Home Top Ad

TV Brasil recebe duplas de veteranos da música caipira neste domingo

Share:

Divulgação TV Brasil
O programa Brasil Caipira valoriza o talento e a tradição de veteranos da música sertaneja de raiz neste domingo (19), às 9h, na TV Brasil. O anfitrião Luiz Rocha recebe para o dedo de prosa e a cantoria convidados que formam uma verdadeira embaixada de violeiros.

A produção conta com as duplas Baltazar Violeiro & Martinho, Avaré & Jatay e Tião Mineiro & Zé Paulista no estúdio da emissora pública. Durante o papo com o apresentador, os artistas mostram vasto repertório num ambiente de boa música e prosa descontraída. Disponível no aplicativo EBC Play, o programa ainda é veiculado pela Rádio Nacional.

Com anos de estrada, Baltazar Violeiro & Martinho já têm história juntos. A dupla, também é conhecida como os Irmãos Bontempo, é formada por Luís Carlos Martins Bontempo e André Luís Martins Bontempo.

Os dois já tiveram parceria com outros artistas e recordam histórias da trajetória país afora. A dupla conta que já tem dois CDs gravados. Entre um caso e outro, eles entoam "Pego pesado", "Boi de carro" e "Terra sonhada" na edição inédita do programa.

Mineiros, os irmãos Avaré & Jatay iniciaram a carreira em 1982, em Goiânia. Desde então, há mais de três décadas, eles fazem shows e apresentações em eventos, casas noturnas e festivais.

João Batista, o Jataí da dupla original, faleceu em 2016. Três anos depois, Avaré retoma a dupla com o novo Jatay, Francisco Donizete Gonçalves, que é autor da moda que deu nome ao primeiro CD da nova formação: "Presente de Deus", lançado em fevereiro.

Durante o Brasil Caipira dessa semana, Avaré & Jatay tocam diversas composições. O repertório da dupla inclui músicas como "Alerta do Criador", "Legítimo doutor" e "Caboclo de tradição".

Tião Mineiro & Zé Paulista são veteranos que não moram na mesma cidade. Tião Mineiro é de Santa Branca, região da grande Belo Horizonte, enquanto Zé Paulista vive em Salesópolis, em São Paulo.

Apesar da distância, a dupla se formou há cerca de 20 anos. Mesmo não tendo nenhum trabalho gravado, os amigos continuam cantando por prazer, sem preocupações com a carreira. Eles tocam "Roceiro não é palhaço", "Rei do pagode" e "Meu pequeno território".