Ad Code

TV Brasil - Programação de Filmes de 26 de fevereiro a 6 de março

Divulgação

Confira a programação de filmes da TV Brasil de 28 de fevereiro a 06 de março.

Sábado, 26 de fevereiro

Cine Retrô – Betão Ronca Ferro
18h00, na TV Brasil

Ano: 1971. Gênero: comédia. Direção: Geraldo Afonso Miranda. Elenco: Amárcio Mazzaropi, Dilma Lóes, Roberto Pirillo, Geny Prado, Araken Saldanha.

Em "Betão Ronca Ferro", o comediante Amácio Mazzaropi presta uma justa homenagem aos artistas mambembes e a sua origem no circo. Mesmo depois da fama, o ator nunca deixou de frequentar os picadeiros Brasil afora.

Na trama, o humorista interpreta um empregado de circo que tem o ofício ameaçado quando a filha (Dilma Lóes) deixa o mundo dos espetáculos para se casar com um jovem muito rico (Roberto Pirillo), contra a vontade da família dele.

O pai dela (Amácio Mazzaropi) acaba pegando dinheiro emprestado com a família do genro (Araken Saldanha) e compra o circo onde trabalhava. Assim, ele passa a perambular de cidade em cidade.

O título da comédia faz alusão à revolucionária telenovela "Beto Rockfeller", um fenômeno daqueles tempos. "Betão Ronca Ferro" retrata a dura realidade dos artistas de circo, principalmente na concorrência entre um circo grande porte e um menor. Na época, os animais ainda podiam ser atrações no picadeiro. Amácio Mazzaropi também aborda a moda da época, como a minissaia e a calça pantalona.

Reprise. 100 min.
Classificação Indicativa: Livre
Horário: 18h00

Sábado, 26 de fevereiro

Cine Retrô – Bom Mesmo é Carnaval
21h30, na TV Brasil

País: Brasil. Ano: 1962. Gênero: comédia musical. Diretor: J.B. Tanko. Elenco: Zé Trindade, Anilza Leoni, Alberto Perez, Nelly Martins, Renato Restier, Darcy de Souza, Tutuca, Paulo Rodrigues, Duarte de Moraes, Jayme Costa.

Importante figura da pequena cidade de Passaroca, no interior, o Coronel Polidoro (Zé Trindade) resolve apadrinhar seu amigo para candidato quando se aproximam as eleições para a prefeitura.

Ele ainda decide criar um curso de alfabetização para adultos. No entanto, Polidoro precisa encontrar uma professora competente e decide ir ao Rio de Janeiro com essa atribuição. Falso moralista, acaba caindo na farra carioca.

No Rio, Polidoro conhece uma linda vedete e convida a moça para passar o carnaval em sua fazenda. Bêbado, ele confunde os endereços e faz seu motorista levar a vedete no lugar da professora para Passaroca, situação que vai causar muita confusão.

Com direção do cineasta J.B. Tanko, o filme "Bom Mesmo é Carnaval" é estrelado pelo comediante Zé Trindade. A produção tem dez números musicais. Além do elenco da trama, as canções são interpretadas por astros nacionais. Essas sequências contam com a participação especial de personalidades como Virgínia Lane, Jackson do Pandeiro e Francisco Carlos, entre outros artistas.

Reprise. 95 min.
Classificação Indicativa: 12 anos
Horário: 21h30

Domingo, 27 de fevereiro

Sessão Família – As Aventuras de uma Super-Professora
14h00, na TV Brasil

Título original: Superjuffie. País: Holanda. Ano: 2018. Gênero: aventura, família, fantasia. Direção: Martijn Maria Smits. Elenco: Diewertje Dir, Hassan Slaby, Harry Piekema, Carly Wijs, Jeevan Dhanpat, Josephine Nollen, e Maarten Wansink.

A Srta. Josje (Diewertje Dir) parece ser uma professora comum. Ela acaba de chegar à nova escola em que vai lecionar e logo precisa lidar com uma sala de aula repleta de alunos sem um pingo de motivação para aprender. A moça de 20 anos tem uma vida pacata como educadora em uma escola primária.

Meio tímida e muito atrapalhada, ela descobre um misterioso artefato na parede de casa. Ao entrar em contato com o objeto, ela liberta uma força potente que se une ao seu corpo e lhe dá superpoderes incríveis. A professora precisa de coragem para vencer seus medos e encarar os desafios.

Ao ouvir o som emitido por um animal em perigo, ela dá uma mordida no giz e se transforma na Super Professora. Josje dispara pelo ar como um tornado verde a fim de salvar animais, com quem consegue se comunicar. A partir de suas novas habilidades, a professora usa os poderes especiais para proteger os bichos. Ela não consegue evitar o desejo, muitas vezes inconveniente, de realizar os resgates.

Algumas crianças descobrem o segredo da professora e ela conta com o sigilo deles. Quando Josje descobre uma conspiração contra o zoológico da cidade, a jovem e seus alunos terão a perigosa tarefa de defender o local sem revelar a identidade da nova heroína da região. Aí, ela precisa decidir se vai resgatá-los ou fugir.

O filme é uma adaptação literária baseada na série de livros homônima escrita por Janneke Schotveld.

Reprise. 84 min.
Classificação Indicativa: 12 anos
Horário: 14h00

Domingo, 27 de fevereiro

Cine Retrô – Dois na Lona
16h00, na TV Brasil

País: Brasil. Ano: 1967. Gênero: comédia. Direção: Carlos Alberto de Souza Barros. Elenco: Renato Aragão, Ted Boy Marino, Leila Santos, Suely Franco, Roberto Guilherme, Annabella, João Carlos, Milton Villar, Pedro Pimenta, Nanai, Carlos Koppa.

Os amigos Renato (Renato Aragão) e Ted (Ted Boy Marino) são mecânicos humildes que vieram do interior. Eles namoram duas moças ricas, Leila (Leila Santos) e Suely (Suely Franco). As jovens moram numa luxuosa mansão onde ajudam o garoto Zuzu (João Carlos). O casarão fica perto da oficina onde Renato e Ted trabalham.

Ao presenciar uma briga em um parque, o empresário Carlos Alberto (Carlos Alberto de Souza Barros) fica impressionado com o desempenho de Ted. Sem escrúpulos, o ricaço organiza a carreira do feroz Lobo (Roberto Guilherme), lutador campeão de vale-tudo.

Bom de luta, Ted é convidado pelo empresário para treinar, fazer um teste e entrar no campeonato. O novato exercita-se com afinco e, numa carreira vertiginosa, torna-se a nova sensação das competições e vira sério concorrente ao título máximo com a ajuda de seu amigo atrapalhado, de um menino esperto e das namoradas.

Ted se qualifica para decidir o cinturão da categoria com Lobo, mau-caráter que não está disposto a perder o título e o dinheiro de apostas ilegais da quadrilha em que atua. O bando quer tirar o mecânico do caminho para que ele não atrapalhe seu ramo de apostas.

A corja de bandido tenta comprá-lo para que Ted perca a luta decisiva, mas ele não cede às pressões para ser derrotado na final. Sem sucesso, os marginais raptam a namorada do rapaz para ameaçá-lo com chantagem.

Com a ajuda do irmão da moça, de sua prima e de alguns amigos, o mecânico Renato consegue salvá-la dos sequestradores. Após o resgate da jovem, ela chega ao ginásio a tempo de conferir a vitória de Ted na competição.

Na época do filme "Dois na Lona", as lutas de telecach estavam no auge da popularidade no país. A comédia foi uma das primeiras participações de Ted Boy Marino com Os Trapalhões. O ex-lutador ítalo-brasileiro criado na Argentina contracenou com Roberto Guilherme, outro coadjuvante costumaz da trupe. O longa teve direção de Carlos Alberto de Souza Barros que também atua na trama.

Inédito. 87 min.
Classificação Indicativa: Livre
Horário: 16h00

Domingo, 27 de fevereiro

Cine Retrô – Os Três Cangaceiros
20h00, na TV Brasil

País: Brasil. Ano: 1958. Gênero: comédia. Diretor: Victor Lima. Elenco: Ankito, Ronald Golias, Grande Otelo, Neide Aparecida, Átila Iório, Nelly Martins, Paulete Silva, Angelito Melo, Wilson Grey, Carlos Tovar.

A cidade de Desterro sofre o ataque do bando do cangaceiro Tranca-pés (Átila Iório). Dois covardes locais, Aristides Pelado (Ankito), o farmacêutico da Botica dos Aflitos, e Carlos Bronco (Ronald Golia), dentista e fotógrafo, amam a jovem Rosinha (Neide Aparecida), filha de um abastado fazendeiro.

A moça, porém, os despreza, porque gosta de homens valentes, como o misterioso personagem "Onça Vingadora", que combate sozinho os cangaceiros. Bronco e Aristides são amados secretamente por Zizi (Nelly Martins) e Marisa (Paulete Silva), que não se interessam por elas.

Bronco e Mundico (Grande Otelo), um mascate nordestino, são capturados pelos cangaceiros e, no momento em que serão enforcados, são salvos pela Onça Vingadora. Ambos se refugiam numa capela abandonada, onde também está escondido Aristides.

Eles entram em acordo sobre a única maneira de enfrentar os cangaceiros: vestir-se como eles e se misturar ao bando para descobrir o esconderijo. Entretanto, os verdadeiros cangaceiros chegam à capela e os tomando como companheiros, levam-nos no ataque à cidade de Desterro.

Durante o assalto, Rosinha é raptada. Os três falsos cangaceiros são presos e ameaçados de linchamento. Por acaso, eles são salvos por Zizi e Marisa. Elas se disfarçam de cangaceiras e os cinco vão no encalço do bando para resgatar Rosinha. Descoberto o esconderijo, eles conseguem libertar Rosinha, prendem os bandidos e é esclarecida a identidade da Onça Vingadora.

Reprise. 97 min.
Classificação Indicativa: Livre
Horário: 20h00

Domingo, 27 de fevereiro

Cine Retrô – O Jeca e a Freira
03h30, na TV Brasil (madrugada de domingo, dia 27/2, para segunda-feira, dia 28/2)

País: Brasil. Ano de estreia: 1968. Gênero: comédia. Direção: Amácio Mazzaropi. Elenco: Amácio Mazzaropi, Geny Prado, Mauricio do Valle, Elizabeth Hartman, Carlos Garcia, Ewerton de Castro.

Em uma fazenda localizada numa cidadezinha no interior do Brasil, no século XIX, um senhor de terras responsabiliza-se pela educação da filha de um dos seus colonos. Ele se afeiçoa a menina como se fosse sua própria filha.

Anos mais tarde, quando a jovem regressa do colégio em companhia de uma freira, o fazendeiro faz de tudo para que ela não reconheça seus verdadeiros pais.

Neste longa, o humorista Amácio Mazzaropi vive o protagonista e também dirige a comédia.

Reprise. 102 min.
Classificação Indicativa: 12 anos
Horário: 03h30 (madrugada de domingo, dia 27/2, para segunda-feira, dia 28/2)

Segunda-feira, 28 de fevereiro

Sessão Família – Bons de Bico
14h00, na TV Brasil

Título original: Free Birds. País: Estados Unidos. Ano: 2013. Gênero: animação. Direção: Jimmy Hayward.

Rivais, Reggie e Jake são dois perus que realmente não se relacionam bem. Apesar disso, eles são obrigados a colocar as diferenças de lado em prol de um bem maior assim. A dupla vai embarcar em uma aventura bastante inusitada ao viajar no tempo para mudar os rumos da História. Eles devem tentar eliminar o peru do cardápio tradicional das festas de fim de ano.

Considerado um bicho diferente, Reggie não se sente como as outras aves do sítio em que vive. Ele percebe que os fazendeiros estão apenas engordando os animais para devorá-los mais tarde, mas ninguém presta atenção no que o peru diz.

Quando chega a sua vez de ser morto no Dia de Ação de Graças, Reggie tem sorte, pois é poupado pelo presidente dos Estados Unidos e adotado por sua filhinha, levando então uma vida de conforto e mordomias.
 
Um dia, Reggie é buscado por Jake, um peru corajoso que recebeu ordens superiores para resgatá-lo. Segundo os planos, os dois animais devem entrar em uma máquina do tempo, voltar no século XVII e impedir que os colonos americanos tenham a ideia de matar perus nas festas de fim de ano.

Reggie não tem a menor intenção de fazer a viagem, mas é obrigado por Jake a aceitar a aventura. Quando volta no tempo, a dupla vai conhecer um mundo cheio de perigos, incluindo cães selvagens e caçadores de perus, mas também novas amizades e amores.

Reprise. 91 min.
Classificação Indicativa: Livre
Horário: 14h00

Segunda-feira, 28 de fevereiro

Cine Retrô – É de Chuá!
22h00, na TV Brasil
03h45, na TV Brasil (madrugada de segunda, dia 28/2, para terça-feira, dia 1º/3)

País: Brasil. Ano: 1958. Gênero: comédia musical. Direção: Victor Lima. Roteiro: Victor Lima e Haroldo Barbosa. Elenco: Ankito, Grande Otelo, Renata Fronzi, Renato Restier, Bill Farr, Costinha, Zezé Macedo, Carlos Costa, Duarte de Moraes, Pedro Dias.

Maria Xangai (Renata Fronzi) e seu namorado, Juca Moleza (Renato Restier), são vigaristas do subúrbio carioca. O casal costuma se encontrar em uma popular casa de dança próxima à favela e armam um plano para se passarem por pessoas ricas.

Eles fingem ser o senhor e a Madame Caxangai, os novos milionários da cidade. A dupla de farsantes atrai um joalheiro para uma "festa da sociedade" numa mansão que alugam. Maria Xangai e Juca Moleza preparam um grande evento no local em que as joias serão exibidas como em uma passarela.

Tudo acontece conforme o planejado até que Peteleco (Ankito) e Laurindo (Grande Otelo) aparecem na festa pedindo dinheiro para sua escola de samba. Peteleco acaba engolindo um grande diamante – que pensava ser um doce – levado pelo joalheiro Fininho. Peteleco é aprisionado até conseguir expelir o diamante por suas entranhas, o que demora algum tempo.

Desconfiados dos novos ricaços, dois investigadores da polícia (Bill Farr e Costinha) acreditam que há algo errado com a festa. Por isso, eles decidem se infiltrar no evento e aparecer na casa para desmascarar os supostos grã-finos. Os oficiais querem fazer o possível para descobrir quem são os larápios.

Com direção de Victor Lima, "É de Chuá!" conta 16 números musicais, com participação de personalidades como Nelson Gonçalves, Jamelão e Agostinho dos Santos (acompanhados do Conjunto Marabá), Emilinha Borba, a dupla de palhaços Carequinha e Fred (com Altamiro Carrilho), Linda Batista, Dircinha Batista, Ruy Rey e Orquestra, Jorge Goulart, Joel de Almeida (acompanhado de Jupira e suas cabrochas), Trio de Ouro, Carlos Augusto e Gilberto Alves.

Reprise. 99 min.
Classificação Indicativa: 12 anos
Horário: 22h00
Horário: 03h45 (madrugada de segunda, dia 28/2, para terça-feira, dia 1º/3)

Terça-feira, 1º de março

Cine Retrô – Bom Mesmo é Carnaval
14h00, na TV Brasil

País: Brasil. Ano: 1962. Gênero: comédia musical. Diretor: J.B. Tanko. Elenco: Zé Trindade, Anilza Leoni, Alberto Perez, Nelly Martins, Renato Restier, Darcy de Souza, Tutuca, Paulo Rodrigues, Duarte de Moraes, Jayme Costa.

Importante figura da pequena cidade de Passaroca, no interior, o Coronel Polidoro (Zé Trindade) resolve apadrinhar seu amigo para candidato quando se aproximam as eleições para a prefeitura.

Ele ainda decide criar um curso de alfabetização para adultos. No entanto, Polidoro precisa encontrar uma professora competente e decide ir ao Rio de Janeiro com essa atribuição. Falso moralista, acaba caindo na farra carioca; 

No Rio, Polidoro conhece uma linda vedete e convida a moça para passar o carnaval em sua fazenda. Bêbado, ele confunde os endereços e faz seu motorista levar a vedete no lugar da professora para Passaroca, situação que vai causar muita confusão.

Com direção do cineasta J.B. Tanko, o filme "Bom Mesmo é Carnaval" é estrelado pelo comediante Zé Trindade. A produção tem dez números musicais. Além do elenco da trama, as canções são interpretadas por astros nacionais. Essas sequências contam com a participação especial de personalidades como Virgínia Lane, Jackson do Pandeiro e Francisco Carlos, entre outros artistas.

Reprise. 95 min.
Classificação Indicativa: 12 anos
Horário: 14h00

Terça-feira, 1º de março

Cine Retrô – Quem roubou meu samba?
22h30, na TV Brasil
03h45, na TV Brasil (madrugada de terça, dia 1º/3, para quarta-feira, dia 2/3)

País: Brasil. Ano: 1958. Gênero: comédia musical. Diretor: José Carlos Burles. Produtor: Oswaldo Massaini. Roteirista: José Carlos Burles. Elenco: Ankito, Maria Vidal, Nancy Wanderley, Aurélio Teixeira, Wilson Grey, Francisco Dantas, Chuvisco, Pituca, Darcy Coria, Humberto Catalano.

A trama em preto e branco acompanha as confusões do talentoso compositor Atanásio Cruz (Chuvisco). Compositor talentoso, o sambista não se conforma com as maracutaias no mercado fonográfico. Decidido a dar o troco, ele assina contrato com duas gravadoras rivais e some. Os empresários da indústria descobrem a malandragem do artista suburbano e querem resolver a situação e, até, vingança.

Com paradeiro desconhecido, Atanásio tinha vendido o seu samba para o traiçoeiro Tancredo (Humberto Catalano), da gravadora Gravapan, e para Dora Aurora (Maria Vidal), que tem sua própria gravadora e está interessada na cantora Gilda (Darcy Coria) para interpretar a obra.

O atrapalhado detetive Leovegildo (Ankito), amigo de Atanásio, é contratado pela gravadora Aurora para subir o Morro da Navalhada onde o sambista mora e encontra-lo com um gravador para fazer o registro da canção.

O desonesto Tancredo, da Gravapan, envia Secundino (Aurélio Teixeira) e outros capangas para o local atrás do artista. Ele quer trazê-lo até a gravadora para o acerto definitivo do contrato. Na confusão, o compositor é agredido de forma tão violenta que perde a memória. Leovigildo tem a fita que levou destruída por Secundino.

Atanásio é levado para ser atendido no Hospital dos Prontos em que trabalha a enfermeira Iolanda (Nancy Wanderley), namorada de Leovigildo. Enquanto isso, os capangas de Secundino não desistem e raptam o valente sambista do hospital, mas são seguidos pelo detetive.

Leovigildo passa por diversas situações cômicas na tentativa de rememorizar a música e proceder a gravação. O detetive segue os meliantes até o esconderijo e convoca os amigos de Atanásio, liderados por Blequinho, para salvá-lo.

Após a luta, Atanásio é libertado. O músico recobra a memória ao ouvir um taxista assobiar o samba. De volta ao hospital, ele canta a composição para Dona Aurora, com doentes e médicos caindo no samba "Não tem castigo".

Estrelada pelo saudoso humorista Ankito, a comédia musical "Quem Roubou Meu Samba?" é inspirada na peça homônima de Silveira Sampaio. Com direção do cineasta José Carlos Burle e produção de Oswaldo Massaini, o longa traz a participação de diversos sambistas e personalidades carnavalescas da época em seus números musicais. O longa tem sequências com astros do porte de Angela Maria, Virginia Lane, Trio Irakitan, Marlene e Germano Mathias.

Reprise. 82 min.
Classificação Indicativa: 12 anos.
Horário: 22h30
Horário: 03h45 (madrugada de terça, dia 1º/3, para quarta-feira, dia 2/3)

Quarta-feira, 2 de março

Sessão Família – Meu Querido Elfo
14h00, na TV Brasil

Título original: Domovoy. País: Rússia. Ano: 2019. Gênero: aventura, fantasia. Direção: Evgeniy Bedarev. Elenco: Sergey Chirkov, Ekaterina Guseva, Dmitriy Bedarev, Dmitriy Belotzerkovskiy, Mikhail Bespalov, Olga Ostroumova-Gutschmidt, Alexandra Politic, Anastasiya Abadzhidi.

A trama russa de contos de fadas acompanha uma família que acaba de comprar um flat em um arranha-céu de Moscou. Eles não sabem que uma criatura mítica – um elfo doméstico – vive na residência há mais de um século.

A arquiteta Vika (Ekaterina Guseva), mãe solteira da pequena Alina (Alexandra Politic), precisa encarar o misterioso ser dotado de poderes mágicos que se esconde e há anos usa truques contra os inquilinos no apartamento do antigo e imponente edifício.

O elfo Domovoy (Sergey Chirkov) é contra moradores no local por causa de uma maldição imposta por uma bruxa contratada pela agente imobiliária para tirá-lo da residência. Agora, os novos donos da casa tentam fazer amizade com ele. A criatura mantém a propriedade e seu tesouro protegidos da perigosa feiticeira.

Assim, além de travar uma verdadeira batalha contra o habitante indesejado, mãe e filha também precisam resistir às investidas da bruxa Mama Fima (Olga Ostroumova-Gutschmidt). A feiticeira quer se apossar da preciosidade escondida pelo elfo sob o assoalho do flat.

Com direção de Evgeniy Bedarev, o filme russo de aventura e fantasia leva às telas a figura do "Domovoy", criatura típica do folclore eslavo. Esse espírito doméstico é semelhante a um elfo, porém ainda mais travesso.

Reprise. 90 min.
Classificação Indicativa: 12 anos
Horário: 14h00

Quinta-feira, 3 de março

Sessão Família – Os Doze Trabalhos de Asterix
14h00, na TV Brasil

Título original: Les douze travaux d'Astérix. País: França. Ano: 1976. Gênero: animação. Direção: Albert Uderzo, René Goscinny, Pierre Watrin.

A história protagonizada pelos personagens Asterix e Obelix se passa em 50 A.C., na Gália ocupada pelo Império Romano. Depois de mais uma tentativa fracassada de conquistar a aldeia, alguns dos senadores romanos passam a suspeitar que os moradores da vila gaulesa são, na verdade, uma espécie de deuses.

Júlio César, para manter seu trono, propõe um acordo e envia ao povoado uma lista com doze tarefas inspiradas nos feitos de Hércules que só poderiam ser realizadas por seres superiores. Se os gauleses vencerem o desafio, o monarca admitiria a derrota. Caso contrário, eles se renderiam ao Império Romano e se tornariam escravos.

A proposta é aceita. O desafio pode garantir independência da vila que elege Asterix e Obelix para tal missão. Asterix, por ser o mais esperto, e Obelix, por ser o mais forte, são escolhidos para representar o povo. Com o peso de não falhar em uma só tarefa, a dupla sai para cumprir os doze trabalhos e manter a dignidade gaulesa.

Os personagens em quadrinhos foram criados pelos franceses Albert Uderzo e René Goscinny, em 1959. A história acompanha aldeões de uma aldeia gaulesa que usa poções mágicas para resistir à dominação do império romano. As séries foram traduzidas para diversos idiomas e conquistaram fãs em todo o mundo.

Repletos de humor e trocadilhos, esses conteúdos foram adaptados para jogos, brinquedos e produções da sétima arte em animação e live action. O ator Gérard Depardieu se consagrou como o divertido Obelix em interpretações que ficaram eternizadas em quatro filmes para as telonas, entre 1999 e 2012.

Com tramas que atravessam gerações, as incríveis aventuras dos personagens Asterix e Obelix ganham a telinha da TV Brasil. Única animação com roteiro totalmente original sem se inspirar em qualquer obra dos quadrinhos, "Os Doze Trabalhos de Asterix" traz uma história épica em que os personagens gauleses são desafiados a cumprir tarefas que remetem à narrativa mitológica dos doze trabalhos de Hércules.

Reprise. 82 min.
Classificação Indicativa: Livre
Horário: 14h00

Quinta-feira, 3 de março

Cine Retrô – Pistoleiro Bossa Nova
22h30, na TV Brasil
03h45, na TV Brasil (madrugada de quinta, dia 3/3, para sexta-feira, dia 4/3)

País: Brasil. Ano: 1960. Gênero: comédia, faroeste. Direção: Victor Lima. Roteiro: Victor Lima. Elenco: Ankito, Grande Otelo, Renata Fronzi, Renato Restier, Aurélio Teixeira, Ana Maria Nabuco, Rildo Gonçalves, Consuelo Leandro, Lyris Castelani, Carlos Tovar, Arlindo Costa, Annabela, Wilson Grey.

O assustado e inofensivo pipoqueiro Inocêncio (Ankito) está com os nervos abalados e procura um lugar calmo que não tenha barulho. Ele viaja com o amigo Pexinxa (Grande Otelo) de trem para a distante cidade de Desespero, no interior.

O local é considerado uma área pacata por Sérgio (Rildo Gonçalves), um passageiro com quem eles fazem amizade. Uma companhia teatral mambembe também está na mesma composição que eles. Inocêncio logo é atraído por Lili (Renata Fronzi), a estrela dos espetáculos da trupe.

Durante o percurso, o trem é atacado por bandidos mascarados a cavalo, que tentam roubar a carga de munição que estava em um dos vagões. Quando Cachimbo (Aurélio Teixeira), um dos ladrões, avista Inocêncio, ele o confunde com o famoso Pistoleiro Vingador e foge em seguida, acompanhado dos demais facínoras.

Inocêncio e Pexinxa descem na estação de um vilarejo em que todos também o identificam como o valente que havia partido. Sósia do Pistoleiro Vingador, ele assume o papel do justiceiro. A dupla de camelôs resolve então tirar vantagem dessa fama inesperada.

Eles querem aproveitar a oportunidade já que todos os tratam bem. Covardes, Inocêncio e Pexinxa encontram-se em uma cidade constantemente atacada por aquele perigoso bando de marginais. Ainda assim, estava tudo sob controle até que o misterioso chefe da quadrilha de meliantes não gosta da "volta" do Pistoleiro e tenta capturá-lo, criando diversas dificuldades para Inocêncio que não sabe nem atirar.

A situação se agrava ainda mais para os dois com a presença de Pequenina, uma filha valente de cangaceiro e que era amante do verdadeiro Pistoleiro. Ela aparece na região, vai atrás de Inocêncio e cria uma rixa com Lili.

Reprise. 102 min.
Classificação Indicativa: 14 anos.
Horário: 22h30
Horário: 03h45 (madrugada de quinta, dia 3/3, para sexta-feira, dia 4/3)

Sexta-feira, 4 de março

Sessão Família – Espião por Acaso
14h00, na TV Brasil

Título original: MeesterSpion. País: Holanda. Ano: 2016. Gênero: aventura. Direção: Pieter van Rijn. Elenco: Beau Schneider, Stijn Van Der Plas, Nienke de la Rive Box, Patrick Stoof, Lieneke Le Roux, Aus Greidanus, Simone Van Bennekom.

Tim, um garoto de dez anos de idade, muda-se com a família para um velho hotel situado na região costeira do país. Ele sofre para se adaptar ao novo lar, até que conhece Simon, um rapaz peculiar recém-desperto de um sono profundo que o manteve preso, sem contato algum com a sociedade, desde 1974.

Com Simon se ajustando ao mundo de hoje e Tim se adaptando à nova casa, a dupla começa uma grande amizade. Quando Tim decide ajudar Simon a encarar o mundo atual, o menino descobre que seu novo amigo é um antigo espião. A partir de então, eles embarcam em uma incrível aventura.

Reprise. 100 min.
Classificação Indicativa: 10 anos
Horário: 14h00

Sexta-feira, 4 de março

Cine Nacional – Insônia
22h30, na TV Brasil
03h45, na TV Brasil (madrugada de sexta, dia 4/3, para sábado, dia 5/3)

País: Brasil. Ano: 2013. Gênero: comédia romântica. Direção: Beto Souza. Elenco: Lara Rodrigues, Daniel Kuzniecka, Luana Piovani.

O filme narra os conflitos de Cláudia (Lara Rodrigues), uma adolescente de 15 anos, órfã de mãe desde os cinco e que mora com o pai, Rafael (Daniel Kuzniecka). A família veio da Argentina para o Brasil após a perda.

Cláudia tenta viver uma vida normal enquanto aprende a cuidar de uma casa e de seu pai, além de precisar lidar com o mundo. Ela não namora ninguém e o pai não se casa de novo. Foi desta forma que os dois se organizaram tacitamente para lidar com as perdas do passado.

Tudo pode mudar quando sua amiga Andreia (Luana Piovani), de 28 anos, conhece Rafael e os dois começam a namorar, apesar da diferença de 20 anos entre os dois. A relação deixa Cláudia ainda mais desconfortável e confusa. A jovem se vê obrigada a amadurecer muito cedo e acaba dividida entre a amizade e o ciúme.

Baseado no livro homônimo de Marcelo Carneiro da Cunha, o longa-metragem acompanha o olhar da adolescente Cláudia, que fica perplexa com tantas novidades na vida: uma nova amiga, uma mulher para o pai viúvo e um menino para, finalmente, namorar.

Reprise. 91 min.
Classificação Indicativa: 12 anos
Horário: 22h30
Horário: 03h45 (madrugada de sexta, dia 4/3, para sábado, dia 5/3)

Sábado, 5 de março

Cine Retrô – Zé do Periquito
18h00, na TV Brasil

País: Brasil. Ano: 1960. Gênero: comédia. Direção: Amácio Mazzaropi e Ismar Porto. Elenco: Amácio Mazzaropi, Geny Prado, Roberto Duval, Nena Viana, Amélia Bittencourt.

Em "Zé do Periquito", Amácio Mazzaropi interpreta Genó, um tímido e pobre jardineiro de um colégio que se encanta por uma das alunas, Carmem. A jovem é filha de um empresário bem-sucedido que passa por dificuldades financeiras. 

Para poder conquistar a moça, Genó deixa o emprego de jardineiro e vai para outra cidade onde trabalha com seu realejo em busca de dinheiro. O realejo fica famoso e, em pouco tempo, Genó consegue uma pequena fortuna.

As filmagens foram realizadas nos Estúdios da Vera Cruz, com locações em Santos. O longa conta ainda com números musicais de Mazzaropi, Agnaldo Rayol e Hebe Camargo, Cely Campello, Tony Campello, George Freedman, Paulo Molin e Carlão.

Reprise. 100 min.
Classificação Indicativa: 12 anos
Horário: 18h00

Domingo, 6 de março

Sessão Família – Uma Amizade Verdadeira
14h00, na TV Brasil

Título original: Marshall, The Miracle Dog. País: Estados Unidos. Ano: 2015. Gênero: drama. Direção: Jay Kanzler. Elenco: Shannon Elizabeth, Matthew Settle, Lauren Holly, Lucas Carrol, Bill Chott.

Um menino de 13 anos, Finn (Lucas McHugh Carroll), torna-se alvo de valentões em sua nova escola. Intimidado no colégio, ele está se sentindo sem esperança até que encontra o cachorro labrador Marshall, com quem cria um imediato laço de afeto.

O animal está enjaulado em condições deploráveis, após ser capturado por um colecionador de cães que maltrata os bichos. Consciente, o garoto sabe que deve resgatar Marshall. Finn que cuidar de seu novo amigo que está ferido e precisa de um veterinário com urgência.

A trama de companheirismo entre Finn e Marshall obteve reconhecimento no circuito da sétima arte. O drama "Uma Amizade Verdadeira" recebeu o Prêmio de Escolha do Público de Melhor Filme no Festival Internacional de Cinema de St. Louis. O longa também foi premiado como Melhor Filme de Família no Wild Rose Film Festival e no Belleville News Democrat.

Reprise. 90 min.
Classificação Indicativa: Livre
Horário: 14h00

Domingo, 6 de março

Cine Retrô – Simbad, o Marujo Trapalhão
16h00, na TV Brasil

País: Brasil. Ano: 1975. Gênero: comédia. Diretor: J.B. Tanko. Elenco: Renato Aragão, Dedé Santana, Carlos Kurt, Rosina Malbouisson, Edson Rabello, Jorge Cherques, Edson Rabello.

Empregados em um circo, Kiko (Renato Aragão) e Duda (Dedé Santana) se envolvem em uma grande confusão, quando Kiko é confundido com o trapezista Simbad (Edson Rabello). O trapalhão é raptado pelos capangas do mágico Ali Tuffi (Carlos Kurt), que já possui o gênio da lâmpada mágica, mas precisa de Simbad para localizar a pedra filosofal com a qual terá fortuna e poder.

Na tentativa de ajudar os amigos, Simbad e a namorada Luciana (Rosina Malbuisson) também acabam prisioneiros no navio dos bandidos. Depois de uma sucessão de correrias, com a lâmpada mágica passando de mão em mão, os heróis são bem-sucedidos e Kiko usa a pedra filosofal para duplicar Luciana pela qual é apaixonado.

Inédito. 90 min.
Classificação Indicativa: Livre
Horário: 16h00

Domingo, 6 de março

Cine Retrô – Jeca Tatu
03h30, na TV Brasil (madrugada de domingo, dia 6/3, para segunda-feira, dia 7/3)

País: Brasil. Ano: 1959. Gênero: comédia. Direção: Milton Amaral. Elenco: Amácio Mazzaropi, Geny Prado, Roberto Duval, Marlene França, Nicolau Guzzardi, Nena Viana.

Inspirado no personagem de Monteiro Lobato, Jeca Tatu é um caipira muito preguiçoso que vive em uma cidade do interior de São Paulo com sua esposa e filha.

Jeca é um roceiro ocioso de dar dó, mas essa indolência está com os dias contatos, pois seu ranchinho está ameaçado pela ganância de latifundiários sem coração. Agora, o protagonista vai precisar colocar em prática todo seu jeito matreiro para conseguir seu cantinho de terra.

Clássico da filmografia de Amácio Mazzaropi, o filme é uma declarada homenagem ao conterrâneo Monteiro Lobato, criador do personagem homônimo na obra "Urupês".

Na trama, Mazzaropi trata com singeleza a figura do homem do campo e a questão da reforma agrária.

Reprise. 100 min.
Classificação Indicativa: 14 anos
Horário: 03h30 (madrugada de domingo, dia 6/3, para segunda-feira, dia 7/3)

Postar um comentário

0 Comentários

Ad Code