Home Top Ad

Mordomo da família de João Moreira Salles é tema de longa do cineasta

Share:

Divulgação Canal Curta!
Durante 30 anos, Santiago foi mordomo da família Moreira Salles, famosa sobretudo no Rio de Janeiro por sua riqueza, influência e erudição. Um dos membros do clã, o premiado diretor João Moreira Salles (Futebol/1998, Nelson Freire/2003, Entreatos/2014, No Intenso Agora/2017), reconhece seu potencial como personagem e passa a focar suas lentes para dentro de sua própria casa – que hoje se tornou o Instituto Moreira Salles – para contar sua história. “Santiago”, a ser exibido no Curta!, mostra a história de um homem singular e mira na forma como o próprio Moreira Salles o enxergava.

O documentário começou a ser gravado em 1992 e mostra Santiago já aposentado, vivendo em um pequeno apartamento no bairro do Leblon, colecionando cerca de 30 mil páginas escritas por ele mesmo, sobre famílias nobres e dinastias de diversos lugares do mundo. As gravações são interrompidas e, apenas em 2005, João Moreira Salles retoma o filme e insere nele um olhar crítico diante de sua própria falta de percepção sobre as relações de poder latentes nas cenas da década de 1990 e sobre a estrutura hierárquica construída entre a família e o antigo funcionário.

Santiago” é uma produção da VideoFilmes, vencedora do Grande Prêmio do Festival Cinéma du Reel, em Paris.  A exibição é na Quarta do Cinema, 10 de junho, às 22h30.

Elza Soares, Ed Motta e Ivan Lins participam de longa que resgata memória musical brasileira

Com o objetivo de valorizar a cultura brasileira, o diretor Bruno Veiga Valentim mostra, no documentário “Do Jazz ao Samba”, o quanto nossa musicalidade influencia artistas e compositores de todo o mundo, sobretudo nos Estados Unidos.

Segundo o filme, apesar da forte influência cultural daquele país, berço do jazz, exercida através da TV, do rádio e do cinema, o Brasil consegue fazer uma espécie de intercâmbio musical, apresentando, por exemplo, nosso samba para o Tio Sam. Artistas brasileiros, como Elza Soares, Ed Motta, Ivan Lins e Diogo Nogueira reforçam o argumento e se posicionam como uma representação de nossa música no exterior. A produção é da Ideias Ideais e da Brasil Raiz Cine 1. A exibição é na Terça das Artes, 9 de junho, às 18h.


Nenhum comentário

Comentários Ofensivos ou Irrelevantes e os que conter publicidades serão todos excluídos.