Ad Code

'Fantástico' conta histórias sobre quebra de preconceitos no MMA

Divulgação Globo

No MMA, esporte onde a homossexualidade ainda é tabu, é notícia quando um atleta assume sua orientação sexual. Washington Duarte Souza, lutador de MMA de 28 anos, de Laranjal do Jari, no Amapá, conta no 'Fantástico' sua luta até poder falar abertamente sobre o assunto. Washington, que vem de três vitórias consecutivas, revela que um de seus oponentes chegou a deixar a cidade após perder pra ele e ser alvo de chacota "por perder pra um gay". 
 
“Primeiro, parte de preconceitos que eu tive dentro do MMA foi de um rapaz de uma cidade vizinha, que falou que se perdesse pra mim, ele ia embora da cidade. Eu ganhei a luta no primeiro round e ele saiu da cidade”, revelou na entrevista ao repórter André Gallindo. Seu primeiro técnico o apelidou de "Dourado, a Princesinha", que ele carrega até hoje. Nas lutas, Washington entra vestindo uma capa preta, com detalhes dourados, ao som da música "Cheguei", de Ludmilla.
 
O programa mostra ainda outro caso em que o preconceito está sendo quebrado lá nos Estados Unidos. Alana McLaughlin é a segunda lutadora transgênero assumida a competir num evento internacional de MMA. Nascida com gênero masculino numa família religiosa, ela sempre se identificou mais com as meninas e pediu pela transição desde a juventude, mas isso sempre lhe foi negado. Ela chegou a ser alistar no exército em 2003 numa última tentativa de "ser homem". Serviu no Afeganistão como sargento-médico. Em 2016, finalmente fez sua transição. 
 
O 'Fantástico' deste domingo, dia 24, começa logo depois do ‘Domingão com Huck’.

Postar um comentário

0 Comentários

Ad Code