Home Top Ad

Canal Brasil - Filmes em destaque na programação de 23 a 29 de dezembro

Share:

Divulgação Canal Brasil
Conheça os destaques da programação do Canal Brasil de 23 a 29 de dezembro.

SEGUNDA-FEIRA, 23 DE DEZEMBRO

Hilda Hilst Pede Contato (2018) (73’)
INÉDITO E EXCLUSIVO
Horário: Segunda, dia 23/12, às 18h50
Classificação: 12 anos
Direção: Gabriela Greeb

Sinopse: Apaixonada pela obra da poetisa Hilda Hilst, uma das mais brilhantes personalidades da literatura brasileira, a cineasta Gabriela Greeb encontrou na mítica Casa do Sol, residência da escritora, a inspiração para seu mais recente filme. No local, havia uma caixa com fitas cassete intactas com mais de 100 horas de gravação, nas quais a antiga moradora tentava se comunicar com amigos e parentes já falecidos. A partir desse material, a diretora construiu o roteiro de seu mais recente trabalho, um documentário com pinceladas de dramaturgia sobre a memória do legado de Hilda.

TERÇA-FEIRA, 24 DE DEZEMBRO

Medianeras – Buenos Aires na Era do Amor Virtual (2011) (90’)
[Latinidades]
Horário: Terça, dia 24/12, às 22h
Classificação: 12 anos
Direção: Gustavo Taretto

Sinopse: Com o fim de seus respectivos relacionamentos, Martín (Javier Drolas) e Mariana (Pilar López de Ayala) estão deprimidos e se veem passando por um período de readaptação, tanto à solidão quanto à “solteirice”. Ambos buscam um novo romance, mas pouco saem de casa. Fora isso, encontrar um amor não é tarefa fácil quando se tem uma porção de neuroses e manias, de modo que apelar para o mundo virtual parece ser a solução. Medianeras conta a história de Martín, Mariana e seus desencontros. Eles vivem na mesma cidade, em apartamentos um de frente para o outro, mas nunca conseguem se encontrar. Acabam se conhecendo online, numa sala de bate-papo, mas na vida “off-line” se cruzam sem saber da existência um do outro. Afinal, Buenos Aires tem três milhões de habitantes.

QUARTA-FEIRA, 25 DE DEZEMBRO

A Juíza (RBG) (2018) (99’) 
 [É Tudo Verdade]
Horário: Quarta, dia 25/12, às 20h
Classificação: Livre  
Direção: Julie Cohen e Betsy West

Sinopse: Ruth Bader Ginsburg é uma celebridade do universo político norte-americano. Juíza da Suprema Corte do país – a mais alta patente do Direito estadunidense – conhecida por sua postura liberal, pela luta por igualdade de gênero e raça e pela eloquência ao lançar suas sentenças, ganhou notoriedade e popularidade, quase como uma estrela do rock, em mais de meio século nos tribunais. Sua trajetória é contada nesta película de Julie Cohen e Betsy West indicada ao Oscar em 2018 – melhor documentário e trilha sonora original – e vencedora de outros nove prêmios em festivais nacionais e internacionais. Por seu avassalador sucesso mundo afora, o filme estreia a nova fase da sessão É Tudo Verdade, que mantém o princípio de mostrar o melhor da produção nacional recente, agora agregando obras internacionais de grande relevância.

QUINTA-FEIRA, 26 DE DEZEMBRO

Morto Não Fala (2019) (111’)
INÉDITO E EXCLUSIVO
Horário: Quinta, dia 26/12, às 21h35
Classificação: 16 anos
Direção: Dennison Ramalho

Sinopse: Stênio (Daniel de Oliveira) é um plantonista do IML com uma habilidade especial e perfeita para o cargo: ele consegue conversar com os mortos. Todos os dias, os novos hóspedes das câmaras frias lhe contam suas últimas palavras, explicam o motivo do falecimento e tentam passar um recado final para entes ou amigos queridos. Há apenas uma regra para essa dádiva não se tornar uma maldição: não repassar nenhum segredo. A lei é obedecida à risca até um cadáver o revelar que Odete (Fabíula Nascimento), sua esposa e mãe de seus filhos, tem um caso com Jaime (Marco Ricca), dono de uma padaria no bairro onde mora. Ao misturar a vida pessoal com a profissional, o retraído legista vai quebrar a ordem, vazar a confidência e transformar sua vida em um verdadeiro inferno.

SEXTA-FEIRA, 27 DE DEZEMBRO

Berenice Procura (2018) (88’) 
 [Cinema em Outras Cores]
Horário: Sexta, dia 27/12, às 23h15
Classificação: 14 anos
Direção: Allan Fiterman

Sinopse: Berenice (Claudia Abreu) herdou um táxi do pai e encontrou, rodando pelas ruas do Rio de Janeiro, uma forma de sair da monotonia do casamento com Domingos (Eduardo Moscovis), um jornalista rude no trato com ela e com o filho, Tiago (Caio Manhente). Entre uma corrida e outra, a motorista se depara com o mistério do assassinato de Isabelle (Valentina Sampaio), uma cantora trans que se apresenta em shows performáticos em boates alternativas do submundo de Copacabana. A artista foi achada morta na orla do bairro e as pistas encontradas pela polícia estão levando a poucas e imprecisas conclusões. Curiosa para saber o verdadeiro autor do crime e com tempo suficiente nas mãos para brincar de detetive, a taxista começa a vasculhar vestígios do homicídio.

SÁBADO, 28 DE DEZEMBRO

Cazuza – O Tempo Não Para (2004) (97’)
Horário: Sábado, dia 28/12, às 19h15
Classificação: 16 anos
Direção: Sandra Werneck

Sinopse: A vida louca e breve do rockeiro Cazuza é o foco da cinebiografia dirigida por Sandra Werneck em parceria com Walter Carvalho. A sede de liberdade permeava a trajetória de Cazuza (Daniel de Oliveira). Embalado por canções que marcaram uma geração, o longa-metragem acompanha a carreira do cantor e compositor, desde o encontro com o grupo Barão Vermelho até o precoce desfecho causado pela Aids, em 1990. Adepto da experimentação, o artista vivia intensamente. Sempre ao lado do filho, Lucinha Araújo (Marieta Severo) foi o pilar da resistência de Cazuza frente ao vírus HIV. Corajosamente, o músico encarou a doença e não abriu mão dos poucos prazeres que lhe restavam.

DOMINGO, 29 DE DEZEMBRO

Carandiru (2003) (146’)
Horário: Sexta, dia 29/12, às 23h05
Classificação: 16 anos
Direção: Héctor Babenco

Sinopse: Um médico (Luiz Carlos Vasconcelos) se oferece para realizar um trabalho de prevenção a AIDS no maior presídio da América Latina, o Carandiru. Lá ele convive com a realidade dos cárceres, que inclui violência, superlotação das celas e instalações precárias. Porém, apesar de todos os problemas, o médico logo percebe que os prisioneiros não são figuras demoníacas, existindo dentro da prisão solidariedade, organização e uma grande vontade de viver.