Home Top Ad

Canal Brasil - Destaques da programação de 18 a 24 de novembro

Share:

Divulgação Canal Brasil
Conheça os destaques da programação do Canal Brasil de 18 a 24 de novembro.

SEGUNDA-FEIRA, 18 DE NOVEMBRO

OUTRAS BRASILEIRAS 
PRINCIPAL
Episódio: Trabalho
1º Horário: Segunda, dia 18/11, às 21h
Rebatidas: Quinta, dia 21/11, às 14h; e sexta, dia 22/11, às 7h30
Classificação: 14 anos

Sinopse: Série documental produzida pela AfroReggae Audiovisual e dirigida por Diego Dadalt, que retrata a vida de mulheres transexuais periféricas. Os cinco episódios são temáticos e apresentam, em cada um, um aspecto específico da rotina das muitas personagens convidadas a darem seus depoimentos. Os temas abordados são: 1) Corpo Político: Percepção sobre o feminino, falta de direitos, militância e registro civil; 2) Saúde: HIV, redesignação sexual, os preconceitos enfrentados na saúde pública, o mercado negro da hormonização e silicone industrial; 3) Laços: Relacionamentos, abandono familiar e religião; 4) Violência: Física, transfobia, cafetinagem e agressão policial; 5) Trabalho: Prostituição e inserção na sociedade legal.

Neste episódio: O episódio mostra como a prostituição torna-se o caminho para transgêneros conseguirem se sustentar e detalha os riscos dessa situação de marginalidade imposta pela sociedade.

ESPELHO 
PRINCIPAL
Convidado: Paulo Vieira
1º Horário: Segunda, dia 18/11, às 21h30
Rebatidas: Quarta, dia 20/11, às 13h30; e quinta, dia 21/11, às 7h
Classificação: Livre

Sinopse: Idealizado e apresentado por Lázaro Ramos, o programa segue sua busca pela pluralidade e atualidade, e, este ano, 14º no ar no Canal Brasil, tem como mote central o acolhimento e traz uma novidade: uma série de quatro episódios sobre religião tendo Monja Coen, Padre Vilson Groh, o pastor evangélico Henrique Vieira e a mãe de santo Egbomi Cici como convidados. Quem abre a temporada é Baco Exu do Blues. Lázaro recebe ainda convidados como: Fátima Bernardes, Péricles, Sophie Charlotte, Maíra Azevedo e Yuri Marçal, Poliana Abritta, Alexandre Nero e Luedji Luna. O humor também está bastante presente este ano, não só pela presença de humoristas como Thalita Carauta e Marcos Veras, mas também com convidados como Edy Star e Duh Moraes, que usam essa ferramenta como complemento para suas produções artísticas. Outra novidade é o quadro “Poesia no Espelho”, em que o poeta e influenciador digital baiano Jordan Villas Boas recita versos enquanto correm os créditos do programa.

Neste episódio: O comediante Paulo Vieira destaca a zona de conforto como maior inimiga de um artista, manifesta sua vocação pelo humor popular e relembra as dificuldades enfrentadas ao deixar o Tocantins.

A ARTE DO ENCONTRO
INÉDITO 
Convidada: Lucinha Araujo
1º Horário: Segunda, dia 18/11, às 22h
Rebatidas: terça, dia 19/11, às 13h30; e quarta, dia 20/11, às 7h
Classificação: Livre

Sinopse: Tony Ramos volta às telas do Canal Brasil na quarta temporada de “A Arte do Encontro”. Tony continua recebendo seus convidados para encontros espontâneos sem roteiro previamente estipulado. Mas a nova leva de episódios, dirigidos por Felipe Nepomuceno, vem cheia de novidades: além de ensaios, poesias, trechos de livros e peças de teatro – já presentes em anos anteriores –, roteiros de cinema e letras de música também serão lidos durante das entrevistas. Mais uma vez, o cenário é intimista, apenas com uma mesa e pouca iluminação, e o que prevalece é a arte. Entre os nomes presentes nesta temporada estão Miguel Falabella, Gregorio Duvivier, Claudia Abreu, Karine Teles, Jorge Furtado, Zezé Motta, Lucinha Araujo, Dan Stulbach, Conceição Evaristo e Osmar Prado. 

Neste episódio: “Existe glória maior que a imortalidade?”. Lucinha Araújo fala sobre a perenidade da obra de seu filho, o cantor Cazuza, e revela não se abalar com mais nada após a sua perda.

AMIGOS, SONS E PALAVRAS
INÉDITO 
Convidada: Andréia Sadi
Horário: Segunda, dia 18/11, às 22h30
Rebatidas: Quinta, dia 21/11, às 13h30; e sexta, dia 22/11, às 7h
Classificação: Livre

Sinopse: Com direção de Letícia Muhana e Patrícia Guimarães, e produção da Gegê Produções Artísticas, “Amigos, Sons e Palavras” tem direção de produção de Flora Gil e direção musical de Bem Gil. Mais uma vez, Gilberto Gil encontra amigos para encontros repletos de música, afeto e idéias – sem roteiro pré-estabelecido – e extrai de quem senta à sua frente histórias das mais variadas. “O fato de começar com uma música já é um elemento de conforto”, comenta. Este ano, ele recebeu nomes como Pedro Bial, Lilia Cabral, Patricia Pillar, Arnaldo Antunes, Fernando Haddad, José Celso Martinez Correa e seus filhos Preta e Bem, entre outros.

Neste episódio: A jornalista Andréia Sadi detalha as mudanças no ambiente político com as pressões das redes sociais e critica o quanto a mulher tem de se provar em relação ao homem para ser respeitada.
 
O SOM DO VINIL
INÉDITO
Episódio: Zélia Duncan - Zélia Duncan (1994)
1º Horário: Segunda, 18/11, às 23h
Rebatidas: Sexta, dia 22/11, às 13h30; e sábado, dia 23/11, às 7h
Classificação: Livre 

Sinopse: Charles Gavin se jogou de cabeça no universo feminino para traçar um panorama inédito da música brasileira sob a ótica de grandes mulheres, das mais diferentes gerações. A 13ª edição do programa O Som do Vinil apresenta entrevistas com 27 intérpretes, compositoras e musicistas. Este ano, as conversas vão além da arte, e questões de gênero, machismo e homofobia são discutindas pela primeira vez. “O meio da música ainda é muito machista e até hoje a mulher é muito associada ao ofício de cantora. Não existe na língua portuguesa o feminino da palavra ‘músico’. Eu chamo as artistas da música de musicistas, mas é uma licença poética”, diz Gavin, que reuniu uma equipe inteiramente formada por mulheres para esta temporada. A direção do programa é dele e de Gabriela Gastal.

Os episódios passeiam pela história de discos notáveis produzidos por artistas da nova geração, como a carioca Letrux e a baiana Xênia França, e de grandes damas como Elza Soares, Sandra de Sá, Leny Andrade e Gal Costa, que abre a temporada. O baterista e pesquisador ainda recebe personalidades como Roberta Sá, Fernanda Takay, Zélia Duncan, Leila Pinheiro, Joyce, Fátima Guedes, Simone, Dóris Monteiro e Joanna, Tia Surica e Aurea Maria, da Portela, entre outras. E joga luz sobre artistas que estão longe dos holofotes, como Sandra Pera, que depois de deixar As Frenéticas lançou um único LP solo, em 1983; Doris Monteiro, rainha do rádio, que ela fala sobre o disco “Sobre Doris Monteiro”, de 1969; e Eliana Pittman, que comenta o álbum “Tô Chegando, Já Cheguei”, de 1974, e sobre o ápice de sua carreira, quando tocou no Olympia de Paris e foi entrevistada por Jerry Lewis, em seu talk show.  
Neste episódio: “A gente já sabe que é assediada desde que nasce”. Zélia Duncan destaca os desafios que enfrentou na carreira por ser mulher e revela como o feminismo tem ganhado cada vez mais espaço em sua vida.

O PAÍS DO CINEMA
INÉDITO
Episódio: Legalize Já - Amizade Nunca Morre
1º Horário: Segunda, dia 18/11, às 23h30
Rebatidas: terça, dia 19/11, às 7h; e segunda, dia 25/11, às 13h30
Classificação: 14 anos

Sinopse: Andréia Horta volta ao papel de apresentadora de TV: pelo segundo ano, a atriz está à frente de “O País do Cinema”. No quarto ano da atração, a atriz recebe realizadores, diretores e intérpretes e coloca em pauta uma abordagem crítica e informativa da produção nacional. Este ano, o programa dirigido por Marcello Ludwig Maia foca sua atenção em filmes da mais recente safra do cinema brasileiro. Entre os filmes escolhidos para esta temporada estão trabalhos de artistas como Kleber Mendonça Filho, Gabriela Amaral Almeida, Murilo Salles, Marco Nanini, Andrea Beltrão, Walter Carvalho, Daniela Thomas e Andrucha Waddington. André Ristum e Arlindo Lopes falam sobre o drama A Voz do Silêncio (2018), estrelado por Marieta Severo. Affonso Uchoa e João Dumans comentam os pormenores de Arábia (2017) e Susanna Lira e Rita Sipahi emocionam a própria anfitriã com os detalhes de Torre das Donzelas (2018). Há ainda entrevistas com Daniela Thomas e Drica Moraes sobre O Banquete (2017) e com Camila Morgado e Ítala Nandi sobre Domingo (2018), entre outros. Para ilustrar as entrevistas, são exibidas cenas das obras e imagens de making of.

Neste episódio: “Estou vivendo o sonho de outra pessoa”. Johnny Araújo e Renato Góes, diretor e ator de “Legalize Já - Amizade Nunca Morre”, falam sobre a frase de Marcelo D2 que deu origem ao filme.

ELETROGORDO
INÉDITO
Convidado: Rodrigo Lima
1º Horário: Segunda, dia 18/11, à 0h
Rebatidas: Quarta, dia 20/11, às 14h15
Classificação: 14 anos

Sinopse: Personalidade irreverente da cultura pop brasileira, conhecido pelas letras anárquicas e apresentações explosivas nos palcos com os Ratos de Porão, João Gordo chega à quarta temporada de sua atração no Canal Brasil trazendo convidados ainda mais provocativos e questionadores. O cenário do programa dirigido por André Barcinski é o mesmo; o cantor continua comandando uma pequena oficina de eletrodomésticos cujos frequentadores trazem sempre um aparelho velho, mas o reparo pouco importa. Todos chegam ali para trocar dois dedos de prosa com o mecânico, em papos sobre a vida e a carreira, sempre com revelações bombásticas sobre suas histórias e comentários cômicos e curiosos.

João Gordo, que comanda a conversa praticamente sem cortes e sempre com um tom leve de amigos de longa data conversando, fez questão de escolher entrevistados – alguns indicados por sua filha, Victoria, de 14 anos – com um perfil confrontador. A lista inclui a ex-deputada e ex-candidata à presidência, Manuela D’Ávila; a jornalista, escritora e apresentadora de televisão Barbara Gancia; o poeta e romancista Ferréz; o compositor, ator e músico André Abujamra e uma seleta lista de personalidades do rap e hip-hop, como BNegão, Karol Conka, Preta-Rara e Rincon Sapiência – com destaque para o reencontro de Dexter e Afro-X, fundadores do icônico 509-E, que finalmente acertaram suas desavenças na oficina do apresentador. Adriane Galisteu, Danilo Beyruth, Dudu França, Edu Lane, Eliane Dias, Fernanda Lira e Gilliard, entre outros, também aparecem na loja com suas bugigangas.

Neste episódio: Rodrigo Lima, vocalista da banda “Dead Fish”, fala sobre as dificuldades do cenário do rock no Brasil e revela nunca ter se iludido com o melhor momento do grupo no início dos anos 2000.

TERÇA-FEIRA, 19 DE NOVEMBRO

FAIXA MUSICAL – Sidney Magal – Bailamos
1º Horário: Terça, dia 19/11, às 14h
Rebatidas: Quarta, dia 20/11, às 9h35; e quinta, dia 21/11, às 11h40
Classificação: Livre

Sinopse: O eterno Sidney Magal reúne clássicos que marcaram seus 50 anos de carreira, como o hino Sandra Rosa Madalena. Participações especiais de Ney Matogrosso, Alexandre Pires e Rogério Flausino.

TRANSMISSÃO 
INÉDITO 
Convidada: Mel
Horário: Terça, dia 19/11, à 0h
Rebatida: Quarta, dia 20/11, às 7h45 e às 21h40
Classificação: 12 anos

Sinopse: Linn da Quebrada e Jup do Bairro são duas das mais revolucionárias personalidades da nova geração da cultura brasileira. Suas apresentações de rap nas periferias são incendiárias e críticas, com letras focadas nos dilemas do universo LGBTQI, na desigualdade social e questões raciais. Suas trajetórias encantaram os documentaristas Kiko Goifman e Claudia Priscila, diretores de Bixa Travesti (2018), no qual elas expõem suas rotinas e mostram como suas posturas nos palcos visam desconstruir estereótipos de gênero, raça e classe. Novamente juntos, cineastas e cantoras estrelam o novo programa da faixa da meia-noite no Canal Brasil, dando sequência ao bastão passado por Laerte Coutinho em Transando com Laerte, que se despede da grade depois de quatro temporadas.

O talk show comandado pelas plurais artistas traz convidados para um bate-papo irreverente, no qual questões de gênero, sexo e raça são frequentemente abordadas, mas não limitadoras a conversa. O papo com Laerte Coutinho fala sobre transexualidade, mas também aborda relacionamentos amorosos e religião. Com a funkeira MC Carol, elas discutem a influência do rap na periferia e a descoberta da veia artística. A deputada Erica Malunguinho fala sobre a dificuldade de pessoas trans em ocupar espaços de poder, tanto na política quanto na academia, e a atriz Glamour Garcia fala sobre aceitação da personalidade. Há espaço ainda para os músicos Jards Macalé, Tom Zé e Letrux, o ex-prefeito Fernando Haddad, a cineasta Anna Muylaert, o ex-jogador de futebol Vampeta e a chef de cozinha Paola Carosella, entre outros.

Neste episódio: A cantora Mel fala sobre o processo violento de construção de sua “mulheridade”, quando fugia de sua identidade de gênero e se obrigava a ter um comportamento masculino pelas pressões que sofria.

QUARTA-FEIRA, 20 DE NOVEMBRO

PAUSA PRO CAFÉ
INÉDITO
Episódio: Em Busca de Lélia
1º Horário: Quarta, dia 20/11, às 19h30
Rebatida: Segunda, dia 25/11, às 12h30; e terça, dia 26/11, às 7h30 
Classificação: 16 anos 

Sinopse: Em Pausa pro Café, o ator Humberto Carrão apresenta premiados curtas-metragens que tiveram berço nas faculdades nacionais de cinema e entrevista seus respectivos diretores. A quarta temporada da série busca descobrir as motivações de cada cineasta. Muitas das películas exibidas surgiram como projetos de conclusão de curso ou até mesmo trabalhos para uma matéria da grade curricular. Com orçamentos mínimos, contemplando, muitas vezes, apenas o custeio de alimentação e transporte da reduzida equipe; e recursos limitados aos equipamentos disponíveis nas universidades e tempos de produção escassos – já que os alunos tinham diversas matérias a serem finalizadas –, o programa registra como o principal fator para um cinema bem feito é ter uma boa história para contar. 

Neste episódio: Lélia Gonzalez. Professora e antropóloga, mulher à frente do seu tempo, ela foi protagonista na militância junto ao Movimento Negro nos anos 1970 e 80.

PORNOLÂNDIA
INÉDITO
Episódio: Não É Fantasia, É Cosplay
1º Horário: Quarta, dia 20/11, à 0h
Rebatida: Terça, dia 26/11, às 3h25
Classificação: 16 anos 

Sinopse: A musa da pornochanchada Nicole Puzzi retorna à tela do Canal Brasil em entrevistas picantes, com membros do universo da pornografia e do erotismo no país. Sempre em tom irreverente, a apresentadora discute abertamente temas como fetiche, sensualidade, nudez artística e o mercado brasileiro de filmes adultos. A anfitriã está ainda mais curiosa e provocativa no quinto ano do programa, seja investigando as práticas sexuais menos comuns, revendo os velhos amigos ou conversando com figuras da indústria pornô. 

Neste episódio: “Cosplay não é consentimento”. A atriz Thuany Salvioli fala sobre a hipersexualização do seu trabalho como cosplayer e explica o tesão em homenagear os seus personagens favoritos.

QUINTA-FEIRA, 21 DE NOVEMBRO

502 
INÉDITO
Convidado: Andrew
1º Horário: Quinta, dia 21/11, à 0h
Rebatida: Domingo, dia 24/11, às 4h45
Classificação: 14 anos

Sinopse: Fotógrafo consagrado pelo olhar perspicaz e retratos impactantes em preto e branco, Jorge Bispo recebe em seu apartamento, há seis anos, mulheres comuns que toparam tirar a roupa à frente de sua câmera. Longe dos rígidos padrões de beleza estabelecidos pelas celebridades por ele já clicadas, cujas fotos estamparam capas das principais publicações do país, Bispo trouxe à tela uma iniciativa artística e minimalista. Pela segunda vez, no entanto, o projeto dá um passo adiante, extrapola as paredes do apartamento, sobe dois pavimentos e estreia, no quinto andar, o 502, no qual os homens perdem as vestimentas e enfrentam os dilemas da nudez masculina. A temporada, que começou com as mulheres, divide-se, então, em dois momentos distintos, fazendo um panorama mais amplo de como a questão é vista pela sociedade.

Indo além do corpo de cada modelo, o espectador vai explorar detalhes de suas personalidades. À frente da câmera, todos eles se despem, tanto fisicamente quanto emocionalmente, expondo os traços escondidos pelas roupas. “O programa vai muito além do corpo”, revela Bispo. “A gente tem temas como racismo, violência e problemas sociais do próprio país, questões que são mais importantes para a nossa sociedade do que somente o corpo. Esse é um programa sobre questões que vão muito além da exposição da nudez”, afirma, lembrando que a palavra-chave da nova temporada é diversidade. “Temos personagens negros e brancos, pessoas de estados diferentes do Brasil, gêneros – temos um episódio com um personagem trans – e acho que isso está tudo abraçado. A gente tem um trabalho de pré-produção muito grande. Temos personagens que nos procuram e pesquisadoras que vão atrás de personagens. No fim, há uma mescla disso”, conclui.

Neste episódio: “O HIV não me define, é parte do que sou”. Andrew conta ter visto um futuro perdido quando descobriu ser soropositivo e manifesta sua escolha pela vida e seu propósito de fazer a diferença.

SEXTA-FEIRA, 22 DE NOVEMBRO

TODA FORMA DE AMOR
INÉDITO
Episódio: 05
Horário: Sexta, dia 22/11, às 22h30
Rebatidas: Domingo, dia 24/11, às 2h; terça, dia 26/11, à 0h15; e domingo, dia 01/12, às 1h15
Classificação: 16 anos

Sinopse: Dirigida por Bruno Barreto, a série “Toda Forma de Amor” aborda de forma corajosa e direta o universo LGBTQi. O roteiro original de Marcelo Pedreira apresenta múltiplas possibilidades de afeto entre personagens de sexualidade fluida, numa história que tem ainda, como pano de fundo, uma sequência de assassinatos. "A série lida com questões muito atuais, que são texto e não contexto. É sobre a condição humana. Não importa qual o seu gênero ou orientação sexual. No final, todos queremos a mesma coisa", diz Bruno Barreto. 

Na trama, Daniel (Romulo Arantes Neto) é um empresário da noite à beira da falência. Filho do pastor Roberto Alvim (Juan Alba), ele enxerga uma saída para seu negócio ao transformar a boate na Trans World, uma casa noturna voltada para o público LGBTQI. Seu sócio nessa empreitada é Milinho (Daniel Infantini), uma drag queen prestes a se casar com Claudio (Otavio Martins), coordenador de políticas LGBT de São Paulo. O secretário tem uma missão desafiadora pela frente: descobrir quem é o assassino em série responsável pela morte de diversas travestis no centro da cidade, junto com Pedro (Alexandre Cioletti), policial responsável pelo caso. 

A linda DJ Marcela (Gabrielle Joie) trabalha na boate, onde conhece Daniel, e é uma das integrantes do grupo de terapia liderado pela psicóloga Hannah (Guta Ruiz). Milinho, o crossdresser heterossexual Paulo (Eucir de Souza), a transexual Bianca (interpretada pela atriz trans Wallie Ruy) também fazem parte do grupo. Em seu consultório, Hannah também atende ao casal Clara (Christiana Ubach) e Pedro, que atravessam um período conturbado no casamento.

Neste episódio: Marcela visita a família após anos e Daniel a acompanha. O casamento coletivo na “Trans World” termina de forma inesperada após a chegada do pastor Alvim. Clara se desespera com a sua descoberta.