Home Top Ad

Ao lado de Chico Pinheiro, Michelle Barros estreia no comando da transmissão dos desfiles do Grupo Especial de São Paulo

Share:

Divulgação Globo/Fábio Rocha
Já são 20 anos trabalhando, cobrindo e se divertindo no Carnaval de São Paulo. Em 2020, Chico Pinheiro comanda novamente a transmissão dos desfiles do Grupo Especial, que a Globo transmite hoje e amanhã para todo o Brasil, menos Rio de Janeiro, mas desta vez com uma nova parceira: a jornalista Michelle Barros. Nascido no Rio Grande do Sul e mineiro de coração, Chico adotou o carnaval paulista: “Houve muita evolução nessas duas décadas. Não há ano em que não se note avanços, em todos os aspectos”, elogia.
Michelle apresenta pela primeira vez os desfiles, mas traz na bagagem 10 anos como repórter na cobertura da folia paulista. “Acompanho há muito tempo a evolução das escolas e posso dizer que é maravilhoso ver o quanto elas cresceram. Conheço Chico há anos, desde quando ele ainda ancorava o SP1. Ele é um mestre e é um imenso prazer dividir uma tarefa com ele”. 
ENTREVISTA COM MICHELLE BARROS E CHICO PINHEIRO
Michelle Barros 

Como foi sua preparação para a transmissão dos desfiles?

Após realizar visitas técnicas nos barracões das escolas, conversamos com carnavalescos para entender o que estava sendo produzido para cada desfile. Peguei informações extras sobre fantasias e outros detalhes com os carnavalescos e componentes como os casais de mestre-sala e porta-bandeira. Além disso, tenho me dedicado a exercícios de fono para dar conta das horas de narração.
Para você, quais serão os destaques das escolas de samba de São Paulo deste ano?

Sempre acho que os destaques são a comunidade - sorridente e de coração acelerado - e o samba cantado. Para mim, isso é a coroação da festa.   
Como você avalia o trabalho das escolas de samba de São Paulo ano a ano?

Acompanho há mais de 10 anos essa evolução e posso dizer que é maravilhoso ver o quanto as escolas cresceram. O amor das escolas pelo Carnaval e pelo espetáculo só aumenta. O meu também.
Chico Pinheiro
Como está sendo a sua preparação para lidar com as diversas horas à frente da transmissão dos desfiles das escolas de samba?

A preparação começa com visitas aos barracões das 14 escolas de samba do Grupo Especial.  Ali, temos contato com carros alegóricos e fantasias e recebemos as explicações de seus significados. Além dessas visitas, procuramos ouvir os sambas de cada escola para entender melhor suas histórias e significados. 

Para você, quais serão os destaques das escolas de samba de São Paulo deste ano?

Se contarmos, estragaremos as surpresas que surgirão durante o desfile. Mas garanto que, a cada ano, os enredos se tornam mais criativos e emocionantes.   

Como você avalia o trabalho das escolas de samba de São Paulo ano a ano?

A reunião de vários barracões em um único espaço (a Fábrica do Samba) é um dado importante da evolução do nosso carnaval. A Fábrica do Samba deu às escolas melhores condições para a evolução de seus trabalhos. Outro ponto importante é a presença, cada vez maior, de experientes carnavalescos e técnicos. Não há ano em que não se note avanços, em todos os aspectos.