Home Top Ad

TV Brasil exibe longa "O Jeca e a Freira", de Amácio Mazzaropi, nesta quinta

Share:

Divulgação TV Brasil
Protagonizada e dirigida pelo ator e cineasta Amácio Mazzaropi, a comédia "O Jeca e a Freira" é a atração da faixa de filmes da TV Brasil nesta quinta (28), às 22h45.

A emissora pública exibe a versão em cores da história de humor produzida em 1967 e lançada no ano seguinte. O longa foi o sexto filme com direção do saudoso artista.

A trama de comédia "O Jeca e a Freira" se passa no século XIX em uma fazenda no interior do país onde um senhor de terras se responsabiliza pela educação da filha de um dos seus colonos.

O poderoso latifundiário Pedro (Maurício do Valle) toma a pequena criança Celeste do casal de caipiras colonos, Sigismundo (Amácio Mazzaropi) e Floriana (Geny Prado). O fazendeiro se afeiçoa e cria a menina como se fosse sua própria filha.

Alguns anos mais tarde, a adolescente Celeste (Paulette Bonelli) está de férias do colégio religioso e retorna à fazenda acompanhada da freira Irmã Isabel (Elizabeth Hartmann).

Pedro avisa aos pais dela que a moça continuará na casa dele e os ameaça de morte caso revelem a verdade. O fazendeiro faz de tudo para que a jovem não reconheça seus verdadeiros pais.

Com a ajuda do Coronel Orlando e dos filhos dele, Cláudio (Ewerton de Castro), Otávio (Roberto Perillo) e Sônia (Elizabeth Marinho), e do seu filho mais velho, Fernando (Carlos Garcia), Sigismundo e Floriana enfrentam Pedro e tentam contar à Celeste quem é sua verdadeira família.

O longa de humor traz dois números musicais com músicas de Elpídio dos Santos. No primeiro, Marita Luisi canta "Delírio Negro". Depois, o próprio Amácio Mazzaropi interpreta a canção "Jeca Magoado".

Trajetória de sucesso com clássicos nas telonas

Ícone da sétima arte no país, o comediante Amácio Mazzaropi é considerado até hoje um dos maiores atores brasileiros. Com tramas simples e um humor singelo, ele utilizou da figura do "Jeca" para fazer rir em produções que se tornaram clássicos da cinematografia nacional.

A trajetória do ator e diretor contempla 32 filmes produzidos entre 1952 e 1980. Mazzaropi chegou a atrair mais de oito milhões de espectadores em um único longa-metragem. Ele deu vida ao imortal e carismático estereótipo do homem do campo.

Jeca, seu personagem, caipira e ingênuo, mas com doses de malícia, conquistou a simpatia das massas populares, que garantiam as sessões lotadas em todos os seus filmes.

A estreia de Amácio Mazzaropi nas telonas foi em “Sai da frente” (1952), no papel de Isidoro, um motorista de caminhão que deixa o carro desgovernado em plena cidade de São Paulo.

A partir daí seguiu caminhando em pequenas, médias e grandes apresentações consolidando seu nome no cinema brasileiro, além de programas de televisão e nos palcos do teatro.

Em 1958, Mazzaropi funda a PAM Filmes (Produções AmácioMazzaropi), em modernos estúdios em Taubaté, e lá realizou 23 longas-metragens. Os maiores sucessos foram "Jeca Tatu" (1959) e "Casinha pequenina" (1963), ambos contabilizando oito milhões de pagantes cada.

O último trabalho do astro no cinema foi "O Jeca e a Égua Milagrosa", de 1980. No ano seguinte, morreu aos 69 anos, vítima de um câncer na medula antes de concluir a obra "Maria Tromba Homem", filme que ficou inacabado.