Ad Code

Vera Iaconelli é a convidada do Provoca desta terça-feira (7/6)

Divulgação/Julia Rugai

Nesta terça-feira (7/6), Marcelo Tas recebe a psicanalista Vera Iaconelli no Provoca. Mestre e doutora em psicologia pela USP, escritora e colunista da Folha de S.Paulo, a convidada que se dedica à pesquisa sobre parentalidade e família desata e embaraça diversas reflexões sobre liberdade, costumes, relações afetivas e outros. Vai ao ar a partir das 22h, na TV Cultura.
 
Em uma conversa sobre pais e filhos, a psicanalista explica a presença da liberdade nas relações familiares. “A liberdade dá um medo tremendo.” diz Vera. A convidada fala sobre as mudanças na relação de um filho e pai, no momento em que pais “helicópteros” - barulhentos - deixam de ficar em cima de seus filhos. “A liberdade te coloca em contato com o teu desejo (...) Colocar no outro a responsabilização pelo meu desejo, pelo que faço ou deixo de fazer, é o truque mais velho que existe”, pontua Vera.
 
Em um tom provocativo, Tas questiona a psicanalista sobre admirações familiares extremas, fazendo uma alusão à atual família no governo. A escritora explica quais as origens de relações como essa, se voltando ao contexto social brasileiro. “(...) a família é tudo”, diz Vera em tom irônico. “A gente vê isso na presidência…A gente faz o que tiver que fazer pelo filho que tem que ser embaixador nos Estados Unidos, mesmo não sabendo falar inglês, porque família é tudo né? Nós ainda estamos assombrados por um modelo de família que pega no coração, mas que exclui toda a população”, comenta.
 
Ainda sobre o Brasil, Tas questiona se já não passou da hora do país fazer uma terapia. A convidada faz uma comparação do país com o comportamento de um paciente que acaba de iniciar um processo de análise. Ela comenta sobre a dificuldade de se apropriar dos próprios sintomas e da história. Como exemplo, pontua a negação em relação à ditadura militar e a reprodução de diversos sintomas.

Postar um comentário

0 Comentários

Ad Code