Home Top Ad

TV paga segue em queda e fecha o mês de janeiro de 2020 com 15,5 milhões de assinantes

Share:

Reprodução
A TV paga teve uma aceleração no ritmo de perda de base em janeiro em relação ao final de 2019. Segundo dados da Anatel referentes ao primeiro mês do ano, a queda foi de 224 mil assinantes no período, levando a base total de TV paga a pouco mais de 15,56 milhões de usuários, mesmo patamar de outubro de 2012. O que representa encolhimento de 1,42%. Todas as operadoras apresentaram quedas expressivas. A Claro perdeu 74 mil assinantes, sendo 50 mil no cabo e 24 mil no DTH. Ao todo, a operadora fechou janeiro com pouco menos de 7,7 milhões de assinantes, sendo 1,2 milhão na plataforma via satélite e o restante na TV a cabo. A Sky perdeu 54 mil clientes em janeiro, fechando o mês com 4,63 milhões de clientes. Oi TV e Vivo TV perderam, cada uma, cerca de 14,5 mil clientes, ficando a Oi com uma base de cerca de 1,3 milhão de clientes e a Vivo com pouco mais de 1,2 milhão. Pelos dados da Anatel, as operadoras independentes perderam cerca de 70 mil clientes, mas esse número deve ser visto com ressalvas porque é comum operadoras de pequeno porte não manterem a constância nos reports à Anatel.

A tecnologia DTH (satélite) segue em declínio, com menos interesse por parte das operadoras em explorá-la. Hoje, resta apenas a Sky apostando na tecnologia, enquanto Vivo, Claro e Oi já preferem apostar no FTTH como plataforma principal para TV paga.

Assim, a TV paga por satélite encerrou janeiro com 7,89 milhões de acessos, após retração de 1,95%, o que representou 157 mil desligamentos. O cabo, com 6,74 milhões de acessos, perdeu 83,4 mil, diminuição de 1,22%. O FTTH, por sua vez, cresceu 1,87% no mês, ganhando 16,8 mil clientes, e terminando com 920,5 mil.

Dentre as operadoras, a Claro segue como líder isolada em TV por assinatura no país, responsável por 49,4% de market share e 7,69 milhões de acessos. A Sky vem em seguida, com fatia de 29,8% e 4,64 milhões de usuários. Oi fica na terceira posição, com 9,7% de share e 1,5 milhão de clientes. Enquanto a Vivo está em quarto, com 8,4% do mercado e 1,31 milhão de assinantes.

No gráfico abaixo, a evolução da queda de base mês a mês desde 2018:

Divulgação Telaviva