Home Top Ad

Animal Planet exibe o "Especial Mês da Terra" em celebração ao Dia da Terra

Share:

Cena de "Planeta Azul II"
Divulgação AP
O Animal Planet estende as comemorações do Dia da Terra às quartas-feiras de abril e a primeira de maio com o ESPECIAL MÊS DA TERRA, no ar a partir do dia 17. Semanalmente, das 21h30 em diante, o canal exibe uma sequência de episódios de três séries:  PLANETA AZUL II (Blue Planet II), ATLÂNTICO (Atlantic: The Wildest Ocean On Earth) e MÉXICO SELVAGEM (Wild Mexico).

A superprodução PLANETA AZUL II (Blue Planet II) inaugura o ESPECIAL MÊS DA TERRA às 21h30 da quarta-feira, 17. Narrada pelo ator Daniel de Oliveira, a série percorre o globo para documentar a força majestosa de mares e oceanos, as espécies que eles abrigam, e como esse ambiente aparentemente hostil para os humanos é também responsável por nossa existência.  O aparato técnico e tecnológico utilizado pela produção –  entre câmeras e lentes especiais e equipamentos submarinos operados remotamente – permitiu a observação das espécies inseridas em seus próprios habitats e dinâmicas.

No episódio que inicia a série e o ESPECIAL MÊS DA TERRA, PLANETA AZUL II vai dos trópicos aos polos. Nas águas tropicais, um filhote de golfinho aprende a imitar os animais mais velhos e a esfregar o corpo contra um coral para aproveitar-se de suas propriedades antibacterianas, um engenhoso peixe desafia aquilo que sabemos sobre esses animais ao abrir moluscos com a ajuda de uma “ferramenta”, e o peixe gigante que salta além da superfície para abater aves. Ainda na primeira semana, a série fala das mudanças drásticas e alarmantes: no Polo Norte, o gelo marinho no verão recuou 40% nos últimos 30 anos. Enquanto as correntes oceânicas ajudam a manter um clima favorável para a vida, não se sabe por quanto tempo os ecossistemas polares conseguirão manter-se estáveis.

Cena de "Atlântico"
Divulgação AP
Em seguida, às 22h20, ATLÂNTICO desvenda a riqueza da fauna e as batalhas pela vida que ocorrem da superfície às profundezas das águas atlânticas. Os episódios de uma hora percorrem os milhares de quilômetros que separam Ártico e Antártica – das águas rasas tropicais, às abissais; dos litorais ao alto mar; da calmaria às regiões sujeitas a grandes tempestades – para documentar a diversidade da vida de humanos e animais, no Oceano Atlântico.

O primeiro episódio começa no extremo norte, na costa norueguesa: lá, a aurora boreal encontra o oceano gelado em um espetáculo natural de luzes e cores. Debaixo do gelo, um cardume com bilhões de peixes se movimenta em rota migratória e atrai a atenção das gigantescas baleias jubarte e das orcas. Na superfície, gaivotas também se alimentam.

Esse fenômeno que leva profusão de vida nas águas inóspitas do Ártico acontece em consequência da Corrente do Golfo, que corta o Oceano Atlântico – os impactos dessa corrente e as espécies que dela dependem são temas do episódio inaugural.

Cena de México Selvagem
Divulgação AP
Finalizando a faixa de programação especial, MÉXICO SELVAGEM vai ao ar às 23h15 percorrendo aquele país em busca das peculiaridades de sua fauna, flora e história de suas civilizações ancestrais. A partir de uma combinação de fatores geológicos e climáticos, o México reúne paisagens e habitats únicos que os episódios documentam: são selvas tropicais exuberantes, desertos alaranjados, vulcões cobertos de neve, lagos azuis e rios profundos, todos repletos de vida.

No episódio de estreia, as grandes altitudes mexicanas estão em foco. A viagem começa em Serranias del Burro, região que integra a majestosa Sierra Madre – ali, uma família de ursos protege os filhotes. A Sierra Madre constitui a espinha dorsal do México, se estendendo por todo o país, da fronteira com os Estados Unidos à que separa o pais da Guatemala. Percorrendo porções desse vasto território, o episódio descobre os segredos abrigados pela Sierra Madre, hoje e no passado distante.