Discovery estreia a nova série ''Desvendando Oceanos com Jeremy Wade''

Divulgação

As águas profundas de oceanos, mares e lagos são fonte inesgotável de mistérios: de histórias de navios e tesouros que teriam desaparecido, a criaturas ainda não catalogadas ​​e a possível existência de um vírus mortal que poderia ser a próxima ameaça pandêmica.

A partir desta quinta-feira, 29 de julho, às 21h15, Jeremy Wade investiga alguns dentre os mais emblemáticos desses enigmas com a estreia da nova série original do Discovery DESVENDANDO OCEANOS COM JEREMY WADE (Mysteries of The Deep). Em  episódios com duração de uma hora, a série embarca com Jeremy em expedições que buscam respostas nas profundezas, escondidas em locais inacessíveis aos humanos.

Cada episódio apresenta diversos casos. Com a ajuda da ciência, de entrevistas com pesquisadores, além de imagens de arquivo, relatos de testemunhas oculares e expedições a campo, Jeremy parte à procura de evidências que separam fatos de lendas. As lentes o acompanham enquanto ele tenta descobrir o paradeiro de tesouros perdidos, navios e aviões que afundaram e nunca foram encontrados, além de pistas sobre a existência de criaturas míticas e monstros subaquáticos.

No episódio de estreia, Jeremy vai até a Escócia à procura do famigerado monstro do Lago Ness, talvez um réptil dado como extinto há milhões de anos, mas que ainda vive naquelas águas. Entre as fontes está o Dr. Neil Gemmel – geneticista da Universidade de Otago, ele conduz estudos de rastreamento de vestígios de DNA que podem servir de evidência da existência na atualidade de um animal ainda não reconhecido pela ciência ou dado como extinto.

Os relatos de pessoas que alegam ter visto a criatura gigantesca resistiram ao tempo, alimentam a imaginação de gerações e fazem do monstro um dos maiores mistérios das águas profundas – em 500 anos foram enviados às autoridades locais mais de mil registros. Entre eles está o feito por Rory Cameron, um comerciante de 36 anos que vive nas imediações do lago e nunca havia tido um “encontro” com o monstro até maio de 2020, quando gravou um vídeo que é mostrado pela série: as imagens revelam o que parece ser uma criatura colossal se movendo rapidamente, próximo à superfície.

Depois, o primeiro episódio investiga o estranho caso de Harrison Okene, homem de 29 anos que ficou submerso por 60 horas a mais de 30 metros de profundidade antes de ser resgatado, após o naufrágio do navio onde ele trabalhava como cozinheiro. Era maio de 2013, na costa da Nigéria, quando o barco onde estava Harrison foi arrebatado por uma tempestade que o faz afundar. Os mergulhadores da equipe de resgate ficaram surpresos ao descobrirem que, durante uma missão de procura por corpos, puderam trazer um homem vivo à superfície.

Por fim, o episódio de estreia vai ao Canadá para averiguar o mistério em torno do aparecimento de pés humanos nas praias da Columbia Britânica. Desde 2007, 15 pés de cadáveres foram encontrados na região – dez deles foram identificados e estavam relacionados a casos de pessoas desaparecidas. As hipóteses para explicar esse fenômeno macabro vão de transporte clandestino de pessoas a um assassino em série que viu no oceano o parceiro ideal para ocultar seus crimes.
Anderson Ramos

Um site sobre TV paga com as principais noticias envolvendo o setor, e suas principais operadoras. Além das novidades dos canais e streamings! facebook twitter instagram

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do O Universo da TV. OBS: Comentários Ofensivos ou Irrelevantes e os que conter publicidades serão todos excluídos.

Postagem Anterior Próxima Postagem