Ad Code

''Em ‘Poliana Idosa’ ele pode melhorar'', brinca Otávio Martins, intérprete do vilão Roger na novela 'Poliana Moça'

Divulgação SBT/Lourival Ribeiro

Otávio Martins, ator que dá vida ao vilão Roger é recebido nos estúdios do ''PoliCast'' desta terça-feira (24) para falar todos os detalhes do personagem. O podcast vai ao ar logo após a exibição da trama na TV, 21h30 no canal da novela do YouTube, Spotify, Deezer e Amazon Music.

Alegando não querer perder o resto de sua família, como perdeu a mulher e os filhos, Roger tenta encontrar seu caminho de volta para dentro da família se fazendo de bom moço. O teatro não convence ninguém, com exceção de Glória [Clarisse Abujamra] e Poliana [Sophia Valverde], as únicas que ainda têm esperanças de vê-lo mudado. Glória não consegue enxergar que por trás do discurso arrependido, Roger tem segundas intenções. Recém-saído da cadeia, com uma mão na frente e outra atrás, se submete a situações que chegam a ser cômicas de tão ridículas e humilhantes. Com a informação de que existe  o Pinóquio, protótipo de Ester que pode lhe ajudar a conquistar seus objetivos, Roger furta o boneco ao lado de  Waldisney [Pedro Lemos] e Violeta [Gabriela Saadi] e, juntos, tentarão desvendar os segredos das invenções de Otto [Dalton Vigh] 

“A gente tinha um desenvolvimento do personagem em ‘As Aventuras de Poliana’, mas quando ele sai da cadeia em ‘Poliana Moça’, ele sai sangue nos olhos, querendo vingança. Todo mundo escreve: ‘não vejo a hora do Roger ficar bonzinho’. Espera sentado, porque vindo do Roger não tem isso não. Acho que em ‘Poliana Idosa’ ele pode melhorar”, brinca o ator.

“Ele já perdeu tudo, perdeu família, perdeu dinheiro e perdeu a casa, ele não tem nada a perder, então ele sai [da prisão] sem aquelas travas todas, ele sai disposto a vingança. Por um lado ele pode ficar mais perigoso, mas por outro lado ele pode ficar mais engraçado”, pontua.

Em “As Aventuras de Poliana”, Otávio contracenava com Mylla Christie, que fazia o papel de Verônica, esposa de Roger, e dividia as câmeras com Lawrran Couto como Guilherme e Bela Fernandes dando vida à Filipa, porém, o elenco da família do vilão não permaneceu na segunda temporada da novela. E o intérprete do malvadão explica o motivo:

“Eu achei estranho no começo, eu falei: ‘Cara, o Roger vai voltar sem família?!’; só que depois eu fui entender que para fazer o que o Roger faz - e vocês vão ver que tem muita coisa pela frente, vai piorar muito- ele não podia ter família. E de fato, o Roger fica mais leve assim”.

“Eu trato o Lawrran como filho até hoje e a Belinha também [...] A relação que a gente acaba estabelecendo com os atores, com aqueles que são nossos filhos, é uma relação meio paternal. O Pedro Lemos (Waldisney) tem isso com o João Pedro Delfino (Pinóquio). E não existe uma mãe maior no mundo do que a Gabriela Saadi, que faz a Violeta. A Gabi é mãe de dois meninos [na vida real], mas no set, ela cuida de mim, do Pedro e do João Pedro como se fossem filhos”, conclui o convidado.

Ele fala também sobre a relação com Sophia Valverde: “Eu tenho tido uma experiência muito bonita com a Sophia, porque a gente praticamente não contracenou na primeira temporada. E nesta segunda novela, a gente contracena bastante. Daqui para frente vocês vão ver um envolvimento maior do Roger com a Poliana. Teremos um tio da Poliana um pouco mais presente. E ele sabe que ela funciona na chave do emocional, então ele faz essa chantagem emocional”.

Otávio Martins é considerado o rei do improviso pelos colegas, ele cria apelidos cômicos, o que acabou gerando autenticidade ao personagem e leveza à vilania.

“Eu tenho liberdade com a direção. O Roger dá apelido para as pessoas. Parece que é só improviso, mas a gente estuda muito antes de fazer e falar. É um improviso pensado, porque tem a classificação etária, você não pode falar qualquer coisa, tem que ser uma coisa que a molecada entenda, que não atinja negativamente as pessoas, tem que ter esse cuidado. O meu preferido é ‘água de bidê’. Tudo que ele fala com o Waldisney eu gosto, como: 'cérebro de samambaia plástica'. Tem um novo que não foi para o ar ainda: ‘ameba com glitter’”, explica o entrevistado. 

E questionado se o ator se identifica com o personagem da ficção, ele responde: “Absolutamente nada”.

O podcast “Policast” vai ao ar toda terça e quinta, logo após a exibição da novela, no canal de Poliana Moça no YouTube e nas plataformas de áudio

Postar um comentário

0 Comentários

Ad Code