Ad Code

Thiago Franzé, o excêntrico ator que interpreta André em ''Poliana Moça'', é o convidado do ''PoliCast'' desta quinta

Divulgação Lourival Ribeiro/ SBT

O ator Thiago Franzé, do elenco da faculdade de ''Poliana Moça'', é o convidado do ''PoliCast'' desta quinta-feira (21). O podcast vai ao ar logo após a exibição da trama na TV, no canal da novela do YouTube, Spotify, Deezer e Amazon Music.

Thiago interpreta André, o caipira que está na cidade grande, morando com sua tia-avó Dona Branca [Lilian Blanc] e Antônio [Jitman Vibranovski], para fazer faculdade de administração e poder ajudar futuramente na fazenda de seu pai quando voltar para o interior. O rapaz é bagunceiro e sem muita noção de convivência com os outros, o que causa a maior dor de cabeça para a tia-avó e seu marido. André gosta de provocar Dona Branca, deixando a idosa louquinha. Não tem um dia que Branca não se arrependa de ter aceitado a vinda do rapaz. Além de aborrecer a senhora, ele adora andar por aí com o braço de fora em sua picape, se exibindo para as meninas e não entende quando suas táticas de conquista não funcionam em Raquel [Bel Moreira] , mas isso só aflora seu interesse por ela. André, que até então achava difícil domar cavalo selvagem, vai enfrentar um desafio muito maior com Raquel.

O ator de 25 anos se destacou muito no teatro, na televisão, é seu primeiro trabalho. Ele conta que é um sonho trabalhar no SBT, mas que a trajetória para alcançar o sonho não foi fácil. 

“Eu tinha 23 na época, eu me formei em 2018, trabalhei durante a faculdade, mas quando me formei não tive trabalho. Eu me formei em Atuação Cênica pela UNIRIO, e quando me formei fiquei desempregado por pressão dos pais. Eu falei para eles investirem em mim por mais um ano, porque eu não tinha grana, né?! Nesse um ano, aconteceu tanta coisa, negativamente, que era para eu desistir. Eu não passei em 10 testes para audiovisual em um ano. Como a TV não estava me dando chance, eu foquei no teatro. Em um ensaio do teatro, meu agente me ligou e falou que tinha um teste no SBT [...] Quando eu descobri que passei foi emocionante. Eu tento vir para o trabalho com essa animação e com essa alegria”

“Eu trabalhei muitos anos com teatro, música de hospital e com festa infantil. Não era de palhaços, era uma trupe de músicos e a gente fazia umas cenas e eu trabalhei com música em curto espaço de tempo; passava em uma sala do hospital e tinha que tocar e cantar. E em festa infantil, eu trabalhei muito também, trabalhei quatro anos. Então, você que tem entre dois e nove anos, existe uma possibilidade muito grande de eu ter trabalho em sua festa se você é do Rio de Janeiro”, brinca o entrevistado.

Thiago é de Ribeirão Preto, São Paulo. O convidado diz que o seu sotaque e do seu personagem é um ponto em comum, mas que isso não é o ponto forte: “O que tem muito parecido é que somos muito convencidos e brincalhões, nesta questão de como ele se porta no grupo sou eu. Aquela coisa de chegar na galera e dar uma causada, ou de chegar na Raquel e falar: ‘vai dizer que você não gostou do beijo?’ - já dei esse discurso algumas vezes na vida, mas as pessoas de fato não tinham gostado (risos). E diferente, acho que é a maneira do discurso, de falar, porque o André é brutão, ele vem com esse discurso antiquado, mais antigo. A gente já tem mais vivência na cidade grande, você não pode falar tudo o que pensa da maneira como chega em sua cabeça, tem que dar uma polida. Vamos ver se acontece uma polida com André, se vai continuar bruto e carrancudo do jeito que é”.

O intérprete de André contracena com Lilian Blanc, que dá vida a Dona Branca e com Bel Moreira, a Raquel, seu par romântico na novela. O entrevistado alega que misturar o conceito do cara xucro ao de mulheres independentes, com opiniões concretas e ideais foi um propósito brilhante da obra.

“O pessoal que escreveu o roteiro é genial, dona Iris [Abravanel] está de parabéns, porque botar o cara mais brutão, com discurso mais antiquado do mundo, com as duas personagens mais firmes da novela, que é a Dona Raquel D'Ávila e Dona Branca. Receita do caos”.

Ao ser questionado pelos apresentadores se teria algum outro personagem de “Poliana Moça” que ele gostaria de fazer, ele responde: “Só tem personagem bom nessa novela. Eu não quero puxar pano dos meus colegas, mas como sou mais estrelinha, então eu não ia reclamar de ser Poliana. Eu ia amar o Waldisney, o Roger. Dona Branca, o que são os textos dela, ela tem uns textos maravilhosos, o pessoal capricha muito, todo mundo espera no estúdio qual piada ela vai fazer.

O podcast “Policast” vai ao ar toda terça e quinta, logo após a exibição da novela, no canal de Poliana Moça no YouTube e nas plataformas de áudio

Postar um comentário

0 Comentários

Ad Code