Ad Code

Metrópolis, da TV Cultura, conversa com o bailarino Thiago Soares sobre o curta Vermelho Quimera

Divulgação Narriman Romeiro

"A dança clássica erudita é uma arte dolorosa, lenta, cruel, invejosa. Mas, quando dá certo, é extremamente satisfatória". O desabafo é do bailarino Thiago Soares, em entrevista ao programa Metrópolis, da TV Cultura, nesta terça-feira (24/5), a partir das 19h20.
 
Thiago conversou com Cunha Jr. sobre o curta-metragem Vermelho Quimera, dirigido por ele e Oscar Metsavaht, que está sendo apresentado em Cannes, no Short Film Corner - o grande mercado de curtas-metragens desse que é um dos principais festivais de cinema do mundo.
 
O curta não tem diálogos falados, mas é uma conversa entre os dois protagonistas - o próprio Thiago e a atriz (não bailarina) Lana Rhodes. “É a dança contando história, e não a dança a serviço de uma narrativa”, comenta Soares. A inspiração para o curta-metragem veio da aclamada coreografia de Pássaro de Fogo, para a música do russo Igor Stravinsky (1882-1971).
 
“É quase a desconstrução da ideia daquele príncipe perfeito. Então brinca também com a minha realidade, sabe?”, diz o bailarino.

Ex-primeiro bailarino do Royal Opera Ballet, de Londres, atualmente Thiago Soares dirige o Ballet de Monterrey, no México.

Postar um comentário

0 Comentários

Ad Code