Home Top Ad

Um olhar sobre o mundo discute a rotina do Vale do Silício chinês

Share:

Divulgação TV Brasil
Se o Vale do Silício, na Califórnia, é conhecido por ser o lar de empresas de software como Google, Facebook e Adobe, Shenzhen, na China, se destaca por abrigar gigantes do hardware como Huawei, ZTE e DJI. Esta última domina mais de 70% do mercado mundial de drones e é nela que a brasileira Raíssa Mendes trabalha como gerente de comunicação.

O jornalista Moisés Rabinovici entrevista a executiva mineira no programa Um olhar sobre o mundo na madrugada desta terça (7) para quarta (8), à meia-noite, na TV Brasil. Durante a conversa, Raíssa Mendes conta como é trabalhar no crescente mercado de tecnologia da China.

Ela revela que muitos brasileiros já trabalham na região: "Existem várias comunidades de brasileiros, colombianos, argentinos e outros latino-americanos porque essa área de Shenzhen foi uma das primeiras áreas da China a se abrir para o Ocidente."

No caso específico de Shenzhen, a entrevistada explica como o crescimento econômico causado pela abertura influenciou a demografia da cidade. "É uma cidade com média de menos trinta anos. Os funcionários da DJI, inclusive, têm uma média de idade entre 27 e 30 anos."

Raíssa Mendes afirma que essa população de jovens profissionais já superou a reputação de "copycat" que a China possuía há alguns anos e hoje cria produtos originais para todos os orçamentos.

Apesar de já ser um pólo tecnológico consolidado, a brasileira defende que o "Vale do Silício" chinês ainda é um destino interessante para profissionais que procuram experiências diversificadas. "Acho que sempre existe espaço para jovens em busca de novas oportunidades", destaca.