Home Top Ad

Vinheta do Carnaval Globeleza celebra a diversidade e a sustentabilidade

Share:

Divulgação Globo/Fábio Rocha
A festa que abraça as mais diferentes expressões regionais do Brasil, etnias e idades é celebrada na nova vinheta do 'Carnaval Globeleza', que estreou no domingo, dia 12, no intervalo do 'Fantástico'.

A bailarina Erika Moura tem a companhia de diferentes foliões que representam o Carnaval do país, com todos os seus ritmos e tradições, e figurinos confeccionados a partir de material reciclado são destaque no trabalho.
No filme, Erika Moura usa três fantasias: "madrinha da bateria", feita a partir de acetato reciclado de garrafas pet; "festa do boi", com rolos de papel higiênico e latinhas coloridas; e "afoxé", com plástico reciclado coberto com cetim colorido. "Participar da vinheta deste ano foi ainda mais divertido. O figurino trazer essa conscientização do cuidado com o futuro e com o meio ambiente também me alegrou muito, já que fui professora de educação ambiental", conta Erika. 
As fantasias dos foliões, que remetem a blocos de rua, escolas de samba, maracatu, afoxé, frevo e festas do boi; e o figurino lúdico das crianças são feitos a partir de materiais descartados que se transformam em arte. "Fizemos muita pesquisa e testes para ressignificar materiais como bexigas, cadeiras de praia, sacolas e tampinhas, sem perder a fluidez, o brilho e o movimento que o figurino carnavalesco pede", diz a figurinista Rita Comparato.
A diversidade da festa é outro ponto alto vinheta. "A presença também de crianças representa essa diversidade e harmonia, mantendo viva a cultura do Carnaval brasileiro e, ao mesmo tempo, relembrando que essa festa é de todos", explica o diretor geral Alexandre Romano. 
O cenário, de início é  circular, como se fosse um carrossel de pequenos sets. Ao final, há uma integração entre todos eles. "O cenário é uma interpretação dos carnavais do país, de uma forma mais abstrata, minimalista, com formas geométricas inspiradas nas cores da marca Globo, trazendo um ambiente mais aberto", explica Roberto Stein, diretor de arte.