Preparação especial torna cobertura do SporTV e da Globo mais inclusiva e discute capacitismo

Reprodução

A cerimônia de encerramento dos Jogos Paralímpicos de Tóquio foi recheada de simbolismos. Carregando a bandeira brasileira, estava o nadador Daniel Dias, maior atleta paralímpico da história, com 27 medalhas conquistadas e que se despediu das piscinas nesta edição. A delegação brasileira deu um show nos treze dias de competição. Conquistou sua 100ª medalha de ouro e teve o melhor desempenho entre todas as edições, subindo 72 vezes ao pódio, em 22 delas no lugar mais alto. Uma edição histórica, que se refletiu na cobertura do SporTV e da Globo.
 
''O objetivo era que a nossa cobertura dos Jogos Paralímpicos tivesse o mesmo foco da cobertura dos Jogos Olímpicos: o registro das grandes performances de grandes atletas, sem deixar de lado as histórias humanas e o clima do evento. O olhar para um atleta paralímpico precisa ser o mesmo que temos para um atleta olímpico. Acreditamos que o Esporte hoje precisa discutir, de forma inclusiva, os comportamentos da nossa sociedade. E os Jogos Paralímpicos têm uma enorme importância nessa discussão'', diz Joana Thimóteo, diretora de eventos esportivos da Globo.
 
As transmissões ganharam uma linguagem mais explicativa e o uso de autodescrição. ''Nenhuma destas mudanças foi por acaso. Tivemos um processo de preparação e contribuição para que as transmissões fossem mais cada vez mais ricas'', explica a narradora Natália Lara. As equipes passaram por um treinamento antes do início dos Jogos Paralímpicos., com a participação de atletas e especialistas, para um debate sobre deficiência e anticapacitismo.
 
Nomes importantes do esporte paralímpico brasileiro como Clodoaldo Silva, Ádria dos Santos e Verônica Hipólito abrilhantaram as transmissões e se destacaram entre o público que acompanhou a competição. ''A experiência foi tão maravilhosa que nem sinto que não estive nos Jogos de Tóquio. Minha sensação é a de que estive com eles nas arquibancadas, vibrando pelos meus amigos'', afirma Verônica Hipólito.
 
Pioneiro nas transmissões paralímpicas desde 2004, o SporTV dedicou mais de 100 horas ao vivo para os Jogos Paralímpicos e colocou no ar o ‘Conexão Tóquio’, programa diário conduzido por  Flávio Canto e Fernando Fernandes. A TV Globo mostrou ao vivo o pentacampeonato do futebol de cinco e acompanhou a participação brasileira através de compactos, boletins, programas e telejornais.
Anderson Ramos

Um site sobre TV paga com as principais noticias envolvendo o setor, e suas principais operadoras. Além das novidades dos canais e streamings! facebook twitter instagram

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do O Universo da TV. OBS: Comentários Ofensivos ou Irrelevantes e os que conter publicidades serão todos excluídos.

Postagem Anterior Próxima Postagem