Home Top Ad

Balada dos Anos 70 anima o galpão de Roney e marca chegada de Gabriel à trama em 'Malhação: Viva a Diferença'

Share:

Divulgação Globo/Fabio Rocha

Chegou o momento da Balada dos Anos 70 animar os personagens de 'Malhação: Viva a Diferença'. Promovido para celebrar a reconciliação das “Five”, o evento promete colocar o bairro de Vila Mariana no clima “paz e amor”. Em meio à empolgação de todos, o evento marca a chegada de um novo personagem à trama: Gabriel (Luis Galves), filho de Roney (Lúcio Mauro Filho) com Maria Eduarda (Carolina Chalita), uma fã da sua época de fama. 
 
Ansioso para rever seu trabalho, Luis Galves, que dá vida a Gabriel, relembra seu papel na obra escrita por Cao Hamguerger. “Gabriel é um grito de confiança e aceitação. Ele mostra não ter medo de ser ele mesmo, pois não se sente errado ou deslocado porque é gay. Sem uma história de conflito, dúvida ou medo de ser quem ele é, ele apenas é e se ama por isso. Mesmo sentindo o preconceito e sendo atacado, em nenhum momento Gabriel se sente inferior e, com coragem, se defende até o último momento, com o apoio dos próprios pais, família, amigos e da escola. Estamos em um momento, como sociedade, que precisamos apenas ser quem somos, sem medo e aceitarmos nossas diferenças com respeito. A história de Gabriel é necessária e foi lindamente escrita por Cao”, destaca o ator.
 
Enquanto a revelação não acontece, a festa corre normalmente, com a descontração que já era esperada. O visual dos convidados é uma atração à parte. Lica (Manoela Aliperti), por exemplo, desenha um coração no rosto, uma referência à cantora Rita Lee. Além disso, ela opta por uma blusa de seda com sobreposição de outra de veludo. Ainda mais ousada depois da viagem para o Japão, Tina (Ana Hikari) escolhe um cropped, deixando a barriga à mostra. Evidenciando seu lado romântico, Keyla (Gabriela Medvedovski) surge com uma coroa de flores na cabeça. Já Ellen (Heslaine Vieira), mais minimalista, adota um macacão jeans. E Benê (Daphne Bozaski) usa um modelito com mais cores, mostrando uma nova forma de olhar para a vida desde seu desabrochar para os sentimentos.
 
No palco do evento, a música fica por conta dos shows da banda Lagostins, formada por Samantha (Giovanna Grigio), Guto (Bruno Gadiol), Felipe (Gabriel Calamari) e MB (Vinicius Wester); por uma dose de nostalgia com o retorno de Roney Romano (Lúcio Mauro Filho) ao palco; além do som cheio de referência soul de Fio (Lucas Penteado) e as K´s (Talita Younan e Carol Macedo). Os convidados também vão cantar em coro com as Garotas do Vagão, grupo de Keyla, Benê, Tina, Ellen e Lica. 
 
'Malhação: Viva a Diferença’ tem autoria de Cao Hamburger e direção artística de Paulo Silvestrini e vai ao ar logo após o ‘Vale a Pena Ver de Novo’.
 
Entrevista com Luis Galves
 
Como você descreve o Gabriel em Malhação: Viva a Diferença?
Gabriel é um garoto tranquilo que chega trazendo muita surpresa e agitação em ‘Malhação’. Mesmo sendo o último personagem a entrar para a turma, ele traz alegria e uma história linda num momento onde todos estão mais maduros. Ele é um personagem que entre tanta confusão só quer ser aceito e amado pela irmã e pelo pai que tanto sonhou em conhecer. Do interior de Minas Gerais direto para cidade grande, ele chega na balada "paz e amor" sem medo de fazer amizade e falar o que pensa, ele é muito direto com suas opiniões  e não tem vergonha de expressá-las. Em poucos dias, Gabriel, com seu jeito fofo e carinhoso, conquista o coração da família Romano, e quando ele volta para passar um tempo com o pai, Roney, conquista a turma também. Ele está sempre pronto para um conselho, uma conversa parceira e para falar o que pensa. Roney descobre em Gabriel uma linda amizade que não estava em seus planos, até mesmo uma lição de vida sobre amor e aceitação.  
 
Qual é a importância desse papel para sua carreira?
Gabriel foi um presente na minha vida, tanto profissional como pessoal. Dar vida a esse personagem, em um produto tão incrivelmente bem feito e amado pelo público, foi uma experiência maravilhosa, ainda mais sendo meu primeiro trabalho na televisão. Descobri que gosto de trabalhar na TV, e eu não fazia ideia de como seria. Ajudar a contar a história do Gabriel junto com os mestres Cao e o nosso diretor artístico Paulo Silvestrini foi um privilégio, um trabalho dos sonhos para qualquer ator. Principalmente quando o personagem representa um assunto tão delicado, que requer atenção e carinho ao longo de sua construção. Como ator, isso faz com que constantemente a gente visite um mundo particular. Muitas vezes me senti muito próximo do Gabriel, passei por muitas situações parecidas e por mais que não tenhamos a mesma história, estar em cena trazendo um pouco da minha vivência e minhas dores através dele foi um alívio.  
 
Qual é a mensagem chave de seu personagem?
Seja o que quiser ser, e se ame por isso. Gabriel é um grito de confiança e aceitação. Em suas inúmeras cenas, ele mostra não ter medo de ser ele mesmo, pois não se sente errado, deslocado porque é gay. Sem uma história de conflito, dúvida ou medo de ser quem ele é, ele apenas é e se ama por isso. Mesmo sentindo o preconceito e sendo atacado, em nenhum momento Gabriel se sentiu inferior e, com coragem, se defendeu até o último momento, com o apoio dos próprios pais, família, amigos e da escola. Estamos em um momento, como sociedade, que precisamos apenas ser quem somos, sem medo e aceitarmos nossas diferenças com respeito. A história de Gabriel é necessária e foi lindamente escrita por Cao.
 
Como é poder rever esse trabalho no momento atual?
É incrível. Foi uma notícia ótima quando anunciaram que ia reprisar. Uma surpresa inesperada e alegre. Apesar de estar disponível no Globoplay, confesso que poder assistir episódios durante a semana na TV , e acompanhar a  repercussão de novo é uma delícia. E é impressionante ver como cada personagem e suas histórias se mantêm tão atual. Cada detalhe na novela foi feito e pensado com tanto cuidado que é impossível não reconhecer que essa reprise veio na hora certa. 
 
Alguma lembrança de bastidor que você guarda com muito carinho?
Tenho muitas. Mas o primeiro dia que visitei os Estúdios Globo e conheci o elenco foi a que mais me marcou. A entrada do meu personagem ainda era um mistério pra todos, ninguém sabia quem ia ser o Gabriel,  então quando eu cheguei na cidade cenográfica e dei de cara com eles fui recebido com muitos gritos e animação. Eu não fazia ideia de como ia ser, então receber esse amor todo me deixou até mais tranquilo. E também meu primeiro encontro com o Lucio Mauro Filho, que me abraçou e me deu boas-vindas como se eu sempre tivesse feito parte da vida dele. Foi emocionante. 
 
Como foi a repercussão de seu personagem na época?
Foi muito grande. No dia em que ele apareceu pela primeira vez, as pessoas ficaram muito curiosas em saber quem era esse novo personagem. Recebi muitas mensagens nas minhas redes sociais. As pessoas ficaram desconfiadas, achando que poderia ser um novo vilão, acredita? Mas com o desenrolar da história isso passou. Sempre que ele aparecia eu conseguia acompanhar pelas redes o que falavam e eram só coisas muito legais. Gabriel chamou muito atenção desde o começo. Foram muitas mensagens de pessoas que se sentiam representadas e gratas, dizendo que ter a história do Gabriel sendo exibida na televisão fez com que elas se sentissem confiantes em ser quem elas eram. Muitos também diziam que assistiram tudo com os pais e tiveram coragem de conversar com eles sobre suas orientações sexuais. 
 
Está muito ansioso para o momento que o Gabriel ganhará destaque na trama?
Parece que eu voltei no tempo e o sentimento é o mesmo: muita ansiedade desde o dia que anunciaram a reprise. Agora que está perto do Gabriel entrar ela só aumenta. É um mix de tudo: reviver a ansiedade de ter que esperar o personagem entrar sabendo tudo que as pessoas vão assistir e aquele friozinho na barriga de curiosidade pra saber logo como o Brasil vai recebê-lo mais uma vez. 
 
Como foi contracenar com Lúcio Mauro Filho?
Foi uma honra e uma experiência única. Uma oportunidade de ouro. Lucio Mauro Filho é um evento, né? Além de ser um ótimo profissional e tesouro da TV brasileira, ele é uma pessoa muito amorosa e gentil, extremamente divertido e bem-humorado.
 
Como tem sido seus dias durante a pandemia? Próximos trabalhos?
Assim que começou a quarentena eu estava de mudança, em cartaz no teatro e fazendo um curso de cinema. Do dia para a noite todos os meus planos foram interrompidos, então aproveitei para voltar para a minha cidade (Sorocaba- SP)  e passar um tempo com a minha família. Aproveitei para colocar em prática o curso de roteiro que estava fazendo antes da pandemia. Escrevi muita coisa que pretendo realizar de alguma forma. No fim de semana eu devorava séries e filmes e participei de muitos grupos de leitura via chamada de vídeo, até que encontrei um texto de teatro que fiquei completamente apaixonado e me juntei com um amigo para criarmos um novo projeto. Voltei para São Paulo e começamos os nossos ensaios via chamada de vídeo com a direção de Renata Gaspar. Hoje já faz quase seis meses que estamos ensaiando e preparando esse projeto que vai ser gravado em casa, com alguns encontros presenciais, mas respeitando as normas da OMS. Não temos data de estreia ainda, mas queremos entregar uma história linda pra todos em casa, quem sabe até o fim do ano. Também estou ensaiando uma peça de teatro para 2021, tudo de casa e o mais curioso é que em ambos os projetos meu personagem se chama Beto. Aproveitei também meu vício em séries e filmes para fazer um quadro de indicações no meu Instagram. Todo fim de semana eu indico as melhores produções que assisti durante a semana. 


Nenhum comentário

Comentários Ofensivos ou Irrelevantes e os que conter publicidades serão todos excluídos.