Home Top Ad

Canal Brasil - Filmes em destaque na programação de 03 a 09 de fevereiro

Share:

Divulgação Canal Brasil
Conheça os filmes em destaque na programação de Canal Brasil de 03 a 09 de fevereiro.

SEGUNDA-FEIRA, 3 DE FEVEREIRO

FEVEREIROS (2019) (73’) 
Horário: Segunda, 3/02, às 20h15
Classificação: Livre
Direção: Marcio Debellian

Sinopse: O filme faz uma relação entre a participação de Maria Bethânia no desfile da Mangueira em sua homenagem, em 2016, e as comemorações de Nossa Senhora da Purificação – festa da qual participa, todos os anos, em sua cidade natal, Santo Amaro (BA). Através dessa conexão Rio-Bahia, o documentário desvenda características aparentemente antagônicas presentes na personalidade de Bethania: candomblé e catolicismo, sexualidade e religião, sagrado e profano, festa e fé. O filme conta com depoimentos de Caetano Veloso, Chico Buarque, Leandro Vieira (carnavalesco da Mangueira), Luiz Antonio Simas (historiador), Mabel Velloso (poeta) e Squel Jorgea (porta-bandeira da Mangueira).

TERÇA-FEIRA, 4 DE FEVEREIRO

INTRUSO (2009) (74’)
INÉDITO E EXCLUSIVO
Horário: Terça, 4/02, às 19h
Classificação: 16 anos
Direção: Paulo Fontenelle

Sinopse: Paulo Fontenelle assina este suspense psicológico estrelado por Eriberto Leão, Danton Mello e Juliana Knust. O thriller mostra uma típica casa de família do subúrbio obrigada a receber a visita de um estranho misterioso (Eriberto Leão), cujas regras devem ser obedecidas à risca. Não há muitas explicações para essa sentença e nem sobre a origem desse invasor indesejado; a única informação dada ao espectador é que ninguém pode sair da casa ou ter qualquer tipo de contato com o mundo exterior. Rodado em apenas uma locação, a produção cria uma série de situações claustrofóbicas até revelar o intuito verdadeiro desse intruso misterioso.

QUARTA-FEIRA, 5 DE FEVEREIRO

CONSTRUÇÃO (2008) (48’) 
[É Tudo Verdade]
Horário: Quarta, 5/02, às 20h
Classificação: Livre 
Direção: Cristiano Burlan

Sinopse: Cristiano Burlan deu início, com Construção (2008), à primeira etapa de sua trilogia do luto – formada ainda por Mataram Meu Irmão (2011) e Elegia de um Crime (2019). Extremamente pessoal e dramática, a série de filmes aborda três mortes de pessoas queridas de sua vida: seu pai, Vânio, o irmão, Rafael, e a mãe, Isabel. A primeira obra é uma homenagem ao seu progenitor, um trabalhador da construção civil falecido em condições pouco esclarecidas, como afirma o próprio realizador.

O roteiro espelha-se em uma estética de vídeo-arte para realizar um tributo a Vânio, um pedreiro que, segundo o cineasta, morreu depois de bater a cabeça em uma situação nunca plenamente esclarecida. Para isso, o diretor aponta suas lentes para uma grande obra de engenharia civil realizada em São Paulo e acompanha um perpétuo processo de construção e desconstrução da maior cidade do país a partir de um canteiro de obras. Conversas entre os trabalhadores são raras, e o filme dialoga a partir de uma sinfonia barulhenta de uma metrópole exposta em sua concretude, rotina e despojamento. Nos ruídos das máquinas, o realizador encontra uma ode fúnebre para fechar suas próprias feridas.


QUINTA-FEIRA, 6 DE FEVEREIRO

PORTA DOS FUNDOS - CONTRATO VITALÍCIO (2016) (100’)
Horário: Quinta, 6/02, às 22h10
Classificação: 14 anos
Direção: Ian SBF

Sinopse: Miguel (Gregório Duvivier) e Rodrigo (Fábio Porchat) são dois amigos que costumam realizar filmes juntos. Certa ocasião, um de seus filmes ganha um prêmio importante em um festival internacional. Animados com a premiação, os dois saem para comemorar e Rodrigo assina, em um guardanapo de bar, um contrato vitalício que garante que ele estaria em todos os filmes de Miguel dali para frente. No entanto, Miguel desaparece e só retorna dez anos depois. Quando reaparece, ele leva para Rodrigo, agora um ator consagrado, a proposta de um filme insano que pode destruir sua carreira.

SEXTA-FEIRA, 7 DE FEVEREIRO

CASA DA MÃE JOANA (2008) (93’)
Horário: Sexta, dia 7/02, às 20h55
Classificação: 14 anos
Direção: Hugo Carvana

Sinopse: Juca (José Wilker), PR (Paulo Betti), Montanha (Antonio Pedro) e Vavá (Pedro Cardoso) são amigos que, com aversão ao trabalho, realizam pequenos golpes para sobreviver. Cansados das limitadas quantias conquistadas, os picaretas planejam um grande golpe que vai lhes garantir meses de mordomia. Com um plano infalível, eles só não contavam com um pequeno detalhe: a traição de Vavá, que foge com todo o dinheiro da trupe ao lado de Laura (Malu Mader). Sem grana para sustentar os luxos e festas habituais, os malandros ainda recebem uma carta de despejo acompanhada de uma notável dívida. Diante dessa crise, eles começam a buscar diferentes meios de ganhar dinheiro sem grande esforço.

SÁBADO, 8 DE FEVEREIRO

EU TU ELES (2000) (104’)
Horário: Sábado, dia 8/02, às 18h30
Classificação: 14 anos
Direção: Andrucha Waddington

Sinopse: Três anos depois de deixar a pequena cidade em que morava para se casar, Darlene (Regina Casé) retorna com uma criança, mas nenhum marido. À procura de apoio, ela encontra Osias (Lima Duarte) e se casa com ele, mas logo chama a atenção de Zezinho (Stênio Garcia), o primo dele, e eles se casam também. Finalmente vem Ciro (Luiz Carlos Vasconcelos), o estranho e misterioso de boa aparência que se torna seu terceiro marido. Todos lhe dão filhos, criando uma família incomum, mas amorosa.

DOMINGO, 9 DE FEVEREIRO

CANASTRA SUJA (2018) (135’)
Horário: Domingo, 9/02, às 21h25
Classificação: 16 anos
Direção: Caio Sóh

Sinopse: Caio Sóh surgiu como uma das maiores revelações do cinema brasileiro por incorporar influências do realismo teatral, de onde é egresso, em Teus Olhos Meus (2011). Seus trabalhos seguintes – os premiados Minutos Atrás (2013) e Por Trás do Céu (2016) –, no entanto, mostraram a versatilidade do cineasta ao trazer às telas fábulas oníricas e existenciais. Para sua mais recente produção, o diretor retorna às raízes para retratar, de forma crua, o cotidiano de uma família completamente disfuncional, cujos membros parecem habitar em um barril de pólvora de pavio aceso e curto, prestes a explodir. A coprodução do Canal Brasil com a Cinema Bruto Produção Cinematográfica é estrelada por Marco Ricca, Adriana Esteves, Bianca Bin, Pedro Nercessian e Cacá Ottoni.

A câmera passeia pela casa, logo nas tomadas iniciais, apresentando as feições nada agradáveis dos membros desse lar tomado por brigas e sem qualquer perspectiva de um futuro melhor. Batista (Marco Ricca), fio condutor da história, é porteiro de um prédio da Barra da Tijuca, bairro nobre do Rio de Janeiro, e um alcoólatra em busca de recuperação do vício. Com ele, moram Maria (Adriana Esteves), uma mulher infeliz, adepta do uso de esteroides para melhorar seu desempenho na musculação – realizada secretamente – e infiel ao marido com o namorado da própria filha, Emília (Bianca Bin), uma moça focada em conquistar o mundo negociando a própria virgindade. Há ainda Pedro (Pedro Nercessian), um jovem perdido na vida e sem qualquer vontade de conquistar um trabalho decente, e Rita (Cacá Ottoni), uma adolescente autista.