Home Top Ad

TV Brasil exibe edição premiada do Caminhos da Reportagem sobre terceira idade

Share:

FOTO: Divulgação TV Brasil
O programa Caminhos da Reportagem apresenta neste domingo (10), às 19h30, na TV Brasil, a matéria especial "Idosos conect@ados" que conquistou o 8ª Prêmio Longevidade de Jornalismo Bradesco Seguros na categoria mídia digital.

Os ganhadores foram anunciados em novembro durante evento em São Paulo. A premiação foi recebida pela repórter Flávia Peixoto e pela produtora Gracielly Bittencourt, da TV Brasil. A reportagem foi ao ar originalmente na emissora pública em 26 de abril do ano passado.

O Caminhos da Reportagem mostra como os idosos têm acompanhado o aumento do acesso à internet no Brasil e no mundo. Dos 207 milhões de brasileiros, 29,6 milhões têm mais de 60 anos. Entre 2013 e 2016, o número de brasileiros acima de 60 anos que usou a internet no mínimo uma vez na vida passou de 3 milhões para 6 milhões. Entretanto, apenas 19% das pessoas da terceira idade no Brasil são usuárias de internet, segundo dados do IBGE e da pesquisa TIC Domicílios.

A produção jornalista entrevista idosos de hoje para mostrar como eles acompanharam ou não a transição da era analógica para a era digital. A equipe do programa ouve a opinião deles sobre o que a sociedade vem fazendo para permitir que idosos e jovens, os velhos de amanhã, sejam incluídos nesta vida cada vez mais tecnológica.

Personagens da terceira idade e especialistas

Os jornalistas da TV Brasil interagem com especialistas e com pessoas que têm mais de 60 anos e aderiram à tecnologia no dia-a-dia, como Malu Silva, a "vovó blogueira de Brasília". Ela criou um blog para acompanhar a evolução da tecnologia para se manter no mercado do trabalho.

Já a aposentada Rosa Pessina faz aulas particulares sobre uso de tecnologia há dois anos. O Caminhos da Reportagem revela também o perfil de pessoas que se incomodam com a velocidade da tecnologia, como Maria Leda Santos, que não tem um e-mail nem gosta de redes sociais.

A difusão das tecnologias, a inclusão ou a exclusão digital estão relacionadas também à questão da educação e da escolaridade. Entre as pessoas de 60 anos ou mais de idade, a taxa de analfabetismo chega a 20,4%, segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) de 2016.

De acordo com a pesquisadora Margô de Oliveira Karnikowski, da Universidade de Brasília, essas tecnologias não foram pensadas para que os idosos tivessem acesso a elas. A negação da velhice, nos dizeres da professora, "também se faz presente nas pessoas que desenvolvem as tecnologias".

O coordenador da pesquisa TIC Domicílios, Winston Oyadomari, completa. "Essa é uma das populações que tem o maior nível de exclusão no uso de internet hoje no Brasil. Então se quatro em cada cinco idosos não estão usando a internet, você não tem como pensar na internet universal para todos sem considerar as necessidades dessa população."