Home Top Ad

TV Brasil estreia série de documentários originais sobre luthiers neste sábado

Share:

Divulgação TV Brasil
Mãos generosas que criam arte, mas não recebem aplausos. Esses são os luthiers, artistas que estão por trás dos instrumentos que brilham nos palcos. Para desvendar o ofício desses profissionais, a TV Brasil estreia a série original própria de três documentários "Luthiers - Mãos que soam a vida" neste sábado (17), às 20h30.

Em edições semanais de 26 minutos, a produção inédita da emissora pública revela esse trabalho artístico de criação e restauro de instrumentos. A série documental tem horário alternativo aos domingos, às 20h30, e também está disponível no aplicativo EBC Play.

A primeira edição é dedicada às motivações e aos desafios para a fabricação centenária de instrumentos de cordas friccionadas. Os instrumentos dedilhados e de percussão ganham destaque nos documentários seguintes no ar pela TV Brasil nos dias 24 e 31 de agosto.

Nesse primeiro episódio da trilogia, os luthiers Andrea Spada, Jonas Caldas, Orlando da Motta e Túlio Lima contam a trajetória dos profissionais que confeccionam e consertam instrumentos de cordas friccionadas, ou seja, aqueles que são tocados com arcos e fazem parte da família dos violinos.

Com uma montagem que valoriza o trabalho artístico dos luthiers, a obra mescla esses depoimentos com a trilha sonora interpretada pelos músicos Carla Rincón, Hugo Pilger, Lui Coimbra, Leonardo Uzeda e Márcio Selles que participam do primeiro documentário e ratificam a importância dos luthiers para toda a produção musical.

Montagem poética une trilha e imagens

Em depoimentos exclusivos, os luthiers lembram como começou a prática desse ofício, explicam as técnicas adaptadas para os dias de hoje, analisam a escolha da madeira e comentam a relação com os donos dos instrumentos - os músicos que dão vida às suas criações.

Os luthiers revelam também os instrumentos raros que tiveram a missão de reparar, como o violoncelo utilizado por Heitor Villa-Lobos, um dos maiores músicos brasileiros de todos os tempos. Eles também destacam os desafios de se trabalhar no Brasil, por causa do difícil acesso à matéria prima e aos instrumentos próprios da luteria.

Com uma trilha sonora que acompanha os movimentos dos luthiers durante a manutenção artesanal dos instrumentos, o documentário abre um espaço poético para reflexão. A emoção é a tônica dessa produção original da emissora pública.

Os depoimentos são intercalados com os silêncios de fala preenchidos com a sonoridade dos instrumentos consertados pelos luthiers e trilha sonora interpretada pelos músicos convidados. Essa proposta potencializa os discursos e valoriza exatamente o trabalho dos luthiers.

Com cuidadosa composição de sons e imagens, os documentários contam com uma primorosa edição. Em "Luthiers - Mãos que soam a vida", a seleção e o arranjo dos depoimentos são concebidos de modo a ampliar e aprofundar gradualmente a imersão nessa temática instigante.

A trilha de abertura da produção inédita da TV Brasil traz uma obra de Radamés Gnattali, "Cantilena, 1939". A composição instrumental que abre o documentário "Luthiers - Mãos que soam a vida" é interpretada pelo Quarteto Radamés Gnattali.

Músicos e repertório

O documentário da TV Brasil tem, ainda, a participação de músicos experientes que celebram a importância dos luthiers e os homenageiam com suas interpretações de clássicos da música mundial.

A produção "Luthiers - Mãos que soam a vida" reúne personalidades como a violinista venezuelana Carla Rincón, radicada no Brasil, os violoncelistas Hugo Pilger e Lui Coimbra, o contrabaixista Leonardo Uzeda, além do músico Márcio Selles. 

Todos os artistas são integrantes ou convidados frequentes de importantes orquestras brasileiras. Ao lado de seus instrumentos, eles revelam como se dá a relação entre músico, luthier e instrumento.

Entre as músicas interpretadas exclusivamente no filme para homenagear os luthiers estão "Calix Bento" (Tavinho Moura), por Lui Coimbra e Carla Rincón; "Recitativo do 4º movimento da 9ª Sinfonia" (Ludwig van Beethoven), por Leonardo Uzeda; "Una Sañosa Porfía" (Juan Del Encina), pelo Quarteto de Cordas da UFF; "Sonata nº4 I. Allemanda" (Eugene Ysaye), por Carla Rincón; "O Trenzinho do Caipira" (Heitor Villa-Lobos), por Hugo Pilger; "Concerto para Violino e Orquestra" (Ricardo Tacuchian) pela Orquestra Sinfônica da UFRJ com Carla Rincón.

Ordem de exibição da série documental "Luthiers - Mãos que soam a vida"

17/8 - Cordas Friccionadas
24/8 - Dedilhados
31/8 - Percussão