Glenn Greenwald e Eduardo Coutinho são entrevistados na nova série 'Método' do Canal Curta!

Divulgação

Sucesso na programação do Curta!, o filme ''O Método'', de Carlos Roberto Franke e Liliana Sulzbach, de 2019, se dedica aos bastidores do gênero documentário. E, com o mesmo objetivo de provocar reflexões sobre a arte de retratar o mundo, a produção se expandiu para uma série homônima de quatro episódios, com direção de Liliana Sulzbach. Inédita e exclusiva, a obra discute também formas de trabalho, processos criativos, possibilidades de narrativas e traz análises da obra de diretores renomados.

Conduzida pelo documentarista Carlos Nader, a série conta, entre os entrevistados, com o jornalista vencedor do Pulitzer Glenn Greenwald, por sua participação em “Citizenfour”, filme vencedor do Oscar; o crítico e teórico de cinema Bill Nichols, que fala sobre ética e história; e o cineasta Eduardo Coutinho, sobre o rigor de uma obra baseada na potência de entrevistas.

Os episódios, exibidos semanalmetne, se dividem em temáticas fundamentais para uma reflexão integrada e, por isso, enriquecedora: “O Real e a Ficção”, “A Linguagem”, “A Ética e a História” e “O Autor e a Obra”. O primeiro capítulo trata da dicotomia entre realidade e ficção como uma espécie de “zona de risco”, onde o documentarista precisa entrar para produzir uma obra de valor artístico.

“O Método” é uma produção da Tempo Porto Alegre viabilizada pelo Curta! através do Fundo Setorial do Audiovisual. A série também estará disponível no Curta!On, streaming do Curta! no NOW e na internet, em CurtaOn.com.br. A estreia é na Quarta do Cinema, 26 de maio, às 22h.

Curta! exibe Especial Festival do Rio, com documentários que fizeram sucesso no evento

Enquanto uma nova edição do Festival do Rio não vem, o público poderá assistir a documentários consagrados em edições anteriores. De segunda, dia 24, a domingo, dia 30, o canal apresenta uma sessão diária dedicada exclusivamente ao evento. Os títulos selecionados, de acordo com cada dia, são:  segunda-feira, “Blitz, O Filme”, de Paulo Fontenelle; terça-feira, “Gilberto Gil – Antologia Volume 1”, de Lula Buarque de Hollanda; quarta-feira, “O Paradoxo da Democracia”, de Belisario Franca; quinta-feira, “Banquete Coutinho”, de Josafá Veloso; sexta-feira, “Favela É Moda”, de Emilio Domingos;  sábado é a vez de “Clementina”, de Ana Rieper; e “Piripkura”, de Mariana Oliva, Renata Terra e Bruno Jorge, encerra no domingo a programação especial.  Todas as sessões vão ao ar à meia-noite, de 24 a 30 de maio.

Segunda da Música (MPB, Jazz, Soul, R&B) – 24/05

Sessão Festival do Rio:

00h – “Blitz, O Filme”  

O documentário apresenta a história e a trajetória da primeira banda consagrada do pop-rock brasileiro, a Blitz. O longa-metragem explora seu surgimento na lona do Circo Voador entre Ipanema e Copacabana, na década de 1980, até as turnês internacionais e o enorme sucesso do grupo ainda atualmente. Diretores: Paulo Fontenelle. Duração: 104 min. Classificação: Livre.

Outro destaque do dia:

22h – "Candeia” (Documentário)

Documentário sobre a vida e a obra de Antonio Candeia Filho, compositor da Portela e idealizador e criador do GRANES Quilombo. O filme foi feito em memória aos 40 anos de sua morte, no ano de 2018. Direção: Luiz Antonio Pilar. Duração: 97 min. Classificação: Livre. Horários alternativos: 25 de maio, terça-feira, às 02h e às 16h; 26 de maio, quarta-feira, às 10h; 29 de maio, sábado, às 22h05; 30 de maio, domingo, à 13h25.

Terça das Artes - 25/05

Sessão Festival do Rio:

00h – "Gilberto Gil — Antologia Vol.1” (Documentário)

“Gilberto Gil — Antologia Vol.1”, sexto documentário realizado por Lula Buarque de Hollanda com o artista, apresenta obras compostas entre 1968 e 1987. Gil revela sua visão de mundo e potência criativa em expansão no início de carreira, num turbulento momento histórico brasileiro. O filme de montagem é construído a partir de vasta pesquisa de imagens de arquivo e revisita o contexto das músicas em conversa com o próprio criador.   Direção: Lula Buarque de Hollanda. Duração: 70min. Classificação: Livre.

Outro destaque do dia:

22h30 - “Maria — Não Esqueça que Eu Venho dos Trópicos” (Documentário)

A vida e a obra de Maria Martins (1894-1973), escultora, gravurista, pintora, desenhista e escritora, conhecida principalmente pelo trabalho ligado ao Surrealismo. O longa revela também a relação amorosa e artística com Marcel Duchamp. Direção: Elisa Gomes e Francisco C. Martins. Duração: 80 min. Classificação: 10 anos. Horários alternativos: 26 de maio, quarta-feira, às 2h30 e às 16h30; 27 de maio, quinta-feira, às 10h30; 29 de maio, sábado, às 14h; 30 de maio, domingo, às 22h25. 

Quarta de Cinema (Filmes e Documentários de Metacinema) – 26/05

Sessão Festival do Rio:

00h - “O Paradoxo da Democracia” - (Documentário) 

Na última década, democracias tão distintas quanto Brasil, EUA, França, Egito e Ucrânia foram tomadas por protestos de rua que tiveram, como elemento unificador, a insatisfação com a política tradicional. Todos os seus governos caíram, seja pela força ou por vias constitucionais. Ainda assim, a crise continua viva e produzindo resultados que deixam o mundo inteiro perplexo. "O Paradoxo da Democracia" é um documentário que se debruça sobre essa perplexidade, trazendo análises de intelectuais e atores políticos como Steven Levitsky, Jacques Rancière, Juan Carlos Monedero, Angela Alonso e Yascha Mounk, entre outros. Diretor: Belisario Franca. Duração: 70 min. Classificação: 14 anos.

Outro destaque do dia:

22h– “O Método” (Série) – Ep. “O Real e a Ficção”

O documentário se instala numa fronteira entre ficção e realidade. Uma zona de risco, onde as questões não estão bem definidas. Trabalhar numa zona de risco nem sempre é fácil, mas é fundamental para quem quer produzir uma obra de valor artístico. Com Carlos Nader e Eduardo Coutinho. Direção: Liliana Sulzbach. Duração: 26 min. Classificação: Livre. Horários alternativos: 27 de maio, quinta-feira, às 16h; 28 de maio, sexta-feira, às 10h; 30 de maio, domingo, às 19h.

Quinta do Pensamento (Literatura, Filosofia, Psicologia, Antropologia) – 27/05

Sessão Festival do Rio:

00h – “Banquete Coutinho” (Documentário)

O documentário propõe um olhar abrangente sobre a obra de Eduardo Coutinho. Teria um dos mestres do cinema brasileiro feito sempre o mesmo filme? A partir de um encontro filmado com o diretor em 2012 e vasto material de arquivo, o filme mantém acesas as inquietações do cineasta, falecido dois anos após a entrevista. Direção: Josafá Veloso. Duração: 74min. Classificação: Livre.

Outro destaque do dia:

22h30 – “Bruta Aventura em Versos” (Documentário)

Ícone da poesia marginal dos anos 1970 no Rio, Ana Cristina Cesar se matou em 1983, aos 31 anos, deixando inúmeros leitores e fãs. Ela criou versos, traduziu poemas e contos, pesquisou sobre cinema e literatura, escreveu artigos, deu aulas e redigiu cartas. Seu estilo direto, porém delicado, visceral e comunicativo influenciou a literatura e a poesia de diversos artistas. O documentário procura captar a beleza e a originalidade de sua escrita, seja através da dança de Marcia Rubin, de um espetáculo de Paulo José e Ana Kutner ou da poesia de Alice Sant’Anna. Todos, de maneiras diversas e particulares, conviveram com as vírgulas, as pausas, a voz e os olhos da poeta.  Diretora: Letícia Simões. Duração: 74 min. Classificação: Livre. Horários alternativos: 28 de maio, sexta-feira, às 02h30 e 16h30; 30 de maio, domingo, às 15h15; 31 de maio, segunda-feira, às 10h30.

Sexta da Sociedade (História Política, Sociologia e Meio Ambiente) – 28/05

Sessão Festival do Rio:

00h – “Favela é Moda” (Documentário)

"Favela É Moda" revela a força estética e política de jovens negros das periferias do Rio de Janeiro em busca de realização pessoal no mundo da moda. O documentário aborda a recente tendência do surgimento de agências de modelos nessas periferias e revela os dilemas, sonhos e desafios dos jovens em busca de ascensão social. Apresenta, ainda, uma geração que acredita na afirmação de identidades e sexualidades. Diretor: Emilio Domingos. Duração: 75 min. Classificação: Livre.

Outro destaque do dia:

20h – “Meu Corpo, Minha Vida” (Documentário)

“Meu Corpo, Minha Vida” é um debate sobre a questão do aborto no Brasil. Vozes de ambos os lados expressam sua opinião: os que acham que o aborto deve ser descriminalizado e os que defendem a lei como está. O filme personaliza esse debate através do caso de Jandira Magdalena dos Santos, morta ao fazer um aborto clandestino, que recebeu cobertura nacional e internacional. Direção: Helena Solberg. Duração: 75 min. Classificação: 14 anos. Horários alternativos: 31 de maio, segunda-feira, às 01 e às 14h; 01 de junho, terça-feira, às 8h.

Sábado – 29/05

Sessão Festival do Rio:

00h – "Clementina” (Documentário) 

Filme sobre o universo de Clementina de Jesus, revelada aos 63 anos como uma das maiores vozes da história do samba. Ela é considerada por muitos o elo perdido entre a cultura brasileira e as raízes africanas. Diretora: Ana Rieper. Duração: 75 min. Classificação: Livre.

Outro destaque do dia:

21h10 – “Incertezas Críticas” (Série) – Ep. “Jacques Rancière”

Jacques Rancière é um dos filósofos mais importantes do mundo atual. Nascido na Argélia, vive e trabalha em Paris, onde deu um depoimento para esta série sobre seus trabalhos mais recentes. Ele traça um breve histórico da arte desde o século XVIII e fala sobre a relação entre arte, cinema e política. Direção: Daniel Augusto. Duração: 27 min. Classificação: Livre. Horários alternativos: 30 de maio, domingo, às 12h30; 31 de maio, segunda-feira, às 08h30.

Domingo – 30/05

Sessão Festival do Rio:

00h – "Piripkura” (Documentário) 

Dois indígenas nômades, do povo Piripkura, sobrevivem cercados por fazendas e madeireiros numa área ainda protegida no meio da Floresta Amazônica. Jair Candor, servidor da FUNAI, acompanha os dois índios desde 1989. Ele realiza expedições periódicas, muitas delas acompanhado por Rita, a terceira sobrevivente Piripkura, para monitorar vestígios que comprovem a presença deles na floresta e para impedir a invasão da área. Packyî e Tamandua vivem com um facão, um machado cego e uma tocha.  Piripkura aborda as consequências de uma tragédia e revela a força, resiliência e autonomia daqueles que foram expostos a todo tipo de ameaças e têm resistido ao contato com o homem branco. Direção: Bruno Jorge, Mariana Oliveira e Renata Terra. Duração: 82 min. Classificação: Livre.

Outro Destaque:

19h35 – “Na Ilha” (Documentário) 

“Na Ilha” é um documentário imersivo no processo de montagem de filmes. Vinte montadores do cinema brasileiro expõem as nuances dessa arte, seus segredos e processos. Com o cinema digital, muitos trabalham em suas casas ou escritórios, locais onde os filmes ganham sua forma final e suas narrativas são construídas. Tudo pode mudar até o último minuto. O documentário mostra as escolhas e os métodos desses montadores e faz um panorama do cinema brasileiro. Diretor: Julia Bernstein e Vinícius Nascimento. Duração: 75min. Classificação: 12 anos.
Anderson Ramos

Um site sobre TV paga com as principais noticias envolvendo o setor, e suas principais operadoras. Além das novidades dos canais e streamings! facebook twitter instagram

Postar um comentário

Comentários Ofensivos ou Irrelevantes e os que conter publicidades serão todos excluídos.

Postagem Anterior Próxima Postagem