Home Top Ad

Atriz Ana Beatriz Nogueira conta experiência dos 35 anos de carreira na série Atos

Share:

Divulgação TV Brasil
Protagonista da quarta edição inédita da série Atos, a atriz Ana Beatriz Nogueira traça um panorama sobre a carreira e comenta o fazer artístico durante entrevista que vai ao ar pela TV Brasil na madrugada deste domingo (19) para segunda (20), à 1h30.

A experiente artista reflete sobre o ofício em cena no papo com o apresentador Bruno Barros e alunos de dramaturgia na segunda temporada de Atos, série que é realiza pelo canal em parceria com a Casa das Artes de Laranjeiras onde é gravada. A produção pode ser acompanhada no aplicativo EBC Play.

Durante a conversa, a convidada esbanja sensibilidade ao destacar suas impressões sobre o trabalho nas artes cênicas e compartilha sua experiência de 35 anos em obras para televisão, cinema e teatro. O programa é dirigido pela dupla Manoel Borges e Waldecir de Oliveira.

Ana Beatriz Nogueira destaca a expectativa na coxia. "No teatro existe algo mágico. O que acontece numa noite não se repete. A experiência com os atores em cena, a interação com o público... Acho o palco infinitamente mais seguro que lá embaixo na plateia. Estar em cena é um privilégio. Fico muito feliz".

Ela também recorda passagens relevantes de sua trajetória como os conselhos que recebeu de personalidades internacionais nos bastidores da cerimônia de entrega do Urso de Prata. Ana Beatriz Nogueira foi reconhecida na categoria Melhor Atriz no Festival de Berlim, em 1987, pela atuação como a protagonista do filme nacional "Vera", longa dirigido e escrito por Sérgio Toledo.

No quadro de Atos em que o convidado deve homenagear alguém importante na sua trajetória, Ana Beatriz Nogueira indica a amiga Beatriz Segall, atriz que faleceu em setembro de 2018. Destaca, ainda, Rubens Corrêa, saudoso ator com quem trabalhou em produções como a novela "Kananga do Japão" (1989), da extinta Rede Manchete.

Outro assunto é a escuta e a arte de contracenar. "Sou uma atriz que trabalha muito a escuta. Sem ela não há teatro. O parceiro ideal de cena é aquele te escuta. Essa combinação independe da experiência. Antes até da fala, a escuta é mais importante. Ela me dá ideias e inspira", pondera a artista.

Ana Beatriz Nogueira explica como organiza os projetos de sua carreira. "O máximo de tempo que fico fora dos palcos é um ano. Eu já penso o que fazer e como realizar os próximos trabalhos quando um projeto está terminando", revela no diálogo com os estudantes de interpretação.

A atriz também conta se tem preferência na escolha dos tipos que vai representar. "O que me desafia é estar em cena. Todo trabalho traz coisas novas. Qualquer que seja o personagem, em um papel grande ou pequeno, o que vale é estar 'em situação'", define na série Atos, da TV Brasil.