Home Top Ad

Carlinhos Brown: leveza e experiência nas tarde de domingo, com o 'The Voice Kids'

Share:

Divulgação Globo/Victor Pollak
Carlinhos Brown é um veterano quando o assunto é The Voice. No dia 05 de janeiro, o cantor e compositor estreia sua quinta temporada como técnico do 'The Voice Kids'. Cuidadoso com os pequenos, o artista acredita que sua principal função no reality musical seja dar segurança aos talentos, nunca deixando de lado a sinceridade. "Meu papel como técnico é confortar o máximo possível para que eles saiam seguros. Tem um jogo, mas o 'The Voice Kids' é também uma brincadeira e, por isso, tem que ser leve. Também é preciso ser sincero, o mais verdadeiro possível dentro da experiência. Não adianta a gente simplesmente encobrir os erros, porque assim elas não aprendem ou, pior, saem achando que acertaram. E, hoje, estamos ajudando na preparação dessas crianças para a música", conta Brown. Abaixo, confira a entrevista com o técnico, em que ele fala sobre sua expectativa para mais uma temporada do programa.   
Entrevista com Carlinhos Brown
Você é um veterano no The Voice. Como está a expectativa para o início de mais uma temporada no Kids?
Por mais que tenhamos alguma experiência no programa, a experiência sempre virá das vozes das crianças que participam. Elas sempre trazem o novo. A expectativa é que nós, técnicos, saibamos responder os desejos e anseios delas, que já cantam bem. Queremos que essas crianças estejam bem confortáveis para se divertir nas tardes de domingo e deixar todos nós, público, emocionados nas tardes de domingo. 
Você falou em emoção... Quais sentimentos essas crianças, em suas apresentações, despertam nas pessoas e em vocês, técnicos? 
Elas despertam uma revisão do começo pessoal em cada um de nós. A criança traz novidades em tudo o que faz. Elas cantam o amor de um jeito diferente, mesmo que a música seja um grande clássico. Tudo se renova através dela. É lindo saber que a criança tem essa capacidade de nos fazer de novo crianças e, sobretudo, nos fazer rever os nossos começos. 
Qual você acredita ser o principal papel de um técnico para essas crianças e pré-adolescentes?
Meu papel como técnico é confortar o máximo possível para que eles saiam seguros. Tem um jogo, mas o The Voice Kids é também uma brincadeira e, por isso, tem que ser leve. Não podemos forçar a natureza. E claro, também é preciso ser sincero, o mais verdadeiro possível dentro da experiência. Não adianta a gente simplesmente encobrir os erros, porque assim elas não aprendem ou, pior, saem achando que acertaram. E, hoje, estamos ajudando na preparação dessas crianças para a música. Aquelas que devem seguir nesse mercado, devem fazê-lo através da disciplina e isso é uma responsabilidade do técnico. 
Tem algum conselho que você recebeu ou que gostaria de ter recebido no início da sua carreira e que sempre faz questão de passar para eles?
Ao cantar, nós estamos passando por um experimento. É onde a gente deve deixar a alma conduzir. Mas, para isso, é preciso se preparar, se antever, para que a emoção escorregue naturalmente, sem engasgos. É importante aquecer a voz, dormir bem, se concentrar, estudar a letra e a música. 
O que o público pode esperar desta quinta edição do 'The Voice Kids'?
Nós queremos oferecer um show nas tardes de domingo, queremos entreter. Queremos apresentar para o país esses novos talentos: novos intérpretes, compositores, apresentadores, artistas. A música às vezes pode ser um veículo para todas essas funções. 
A quinta temporada do 'The Voice Kids', que estreia no dia 05 de janeiro, tem apresentação de André Marques, com Thalita Rebouças nos bastidores, e direção-geral de Flavio Goldemberg.