Ad Code

A poética do desterro em Imre Kertész, nobel de literatura, em filme inédito

Divulgação Curta!

Imre Kertész foi o primeiro autor húngaro a receber o Prêmio Nobel de Literatura, em 2002. Judeu, sobrevivente do Holocausto — fora enviado aos 14 anos para o campo de concentração de Auschwitz, e depois para o de Buchenwald —, sua escrita é marcada pelo tema do deslocamento, o sentimento de se sentir alheio ao mundo e a si mesmo. O documentário ''Desterro — A Poiesis de Imre Kertész'', inédito, chega ao Curta! e ao Curta!On – Clube de Documentários para revisitar sua obra e sua trajetória.

O filme, conduzido e narrado pelo diretor José Alberto Cotta, mostra que o “desterro” acompanhou o autor desde a sua infância, quando fora enviado para um colégio interno após o divórcio dos pais. Mas, para se aprofundar nos impactos desse sentimento na obra de Kertész, Cotta vai a Budapeste para investigar a trajetória dele in loco.

Kértesz dizia nunca ter se sentido acolhido em toda a sua vida: como judeu, sofreu perseguições de todo tipo, sobretudo durante o período nazista; e, mesmo entre os judeus, não se achava bem aceito, por não ser religioso. Além de suas questões pessoais, vivenciou períodos turbulentos na vida política europeia mesmo após a Segunda Guerra. Como o regime stalinista se apossou da Hungria depois do fim do conflito, Kértesz continuou a ser perseguido e discriminado.

Para ajudar a contar a história do escritor húngaro e a descrever sua obra, são utilizadas imagens de arquivo, e trechos de seus escritos são narrados pelo diretor. Como recurso poético, o filme traz inserções da coreografia “Amanhã é outro dia”, executada pela bailarina, coreógrafa e professora de dança Angel Vianna.

Também são entrevistados artistas, autores e especialistas diversos. O escritor e professor László Földényi, amigo de Kertész, descreve sua sensação diante de sua obra: “Sempre que eu o leio, tenho o sentimento de que uma pessoa profundamente magoada está falando comigo. Não somente um grande escritor, mas alguém que pessoal e existencialmente é profundamente ferido”. A estreia é na Quinta do Pensamento, 11 de agosto, às 23h.

EUA X China: ‘Mistérios do Arquivo’ relembra visita de Richard Nixon ao território chinês, em 1972

Era fevereiro de 1972, e Richard Nixon se tornava o primeiro presidente norte-americano a visitar a China comunista e o então presidente chinês, Mao Tsé-tung. A viagem visava a um entendimento entre Washington e Pequim. Os bastidores desse encontro histórico são o tema do novo episódio de ''Mistérios do Arquivo'', série que vem sendo exibida no Curta! e está no Curta!On – Clube de Documentários.

O episódio, intitulado “1972: Richard Nixon na China” e dirigido por Serge Viallet e Julien Gaurichon, propõe-se a apresentar respostas para algumas questões: qual é a relação de Nixon com os jornalistas que o acompanham? Como ocorre sua reunião com Mao Tsé-tung?

As imagens mostram que, durante uma semana, Nixon participou de diversas reuniões com os líderes chineses do mais alto escalão e visitou atrações como a Muralha da China. Em meio aos impactos da Revolução Cultural implementada por Mao Tsé-tung e pelo Partido Comunista, aquele momento representava um marco nas relações diplomáticas entre ambos os países, que se apaziguaram na época, mas até hoje são permeadas por conflitos. A exibição é na Sexta da Sociedade, 12 de agosto, às 23h30.

Segunda da Música (MPB, Jazz, Soul, R&B) – 08/08

23h – “Marisa Monte — MM ao Vivo” (Show)

Este filme traz o show do primeiro CD de Marisa Monte. O espetáculo foi gravado ao vivo no Teatro Villa-Lobos e teve participações especiais de Ed Motta, Paulo Moura e Nouvelle Cuisine. Diretor: Nelson Motta, Walter Salles Jr. Duração: 51min. Classificação: Livre. Horários Alternativos: 09 de agosto, terça-feira, às 03h e às 17h; 10 de agosto, quarta-feira, às 11h; 13 de agosto, sábado, às 21h30; 14 de agosto, domingo, às 14h30.

Terça das Artes (Visuais, Cênicas, Arquitetura e Design) – 09/08

23h30 – “Memórias do Grupo Opinião” (Série) – Episódio 2

A história do Grupo Opinião, uma trupe carioca de teatro criada em 1964 para fazer resistência ao regime militar através de produções artísticas. Considerado a primeira resposta da esquerda à ditadura, o grupo reuniu artistas como Nara Leão, Maria Bethânia, João do Vale e Millôr Fernandes. A minissérie em três episódios apresenta um farto material de arquivo com depoimentos preciosos, mesclando os acontecimentos daquele período turbulento com histórias de bastidores e experiências pessoais. Performances marcantes, sobretudo musicais, ganham roupagem contemporânea em releituras especiais, feitas para o longa por músicos convidados.  Duração: 25 min. Classificação: 12 anos. Horários alternativos: 10 de agosto, quarta-feira, às 03h30 e às 17h30; 11 de agosto, quinta-feira, às 11h30; 13 de agosto, sábado, às 20h; 14 de agosto, domingo, às 10h.

Quarta de Cinema (Filmes e Documentários de Metacinema) – 10/08

21h – “Segundo Take” (Série) – Ep.: “Eles Não Usam Black-tie, com Jeferson De”

Neste episódio de “Segundo Take”, o diretor Jeferson De convida o ator Romeu Evaristo para um duplo desafio: encenar dois papéis emblemáticos do filme “Eles Não Usam Black-tie”, de Leon Hirszman, lançado em 1981. Na cena escolhida, os personagens de Milton Gonçalves e de Gianfrancesco Guarnieri têm um diálogo que, apesar de ter sido escrito em 1958, para uma peça de teatro, permanece atual e impactante até hoje. Direção: Julia De Simone. Duração: 26 min. Classificação: 12 anos Horários alternativos: 11 de agosto, quinta-feira, às 01h e às 15h; 12 de agosto, sexta-feira, às 09h00; 13 de agosto, sábado, às 19h30; 14 de agosto, domingo, às 09h30.

Quinta do Pensamento (Literatura, Filosofia, Psicologia, Antropologia) – 11/08

23h – “Desterro - A Poiesis de Imre Kertész”

As questões do desterro humano e da incessante busca pela identidade são exploradas poeticamente através da vida e obra do escritor húngaro Imre Kertész, vencedor do Prêmio Nobel de Literatura de 2002 e sobrevivente de Auschwitz. Ao longo de sua obra, Kertész se coloca a pergunta “quem sou eu?”, nos fala da identidade como ato narrativo e da escrita como resistência contra o aniquilamento, o desterro, a solidão e a morte. Direção: Daniel Augusto Duração: 26 min. Classificação: Livre. Horários alternativos:  12 de agosto, sexta-feira, às 3h e às 17h; 13 de agosto, sábado, às 14h30; 14 de agosto, domingo, às 23h.

Sexta da Sociedade (História Política, Sociologia e Meio Ambiente) – 12/08

23h30 – “Mistérios do Arquivo” (Série) – Episódio: “1972: Richard Nixon na China” Fevereiro de 1972. Richard Nixon é o primeiro presidente americano a visitar a China comunista. Durante uma semana, ele participa de várias reuniões com os líderes chineses do mais alto escalão na esperança de normalizar as relações diplomáticas entre os dois países. Qual é a relação de Nixon com os jornalistas que o acompanham? E sua tão esperada reunião com o presidente Mao? Como ocorre? Direção: Serge Viallet, Julien Gaurichon. Duração: 30 min. Classificação: Livre. Horários alternativos: 13 de agosto, sábado, às 3h35 e às 10h30; 14 de agosto, domingo, às 18h; 15 de agosto, segunda-feira, às 17h30; 16 de agosto, terça-feira, às 11h30.

Sábado – 13/08

20h30– “Hitchcock – O Homem Por Trás do Ídolo” (Documentário)

Conhecido como o “mestre do suspense”, Alfred Hitchcock tem a vida desvendada, neste documentário, pelo olhar de sua esposa, a roteirista e editora cinematográfica Alma Reville. Alma esteve ao lado do cineasta por mais de 50 anos, não só na intimidade de casa, como também na profissão, sendo peça fundamental para a consolidação de sua obra. Entre luzes e sombras, Alma e Hitchcock se misturam em muitos momentos, gerando uma produção cinematográfica inovadora e que marcaria para sempre a história da sétima arte.  Diretor: Laurent Herbiet. Duração: 52 min. Classificação: 12 anos. Horários alternativos: 14 de agosto, domingo, às 09h30.

Domingo – 14/08

21h – ''Candeia'' (Documentário)

Documentário sobre a vida e a obra de Antonio Candeia Filho, compositor da Portela e idealizador e criador do GRANES Quilombo. O filme foi feito em memória aos 40 anos de sua morte, no ano de 2018. Direção: Luiz Antonio Pilar. Duração: 97 min. Classificação: Livre. 

Postar um comentário

0 Comentários

Ad Code