TV Brasil estreia segunda temporada do seriado Ícones da Vida Selvagem nesta quinta

Divulgação

A segunda temporada inédita da série documental Ícones da Vida Selvagem revela curiosidades sobre animais nativos da África em busca da sobrevivência. A produção estreia na TV Brasil nesta quinta (25), às 21h30, com uma edição que destaca alguns dos principais predadores do continente.

Com seis episódios de 46 minutos, o programa investiga espécies marcantes que vivem no poderoso ecossistema africano. O seriado mostra a biodiversidade da região enquanto acompanha a luta de vários seres da fauna local para sobreviver em um ambiente desafiador que está constantemente sob ameaça.

Essa temporada procura desvendar o segredo para o convívio dos animais em seus habitats naturais. Entre outros temas, a série esclarece a força das matilhas e traz edições com répteis, anfíbios e mamíferos, assim como espécies carnívoras e herbívoras.

A produção exibida pela emissora pública mergulha na rica variedade típica da fauna africana. Ao apresentar sequências de cenas da vida silvestre, a ideia é explicar a dinâmica entre esses animais na cadeia alimentar e como ocorre o equilíbrio ecológico.

Essa complexa relação será mostrada diante dos curiosos desafios enfrentados por sapos, elefantes, cães selvagens, rinocerontes, tartarugas, crocodilos, hipopótamos e até insetos entre outros seres característicos do continente.

Com horário alternativo na programação da TV Brasil, os telespectadores podem assistir à série aos sábados, às 14h. O programa ainda tem janela durante as madrugadas de quinta para sexta-feira à 1h45 e de sábado para domingo, no mesmo horário. A produção Ícones da Vida Selvagem também fica disponível por 30 dias no aplicativo TV Brasil Play.

Episódio de estreia

Com o título "A equipe de limpeza", o primeiro documentário da série Ícones da Vida Selvagem lança um olhar apurado para o instinto de sobrevivência no Parque Nacional de Marakele, na África do Sul. Essa busca incessante pela manutenção da espécie guia os temidos predadores africanos.

O programa mostra como aves de rapina e felinos se alimentam de outros animais mortos. Eles tornam-se verdadeiros agentes funerários da natureza ao circularem por diversos ambientes na expectativa da oportunidade certa para o bote. Há, ainda, aqueles que tentam uma chance para o consumo da refeição sem correr o risco de virar uma presa.

O inverno é uma das estações do ano mais escassas, mas também é uma época abundante para determinados seres. A série mostra como a morte de uma girafa se torna uma fonte de vida para os abutres da região cuja sobrevivência depende da carne em decomposição de animais como esses.
Anderson Ramos

Um site sobre TV paga com as principais noticias envolvendo o setor, e suas principais operadoras. Além das novidades dos canais e streamings! facebook twitter instagram

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do O Universo da TV.

Postagem Anterior Próxima Postagem