Home Top Ad

Inédito no Brasil, "Maria Callas: Vida e Obra" conta a história da famosa soprano

Share:

Imagem/Divulgação Canal Curta!
Um dos grandes nomes da história da ópera, a soprano Maria Callas arrebatou o público com suas performances cheias de carga dramática, aliadas a uma bela voz. O documentário "Maria Callas: Vida e Obra", exibido pela primeira vez no Brasil pelo canal Curta!, conta a história de sua vida através de vasto material de arquivo.

O longa-metragem mostra que o drama esteve presente em sua vida desde a infância. Seus pais, imigrantes gregos que se estabeleceram nos Estados Unidos, queriam um menino e ficaram desapontados quando Maria nasceu. Sua mãe era muito exigente, e a relação das duas sempre foi conturbada. Na vida adulta, Callas teve um romance não menos turbulento com o milionário grego Aristóteles Onassis. Chegou a engravidar dele e abortar, segundo revela uma de suas amigas íntimas para a câmera dos diretores Alan Lewens e Alastair Mitchell.

Os episódios da vida pessoal da cantora tinham reflexo em suas atuações profissionais, e o filme não deixa nada de fora. Produzido em 1987, o documentário dá voz a várias personalidades que já não estão mais vivas. Entre os entrevistados, estão o diretor Franco Zeffirelli, o grande tenor Giuseppe di Stefano, o regente Carlo Maria Giulini, o pianista Robert Sutherland (que tocou com Callas em seu último recital, em 1974, no Japão), o agente S. A. Gorlinsky e muitos outros.  Estreia na Segunda da Música, 7/10, às 23h.
 
Série “Imortais da Academia” tem episódio inédito sobre Merval Pereira e a cadeira 31 da ABL
 
Desde 2011, o jornalista carioca Merval Pereira ocupa a cadeira 31 da Academia Brasileira de Letras. Ele é o principal entrevistado do episódio inédito da série “Imortais da Academia” enfocando aquela cadeira, com direção de Belisario Franca. Conhecido pela sua coluna de política no jornal O Globo, Merval conta que adorou cobrir polícia no início da carreira: “Eu era um garoto da Zona Sul que frequentei delegacia, morro”. Ele também opina sobre a liberdade de opinar: “Muita gente reclama que eu não sou imparcial. Eu não acho que a coluna tenha que ser imparcial. A coluna não pode distorcer fatos. (...) Eu queria que a coluna fosse um lugar de debate sobre o país”. Antes de Merval, sete outros grandes nomes da cultura nacional ocuparam a mesma cadeira, entre eles o advogado e poeta Pedro Luís Pereira de Sousa – o primeiro ocupante –, o poeta Cassiano Ricardo e os escritores José Cândido de Carvalho (autor de “O Coronel e o Lobisomem”) e Moacyr Scliar (que, além de premiado romancista, também foi colunista de jornais). Episódio inédito de Imortais da Academia, 10/10, às 20h.