Home Top Ad

Trilha de Letras recebe sociólogo italiano Domenico de Masi nesta terça na TV Brasil

Share:

Divulgação TV Brasil
Autor do conceito de "ócio criativo", o sociólogo italiano Domenico De Masi reflete sobre tempo e criatividade no bate-papo com a jornalista Katy Navarro para o programa Trilha de Letras desta terça (30), às 23h30, na TV Brasil.

O renomado escritor esteve no país em abril para um ciclo de palestras na Casa Firjan, no Rio de Janeiro. A produção literária da emissora pública aproveitou a passagem de Domenico de Masi pelo Brasil para gravar a entrevista que fica disponível no aplicativo EBC Play.

Domenico também fala sobre sua nova publicação. Ele está lançando o livro "Uma simples revolução", obra em que continua sua pesquisa sobre ócio, trabalho e criatividade. Em seu título mais recente, o sociólogo aprofunda o debate sobre essas ideias trazendo para a discussão conceitos como estética e afetividade.

O convidado acredita que a criatividade pode salvar a humanidade. "A criatividade é o que nos diferencia dos animais. O ócio é um fenômeno bem mais possível hoje. É a base da criatividade", defende. "Sem literatura e sem a música é impossível viver. Todos vivemos de literatura, mesmo quem não lê livros", sugere o ilustre autor europeu.

Durante a entrevista exclusiva para o programa de literatura da TV Brasil, Domenico de Masi critica a forma como as sociedades pós-industriais se relacionam com o tempo em relação aos antepassados.

Segundo o escritor, como usar o tempo é um dos desafios dos dias atuais. "Temos mais tempo que os nossos antepassados. Criamos máquinas que nos fazem poupar tempo, enriquecer o tempo, programar o tempo e, mesmo assim, temos a sensação de ter menos tempo e que ele nunca é suficiente", analisa.

Para Domenico, o homem enfrenta uma dialética. "O ser humano não é somente inteligente, é também idiota. Por um lado, inventa maneiras para viver mais, a medicina, a cirurgia, a farmacologia e as máquinas que mencionei. Mas também é idiota, pois cria mais compromissos do que ele pode dar conta e ao criar esses compromissos, possui sempre prazos. Os prazos são o oposto da felicidade", define.

Privacidade e solidão no mundo digital

Em tempos de redes sociais, internet, transmissão de dados e câmeras para todos os lados, o autor também questiona a privacidade nessa era contemporânea. "Temos que nos acostumar a viver em um mundo onde a esfera privada é muito mais restrita do que antigamente", afirma.

Domenico de Masi também atenta para a solidão nesse universo repleto de informações. "As mídias sociais permitem uma maior possibilidade de interação e, portanto, são um grande avanço para a humanidade pois de alguma maneira acaba a solidão. Se estou sozinho, mas tenho um celular, posso me comunicar com o mundo todo", pontua.

Ele também destaca outros benefícios da tecnologia. "Esses novos meios, especialmente a informática, não somente nos tiram a privacidade, mas tornam mais difícil a solidão, tornam mais difícil se perder, pois temos GPS que nos fazem saber onde estamos indo, nos ajudam a achar as notícias e os dados que precisamos, e nos ajudam a não ficarmos entediados, o que é um grande apoio que essas tecnologias nos dão", finaliza.

Outras visões sobre o tema

Para investigar o assunto, o programa também consulta o professor e escritor Godofredo de Oliveira Neto que também discute as questões abordadas na entrevista com Domenico de Masi sobre a relação do tempo com o trabalho e a criatividade.

No quadro "Leituras", a produtora Maíra de Assis lê um trecho do livro "Elogio à preguiça - série Mutações", organizado por Adauto Novaes. Na obra, muitos pesquisadores refletem sobre o conceito de preguiça: inimiga do trabalho ou berço da inventividade. Ela comenta essas diferentes perspectivas sobre o mesmo tema.

O Trilha de Letras traz, ainda abre espaço para novos autores no quadro "Dando a letra" que apresenta a obra da escritora Paula Giannini. Ela fala sobre algumas de suas publicações como o livro "Como a vida".