Ad Code

Técnicos aprovam 13 novas vozes no penúltimo dia de 'Audições às Cegas' no The Voice+

Divulgação Globo/Victor Pollak

As 'Audições às Cegas' estão chegando ao fim e os times do 'The Voice+' estão quase fechados para a próxima fase da competição. Na tarde de ontem, dia 13, os técnicos Carlinhos Brown, Fafá de Belém, Ludmilla e Toni Garrido aprovaram 13 novas vozes que entraram para a versão do reality dedicado a talentos com mais de 60 anos. Já no próximo domingo, dia 20, acontece o último dia da primeira fase, quando os técnicos terminam de formar seus times para a disputa do ‘Tira-Teima’. 
 
Com direção artística de Creso Eduardo Macedo, a nova temporada do ‘The Voice+’ vai ao ar na TV Globo aos domingos, após ‘Temperatura Máxima’, e às terças-feiras, às 20h, no Multishow.
 
Conheça os novos aprovados na competição: 
 
Jurandir Vieira - 65 anos | Teresina – PI
Integrante da orquestra Tamoios, de Teresina, Jurandir começou a cantar aos 13 anos de idade em palcos montandos em cima de caminhões. Com 18, decidiu se mudar para São Paulo e tentar a vida cantando em bares e casas de show. Ao longo de sua trajetória, teve a chance de conhecer Altemar Dutra, Benito di Paula e de cantar com Cauby Peixoto. Também gravou um compacto simples, um LP e dois CDs, todos de música romântica. No palco do ‘Voice+’, cantou “Sabor a Mi” e passou a integrar o Time Brown. 
 
Dilma Oliveira - 60 anos | Rio de Janeiro – RJ
Desde criança, Dilma convive com a música. Em casa, sua mãe cantava, enquanto o pai tocava violão. E, apesar de serem musicistas e reconhecerem a voz talentosa da filha, ambos queriam que ela tivesse outra profissão. Aos 18 anos, se tornou babá e, no convívio com a mãe da criança, a música se manteve em sua rotina. Foi com ela que ouviu e conheceu alguns discos da época. Com o tempo, o amor pela música foi aumentando, mas ela só cantava em festas de família. Somente depois dos 40 anos, quando começou a ser cuidadora de idosos, que Dilma passou a se apresentar publicamente. Uma de suas clientes adorava ir a lugares com música ao vivo e pedia que Dilma desse uma “canja”. Assim, ela passou a ser conhecida como “acompanhante cantora” e chegou a fazer um show sozinha em tributo a Alcione, no teatro João Caetano, no Rio de Janeiro. Após cantar “Cara Valente”, Dilma entrou para o Time Ludmilla. 
 
Junior Vieira - 70 anos | Brejo da Madre de Deus – PE
Grandes nomes da música brasileira interpretam composições escritas por Junior. Envolvido com a cultura nordestina, em especial o forró, ele já ganhou diversos concursos e dá aula de cordel para idosos. Formado em Pedagogia, com pós em Recursos Humanos, Junior é funcionário público e tem a música como hobby. Apesar de ter idade para se aposentar, acredita que estar na ativa faz bem para a saúde e quer trabalhar ainda mais. Mas quando a pandemia, enfim, chegar ao fim, ele pretende se aposentar e ganhar o mundo com a música. No palco do reality, Junior cantou música própria – “Cardápio do Vaqueiro”, e conquistou seu lugar no Time Toni. 
 
Ione Papas 61 anos | Salvador – BA
Na década de 1980, ela abandonou a faculdade para viver da música. Agora, além da carreira que conquistou, Ione está prestes a se formar em Música Popular pela Universidade Federal da Bahia. Ao longo da vida, ela conheceu grandes artistas, se apresentou em bares da cidade e fez shows, entre eles, uma homenagem a Noel Rosa, no teatro Vila Velha. No fim dos anos 90, ganhou um festival de música e gravou seu primeiro CD, além de ter alguns projetos engavetados. Ione dá aulas de musicalização infantil e faz oficina de música em aniversários de criança. “O Quereres” foi a canção escolhida por ela, que passou a integrar o Time Ludmilla. 
 
Emílio Seresteiro - 76 anos | Goiânia – GO
Emílio cresceu ouvindo o pai, que era seresteiro e o responsável por levá-lo em programas de calouros no Rio de Janeiro. Quando se mudou para Brasília, aos 17 anos, participou de algumas bandas como crooner e se apresentou em um festival da emissora local. Depois que se casou, a música passou a ser um hobby, cantando apenas ao se reunir com a família e amigos. Emilio atuou como bancário por 18 anos e, atualmente, está aposentado. Ao som de “Laura”, ele garantiu sua vaga no ‘The Voice+’ e ingressou no Time Fafá. 
 
Elaine Anunan - 61 anos | Belo Horizonte – MG
Sua estrada musical é longa. Nos últimos 25 anos, Elaine se dedicou integralmente à música. Aos 13, ganhou um violâo e aprendeu a tocar sozinha. A partir daí começou a cantar em festas de amigos e quando ingressou na universidade, em Ouro Preto, passou a tocar em repúblicas até ser convidada para se apresentar em um bar da cidade. Depois de formada, priorizou a profissão e tocava raramente nos finais de semanas. Mas, ao perder o emprego, Elaine se questionou sobre o futuro e o destino deu o empurrãozinho que faltava para ela retomar a música: durante uma ‘palhinha’ no aniversário de uma amiga, em um bar de Belo Horizonte, ela foi convidada pelo dono do estabelecimento para cantar sempre no local. Foi a porta de entrada para a carreira e ela passou a cantar também em outros bares da cidade. Em 1998, decidiu fazer aulas de canto e, logo em seguida, criou o trio chamado “Voz e Cordas”. Recentemente, lançou um álbum de composições próprias nas plataformas digitais. Ao som de “You Oughta Know”, de Alanis Morissette, Elaine entrou para o Time Brown. 
 
Ernesto Aun - 75 anos | São Paulo – SP
A música sempre foi uma paixão para Ernesto, mas nunca sua profissão. Trabalhou como advogado, já foi dono de um café e trabalhou com pecuária. A música sempre esteve com ele em rodas com os amigos ou com a família e, apesar de não depender da música financeiramente, fez muitos shows em teatros e eventos, além de já ter gravado um CD chamado “Serestas Brasileiras”. Chegou a participar de um programa de TV, no qual foi apresentado como “o último dos seresteiros”. Na infância, ouvia a coleção de discos do pai, que amava o estilo musical, além de tangos. Aprendeu a tocar violão ainda garoto e se diz viciado em música. No palco do ‘The Voice”, Ernesto escolheu cantar “A Volta do Boêmio” e, agora, integra o Time Fafá. 
 
Luciene Sampaio - 60 anos | Rio de Janeiro – RJ
Vida pessoal e profissional se misturam na trajetória de Luciene, que conheceu o marido – guitarrista há 38 anos - no bar onde cantava. Antes da pandemia, se apresentavam juntos com frequência na noite do Rio de Janeiro. Luciene se orgulha em dizer que criou os filhos vivendo da música. Da infância, ela se recorda com carinho da escola, dos amigos, das brincadeiras de rua. Cresceu com os trés irmâos e a mãe, costureira, que vivia cantando em casa e, excepcionalmente, na noite. Ainda criança, ela entrou para o grupo jovem da Igreja e adorou o coral. Aos 24 anos, participou de um festival de escola, do qual faziam parte do júri nomes como Elke Maravilha e Elba Ramalho. Seguiu cantando em casas noturnas, até que ingressou na banda baile Ed Bernard, onde ficou por muitos anos. Formada em letras e, preocupada com o futuro, em 2015, decidiu fazer concurso para professora de educação infantil. Desde agosto do último ano, dá aula para crianças de 2 anos. “Atrás da Porta”, de Chico Buarque, foi a canção escolhida por ela, que passou a integrar o Time Toni. 
 
Sandra Frascá - 69 anos | Batatais – SP
Professora de história aposentada, cabeleireira e cantora profissional de fim de semana, Sandra cresceu ouvindo a mãe cantar em casa. Ainda criança, ela saia escondido cantar em circos e parques. A mãe queria que Sandra estivesse focada nos estudos, mas aos 14, Sandra começou a participar de festivais e ganhou muitos concursos. Com o tempo, decidiu cursar a universidade, casou, teve seus filhos, começou a dar aula e a música ficou restrita às apresentações de fim de semana em bailes, jantares dançantes e casamentos. Com 45 anos, decidiu se especializar em músicas italianas. Desde entâo, tem se apresentado com sua banda em festas típicas da sua cidade e municípios vizinhos. Depois de se apresentar com “Retalhos de Cetim’, Sandra entrou para o Time Fafá. 
 
Geraldo Mamedh - 60 anos | Três Corações – MG

A música faz parte do DNA de Geraldo, que vem de uma família musical. Seu bisavô já cantava e foi passando a paixão adiante, de geração em geração. Geraldo cresceu ouvindo o pai cantar e se lembra de subir na cadeira de casa para pegar o vioão guardado na parte de cima do armário. Aprendeu a tocar sozinho, só de ver os mais velhos dedilhando o instrumento. Mais de 100 pessoas da sua grande família são músicos. Quando criança, chegou a estudar com um tio e, a partir do final dos anos 80, viveu da música por 22 anos. Na época, morava no Rio de Janeiro, tocava no Café Nice e teve a oportunidade de conhecer Neguinho da Beija-Flor e Jamelão. Tem 4 CDs gravados, a maioria de releituras. Atualmente, trabalha em uma fábrica de equipamentos para irrigagâo e a música entra na sua rotina de fim de semana. Geraldo também ajuda a esposa na venda de acessórios na feira hippie de Belo Horizonte. No palco do ‘The Voice+’, ele cantou “Luz do Sol”, de Cateno Veloso, e entrou para o Time Ludmilla. 
 
Eliane Vidal - 71 anos | Rio das Pedras – SP
Eliane teve o pai como professor particular e antes mesmo de oficializar as aulas em casa, começou a aprender só de ouvir os ensinamentos que ele passava aos demais alunos. Chegou a desistir tamanha exigência do pai, mas não conseguiu ficar longe da música por muito tempo. Nascida no Ceará, ela foi professora de musicalização infantil por muitos anos. Dos 15 irmãos, vários seguiram a veia artística e um deles tem uma escola de música. Na juventude, venceu vários concursos e festivais. Seu marido também é músico e, juntos, se apresentaram nos carnavais de Piracicaba. Atualmente, aos sábados, ela canta em duas casas de repouso para idosos. Eliane gosta de compor e tem muitas músicas guardadas, além de repassar o amor adiante para seus filhos e netos. “Repostas ao Tempo” foi a música escolhida por ela para subir ao palco do ‘The Voice” e agora faz parte do Time Toni. 
 
Regina Dias - 63 anos | São Carlos – SP
Ao longo dos anos, Regina sempre se dividiu entre os plantões de enfermagem e os eventos de música. Trabalha na unidade de terapia intensiva pediátrica, cuidando de crianças, e também se dedica à música desde a faculdade. Já lançou três álbuns, todos disponíveis em plataforma digital, e participou de diversos festivais e shows temáticos, produções do SESC, como Elis Por Regina e tributos a Nara Leão, Rita Lee e Nelson Cavaquinho. Recentemente fez a 6° Mostra Jazz, produzida pelo Zumbi Cultural, participou de lives durante a quarentena. Tem ainda um projeto chamado “Misturando Estações”, cuja ideia é tocar vários estilos muiscais, como se fosse a rádio, mas a iniciativa precisou ser suspensa por causa da pandemia. Além do cuidado com as crianças e do amor pela música, Eliane ainda joga vôlei, atividade que está em sua vida desde os 14 anos. Foi levantadora do time da cidade de Ribeirâo Preto e, atualmente, ‘bate uma bolinha’ pelo time master do clube de Sao Carlos. No ‘The Voice+’, ela se apresentou ao som de “Casa no Campo” e passou a integrar o Time Ludmilla. 
 
Avelino Bezerra - 66 anos | Campinas - SP
Avelino mora em Campinas, São Paulo, mas nasceu em Crato, no Ceará. De origem muito humilde, a região onde morava nâo tinha eletricidade e, no entardecer, as familias costumavam fazer uma grande fogueira e ficavam ao redor dela conversando até a hora de dormir. Foi ali que ele começou a cantar, com cerca de 4 anos de idade. Na época, sua mãe fazia bonecas de pano e barro para vender e Avelino acredita que isso influenciou seu outro grande amor: as artes plásticas. Na adolescencia, após se mudar com a família para Osasco, São Paulo, se juntou ao irmão em uma dupla chamada Os manos, e passou a se aprsentar no show de talentos do circo da cidade. Quando o irmâo completou 18 anos e entrou para o exército, Avelino começou a se apresentar sozinho. Aos poucos, fez amizade com os músicos da cidade. Atualmente, é agente cultural aposentado da UNICAMP e passou a se apresentar em bares e casas noturnas de Campinas. Com “Reconvexo”, de Caetano Veloso, Avelino entrou para o Time Brown. 
 
Veja como estão os times até o momento: 
 
Time Brown: Dionisya Moreira; Marina Tartarini; Acaciamaria; Fhernanda Fernandes; Cris Nunes; Walter Ramalho, Avelino Bezerra, Elaine Anunan, Jurandir Vieira.    
 
Time Fafá: Arlindo Moita; Cássia Portugal; Atilio Ancheta; Ninah Jo; Marcília de Queiroz Pinheiro; Clarisse Grova, Sandra Frascá, Ernesto Aun, Emílio Seresteiro.    
 
Time Ludmilla: Maurício Gasperini, Chico Aafa; Sueli Costa Gomes; Vando Lipert; Elizeth Rosa, Regina Dias, Geraldo Mamedh, Ione Papas, Dilma Oliveira.   
 
Time Toni: Lucinha Bosco; Alba Lirio; Narriman Senden; Wilma de Oliveira; Wander Borges; Jhusara, Eliane Vidal, Luciene Sampaio, Junior Vieira.  

Postar um comentário

0 Comentários

Ad Code