Home Top Ad

Canal Like - Destaques da programação de 02 a 08 de novembro

Share:

Conheça os destaques da programação do Canal Like de 02 a 08 de novembro.

ESTREIA – CINEVITOR APRESENTA

Divulgação
O Canal Like anuncia mais um reforço pro time do canal de dicas mais querido do país: CINEVITOR, apresentado por Vitor Burigo, que traz dicas de tudo que acontece no cinema em São Paulo. O reforço já chega falando da 43ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo e dos dois filmes brasileiros que se destacaram na programação. Um deles é ‘Babenco  – Alguém Tem que Ouvir o Coração e Dizer: Parou’’, de Bárbara Paz, documentário vencedor do prêmio de melhor documentário sobre cinema no Festival de Veneza, que mostra os últimos dias de Hector Babenco, diretor argentino naturalizado brasileiro, que foi casado com a atriz por seis anos, e faleceu em 2016. “É um prazer exibir este filme em São Paulo, Hector, embora argentino, se definia paulistano. Ele amava o Teatro Municipal, era uma casa pra ele. Estou honrada, emocionada”, contou Bárbara. 

Outro destaque foi ‘Depois a Louca Sou Eu’, dirigido por Julia Rezende, com Débora Falabella, um retrato da ‘geração rivotril’. “O filme chegou a mim de uma forma especial. Já tinha lido um livro e conhecia o trabalho da Tati (Bernardi, autora do livro que inspirou o filme), que já tinha dito que se fizesse um filme queria que eu fizesse. Então, veio o convite da Julia. É um assunto contemporâneo, muita gente se identifica, uma personagem maravilhosa com muita coisa pra trabalhar, adorei viver essa personagem que não tem medo de falar de suas mazelas”, resumiu a atriz.

Serviço:
Canal Like: 530 da NETClaro
No ar a partir de 02 de novembro – 10h -  Ter, Qui e Sábado  

CULTURA POP BRASIL

Divulgação
No programa da semana, Gabriel Wainer fala sobre a arte como resistência e cita o surgimento do Rap e suas mensagens de liberdade e abaixo a um governo opressor. “Infelizmente, onde tem liberdade tem gente incomodada’, resume o apresentador, que lista as peças da cultura pop que sofreram censura. A lista começa com livros como 1984, de George Orwell,  Admirável Mundo Novo, de Aldous Huxley e Fahrenheit 451, de Ray Bradbury, que Gabriel define como ‘livros desafiadores que falam sobre um futuro com regimes totalitários’ e emenda com a censura que também chegou aos quadrinhos – como o iraniano Persépolis, de Marjane Satrapi.

A pauta chega ao solo brasileiro e relembra a época da Ditadura e de obras censuradas, como as da Cassandra Rios, que teve 33 das suas 36 obras censuradas. No cinema, Gabriel lembra do Cinema Novo, e cita “Laranja Mecânica”, que só foi liberado para ser exibido no Brasil em 1978. Para finalizar, o apresentador cita duas falas que ilustram o que vivemos: “Se a liberdade significa alguma coisa, será sobretudo o direito de dizer às outras pessoas o que elas não querem ouvir, de George Orwell e “Há mais de uma maneira de queimar um livro e o mundo está cheio de pessoas correndo com fósforos acesos”, de Ray Bradbury.

Serviço:
Canal Like: 530 da NETClaro
No ar a partir de 02 de novembro – 15h - Ter, Qui e Sábado

ENTREVISTA – A VIDA INVISÍVEL

Divulgação 
O Canal Like entrevista Karim Ainouz, diretor de ‘A Vida Invisível’, candidato brasileiro a uma vaga no Oscar 2020, que conta a história de duas irmãs Invisíveis em uma sociedade paternalista e conservadora tentando lutar contra as forças sociais que insistem em frustrá-las. “Era um projeto que apresentou pontos de identificação com várias mulheres, são muitos femininos diferentes, que foram me contaminando ao longo do processo”, resume o diretor. Que ainda fala sobre a escolha de Fernanda Montenegro para o filme: “Mandei uma carta explicando o que seria, achando que ela não iria topar, mas ela topou. Ela cria um campo magnético dentro e fora do filme”.

Bárbara Santos, que interpreta Filomena, também falou ao canal: “A experiência branca é melancólica e a negra é um desafio, você é obrigado a aceitar. Acho que a Filomena traz isso só que ela engana e supera o sistema”, resumiu. No papel de Eurídice jovem, Carol Duarte  traça um panorama da personagem: “Ela não verbaliza as coisas, sofre uma violência surda naquele apartamento da década de 50, que reflete mesmo a vida que ela levou”, disse.

Serviço:
Canal Like: 530 da NETClaro
No ar a partir de 02 de novembro - 20h - Seg, Qua, Sex e Sábado

TELAVIVA POCKET NEWS

Divulgação
No noticiário semanal do mercado audiovisual de Felipe Bond, o apresentador fala sobre a Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, destacando as oito coproduções do Canal Brasil que participaram do evento, como ‘A Vida Invisível’, de Karim Aïnouz  representante brasileiro na disputa por vaga no Oscar e ‘Babenco’, de Bárbara Paes. ‘A Menina que Matou os Pais” e “A Menina que Matou Meus Pais”, filmes que narram as duas versões para o crime da família Richthofen, uma de Suzane e a outra do então namorado, Daniel Cravinhos, também são citados.

“O Que Odiamos”, série produzida por Spielberg e o premiado documentarista Alex Gibney, que tem como tema central o ódio, teve estreia simultânea no canal Discovery e na TV Cultura.

Serviço:
Canal Like: 530 da NETClaro
No ar a partir de  02 de novembro – 00h- Seg, Qua, Sex e Sábado