Home Top Ad

Taís assume a responsabilidade pela família após "morte" de Cassiano em 'Flor do Caribe'

Share:

Divulgação TV Globo/Raphael Dias
Olívia (Bete Mendes) é mãe de Cassiano (Henri Castelli) e Taís (Débora Nascimento), e esposa de Chico (Cacá Amaral). Grande companheira do marido, sofre profundamente ao vê-lo perder a visão em função do trabalho, mas faz de tudo para não demonstrar sua aflição.

Atormentado pelos anos de trabalho no Grupo Albuquerque, Chico sofre as consequências do trabalho quase escravo que Dionísio (Sérgio Mamberti) comanda na empresa. Militante em busca de melhores condições, o pai de Cassiano e Taís (Débora Nascimento) não se conforma com a amizade de seu filho com Alberto (Igor Rickli), herdeiro do império. No entanto, respeita a amizade do filho, mas alerta para ele ter cuidado.  

Nos próximos capítulos da trama, o futuro dessa família pesará para as mãos de Taís (Débora Nascimento), filha do casal, que se verá obrigada a assumir o bugre e os passeios de Ester (Grazi Massafera) para sustentar os pais. Afinal, a armação de Alberto contra Cassiano, seu irmão, vai provocar o sumiço do jovem e a família vai acreditar que o piloto está morto. 

'Flor do Caribe’ é escrita por Walther Negrão e tem a direção artística de Jayme Monjardim, direção geral de Leonardo Nogueira e direção de Teresa Lampreia e Thiago Teitelroit.  
ENTREVISTA COM BETE MENDES
O que você achou de Flor do Caribe ter sido escolhida para ser exibida em edição especial neste momento? Como você recebeu a notícia da volta da novela? 
Achei ótimo ‘Flor do Caribe’ voltar agora em edição especial. Fiquei feliz! Na primeira exibição, foi sucesso e torço para que tudo se repita.
Como se preparou para a personagem? 
Cada novo personagem que vou “ vestir” é um misto de prazer, curiosidade e desafio. Olívia chegou com muita alegria, desde o nome, até  suas características, sua simplicidade, sua convivência amorosa com a família, sua fé em bons princípios. Para “vestir” Olívia, participei de reuniões com o meu núcleo, ou seja, a família, e pesquisei sobre vidas de pessoas simples em regiões à beira mar, as mulheres que são o esteio afetivo dos homens que vivem para o trabalho, o dito sustento da família. Foi agradável, e quando entrei em cena já me sentia Olívia. Ela tem a importância de ser “uma mulher” que foi vivida por mim. Tenho muito carinho pela personagem, com gratidão por ela ter existido em mim, na novela.  
O que significou ‘Flor do Caribe’ na sua trajetória?   
Muitos significados: um novo trabalho com Jayme Monjardim, com meus queridos “ familiares”, uma primeira experiência de convívio, o reencontro com Walther Negrão, que já conhecia há muito tempo, e a vontade de fazer e estar em uma novela que, esperava, fosse sucesso. Feliz em ter minha esperança concretizada: 
Tem alguma característica ou algo que você aprendeu com a personagem que ficou pra sua vida? 
Olívia me deu algumas lições, de humildade, paciência e amor.   
Qual cena gostaria de rever? 
Há algumas cenas que lembro com carinho, mas quero assistir à sequência de minha aflição com a saúde de meu marido Chico, interpretado pelo Cacá Amaral.   
Qual a cena mais difícil? 
A primeira a ser gravada. Aliás, sempre a primeira entrada em cena é o desafio: eu e meu marido Chico chegando a uma comemoração.   
Que momento das gravações você lembra com mais carinho? 
Digo, com certeza, cada dia de gravação era muito feliz. Sabe a alegria de você, ao acordar, pensar: vou para os Estúdios Globo...Oba! 

O que você tem ouvido dos amigos e do público desde que foi anunciada a volta da novela? Como você acha que o público vai receber a novela agora, depois de 7 anos? 
Só ótimos comentários e torcida por sucesso. Espero que com a mesma alegria e carinho de sete anos atrás.
Como foi a parceria com Henri Castelli, Grazi Massafera, Débora Nascimento e Cacá Amaral? 
A parceria com Grazi, Henri, Débora e Cacá foi adorável. Tínhamos uma intimidade de família, todos felizes em estar junto no set. Especialmente Cacá que, além do talento, me fez conhecer uma pessoa adorável. Muito carinho por Cacá Amaral.  

Como está passando os dias de isolamento social? Tinha algum projeto em andamento ou algum projeto futuro que tenha sido interrompido por conta da pandemia? 
Estou confinadinha, confortável, lendo, participando de lives, vendo TV, com saúde e cautela. Os projetos que tinha, de viagens, foram suspensos. Para o futuro, pós -pandemia, espero poder retomar projetos de trabalho e viagens. 


Nenhum comentário

Comentários Ofensivos ou Irrelevantes e os que conter publicidades serão todos excluídos.