di Paula e Carlos Lyra.

Neste episódio: Junior ficou mais conhecido como um maestro do futebol, mas o ex-jogador também mostrou ser um craque na música. O ex-atleta comenta a gravação de um disco e um compacto para a seleção.

302 – Jaciara
Horário:SEXTA, DIA 11, À 0H
REPRISE
Classificação: 14 anos

Sinopse: Fotógrafo consagrado pelo olhar perspicaz e retratos impactantes em preto e branco, Jorge Bispo traz novamente para o Canal Brasil, em sua quinta temporada, um de seus projetos mais ousados. Em 302, o artista recebe em seu próprio apartamento 13 mulheres comuns que toparam tirar a roupa à frente de sua câmera. Longe dos rígidos padrões de beleza estabelecidos pelas celebridades por ele já clicadas, cujas fotos estamparam capas das principais publicações do país, Bispo traz à tela uma iniciativa artística e minimalista. Pela primeira vez, no entanto, o projeto dá um passo adiante, extrapola as paredes do apartamento, sobe dois pavimentos e inaugura, no quinto andar, o 502, no qual os homens perdem as vestimentas e enfrentam os dilemas da nudez masculina. A temporada divide-se, então, em dois momentos distintos, fazendo um panorama mais amplo de como a questão é vista pela sociedade.

Neste episódio: A carioca Jaciara fala sobre o projeto fotográfico como consolidação da ideia de se sentir confortável com o próprio corpo e a descoberta da existência de seu pai biológico.

Gonzaga – De Pai para Filho – Episódio 03
Horário:SÁBADO, DIA 12, ÀS 16H
INÉDITO
Classificação: 14 anos

Sinopse: Adaptação para o formato de série do filme de Breno Silveira estrelado por Julio Andrade, Chambinho do Acordeão, Nanda Costa, Silvia Buarque, Domingos Montagner, Zezé Motta e João Miguel.

O sertão pernambucano da cidade de Exu é o ponto de partida para a história de dois grandes nomes da música popular brasileira, conectados por pele e sangue, distantes por filosofia e geografia: Luiz Gonzaga (Chambinho do Acordeão) e Gonzaguinha (Julio Andrade). O Rei do Baião, obstinado a abandonar a pobreza do interior do estado nordestino e a esquecer uma desilusão amorosa, sai de casa jovem e procura abrigo na cidade grande. No Rio de Janeiro, ele conhece a bela Odaléia (Nanda Costa), uma jovem por quem rapidamente se encanta. A cidade maravilhosa lhe faz as vezes de casa por quatro anos, mas ele não encontra sucesso nos palcos tocando valsas, foxtrotes, tangos e choros à boemia carioca. O retorno às raízes sertanejas é o início de sua trajetória exitosa e ele passa a tocar forrós ensaiados com o pai na adolescência.
O músico se estabelece na então capital federal e começa a fazer sucesso com seu acordeão. Pouco tempo após o nascimento de seu filho, sua esposa sofre complicações de uma doença. Preocupado com o futuro do menino, o embaixador do sertão deixa a criança aos cuidados de amigos e sai pelo Brasil afora em busca de trabalho e dinheiro para angariar melhores condições de vida ao guri. A distância entre eles, no entanto, mostra-se muito maior do que os quilômetros de cada estrada percorrida. O pai é nordestino e conservador, enquanto o filho é progressista e dono da malandragem carioca. Baseado em conversas realizadas entre os músicos, o roteiro mostra a história de encontros e desencontros familiares, de um amor que venceu o medo e o preconceito e resistiu à distância e ao esquecimento.

Neste episódio: O terceiro episódio dessa série baseada no filme “Gonzaga – De Pai Para Filho” acompanha a volta de Luiz Gonzaga para o nordeste tentando recuperar as suas raízes após a morte de Odaléia.

Faixa Musical – Paulo Jobim e Mario Adnet – Jobim, Orquestra e Convidados
Horário:SÁBADO, DIA 12, ÀS 18H
PRINCIPAL
Classificação: Livre

Sinopse: Os violonistas Mario Adnet e Paulo Jobim se reuniram para comemorar os 90 anos de Tom Jobim. Para homenagear o maestro, os artistas reuniram 35 músicos de uma orquestra e propuseram novas roupagens.

Cinejornal
Horário:SÁBADO, DIA 12, ÀS 21H
INÉDITO
Classificação: Livre

Sinopse: O Cinejornal é um programa semanal, apresentado por Simone Zuccolotto, no qual é pautado o melhor do cinema brasileiro.

MPB 73 – O Ano da Reinvenção
Horário:SÁBADO, DIA 12, ÀS 21H30
INÉDITO
Classificação: Livre

Sinopse: O ano de 1973 foi marcado por uma grande revolução na música brasileira. Depois da década anterior ter revelado grandes artistas como Gilberto Gil, Chico Buarque, Caetano Veloso, Elis Regina e Edu Lobo, entre tantos outros, nos épicos festivais da canção, o momento trouxe novas personalidades aos palcos nacionais. Em apenas 365 dias, os compositores do decênio anterior se consolidaram como nomes memoráveis da MPB e o Brasil foi apresentado aos discos de estreia de Secos & Molhados, Raul Seixas, Luiz Melodia, Gonzaguinha, Raimundo Fagner, João Bosco e Walter Franco. A série documental com direção artística de João Faissal, roteiro e direção de conteúdo de Celio Albuquerque resgata a importância do período na nossa cultura a partir do depoimento de músicos, jornalistas e historiadores.

O programa contextualiza o Brasil e o mundo no ano de 1973 para mostrar como o período foi fértil para a produção local. Cada episódio trata de um tema específico, como a censura do regime militar, a ascensão do samba na época, o rock brasileiro, a importância de icônicas capas de LP, a produção fora do eixo Rio-São Paulo e a renovação da bossa nova. Para isso, a atração convida músicos como Odair José, Charles Gavin e Roberto Menescal, além de jornalistas como Silvio Essinger, Paulo Cesar de Araújo e Renato Terra, para trazer detalhes dos bastidores da época. Cada depoimento é complementado por um extenso trabalho de pesquisa com apresentações e entrevistas de artistas que marcaram o ano e continuam fundamentais para a história da música brasileira.

Neste episódio: O episódio destaca o papel das capas dos discos com o aumento da produção fonográfica e relembra álbuns com projetos que marcaram época, como “Nervos de Aço”, de Paulinho da Viola.