Ad Code


Jornal Nacional exibe série especial 'Brasil em Constituição'

Divulgação Globo/João Miguel Júnior

Há 34 anos foi promulgado o principal alicerce da democracia no país. Elaborada durante o período de redemocratização, após o fim da Ditadura Militar, a Constituição Brasileira, conhecida como Constituição Cidadã, tem entre seus objetivos fundamentais construir uma sociedade justa, livre e solidária, além de assegurar à população direitos básicos, como acesso à saúde, educação e igualdade. Em ano de eleição, ela se faz ainda mais presente, já que a luta para que os brasileiros pudessem votar e escolher diretamente seus representantes tanto no Executivo quanto no Legislativo foi consagrada justamente por meio da Constituição de 1988.   
 
Mas será que os brasileiros, principalmente os mais jovens, têm a dimensão da relevância deste documento? A série 'Brasil em Constituição', que o 'Jornal Nacional' exibe a partir do dia 29 de agosto, mostra, em 23 episódios, os avanços obtidos com a Carta Constitucional de 1988 e como ela está presente no dia a dia dos cidadãos brasileiros. O episódio de estreia explica o que é a Constituição e como ela é fundamental para a preservação da democracia. Ainda na primeira semana, a série conta como surgiram a Carta Magna do Reino Unido, a Constituição dos Estados Unidos e relembra a história das constituições brasileiras até a de 1988, além do período da Ditadura Militar, no qual os brasileiros tiveram os seus direitos banidos.   
 
Serão abordados ainda aspectos da Constituição referentes a diversos temas importantes para a nossa sociedade, como saúde, educação, igualdade de gênero, racismo, casamento homoafetivo, meio ambiente, liberdade de expressão, liberdade religiosa, entre outros. “Queremos fazer com que as pessoas reflitam sobre essas conquistas e percebam como é importante preservar direitos pelos quais tanto lutamos.  Há muito o que fazer ainda para que todos os brasileiros tenham acesso a tudo o que foi estabelecido em 1988.  Mas a Constituição é um ponto de partida, é uma meta a ser atingida. Muita coisa depende de gestão, depende de termos governantes comprometidos com esses direitos. Cabe a cada um de nós cobrar para que essas conquistas não fiquem só no papel.  O fato de elas estarem no texto constitucional é uma garantia e permite que façamos essa cobrança . Mas é preciso conhecer o que está escrito ali para poder cobrar. Muitas vezes nem nos damos conta de direitos e liberdades que só fazem parte do nosso dia a dia hoje porque foram garantidos na Constituição”  afirma a diretora da série, Mônica Maria Barbosa. 
 
‘Brasil em Constituição’ será ancorada por William Bonner e Renata Vasconcellos. “Eu não tenho sequer uma sombra de dúvida de que o ‘Jornal Nacional’ vai exibir o mais importante produto da história do telejornalismo brasileiro. O conteúdo é oportuno, necessário, esclarecedor. E a realização é de um apuro técnico do mais alto nível”, destaca Bonner. “A série é um mergulho na trajetória de construção da democracia brasileira, através da Carta Cidadã, de 1988. Mostra as passagens mais marcantes da Constituição e como ela contém os nossos anseios, deveres e desafios como nação. A série está linda!”, complementa Renata.
 
Foram cerca de 10 meses de trabalho, entre o desenvolvimento dos roteiros, as pesquisas nos acervos da emissora e a produção e gravação das reportagens, que são conduzidas pelos repórteres Pedro Bassan e Graziela Azevedo. Os primeiros episódios também contam com a participação da repórter Mônica Sanches e dos correspondentes nos Estados Unidos, Felipe Santana; e no Reino Unido, Rodrigo Carvalho. Cerca de 30 profissionais foram envolvidos na produção da série, entre repórteres, cinegrafistas, editores de texto, editores de imagem, produtores e pesquisadores. Mais de 80 entrevistas foram gravadas especialmente para a série, todas nos estúdios da TV Globo. Entre os entrevistados, ministros do Supremo Tribunal Federal, juristas e constitucionalistas,  além de pessoas que estiveram no noticiário nas últimas décadas por causa das conquistas obtidas a partir da Constituição de 88. São brasileiros comuns que agora foram até os estúdios da TV Globo dar entrevista porque consideram importante dividir suas histórias com outros brasileiros.
 
Outro destaque de 'Brasil em Constituição' é o registro histórico recuperado por meio da pesquisa no arquivo de imagens da TV Globo. As equipes assistiram a 4.300 vídeos do acervo da emissora para compor as reportagens especiais. Os pesquisadores encontraram imagens emblemáticas - algumas inéditas ou pouco divulgadas, como a do então presidente Ernesto Geisel tomando a vacina contra a meningite,  depois da censura do governo à divulgação de informações sobre a epidemia da doença. Tanto a produção quanto os repórteres que conduzem as matérias examinaram ainda 740 vídeos do diário da Constituinte que estão nos arquivos do Congresso Nacional.
 
Valendo-se de diferentes espaços cenográficos integrados, 'Brasil em Constituição' também impressiona pelas inovações tecnológicas. Imagens, depoimentos em vídeo e documentos exibidos em 75 metros quadrados de tela led em diversas configurações são a base da narrativa da série especial, que conta com identidade visual única, mas alinhada à do ‘Jornal Nacional’.
 
A série 'Brasil em Constituição' será exibida no ‘Jornal Nacional’ de segunda a sexta-feira, a partir do dia 29 de agosto, e será reexibida pela GloboNews, a partir do dia 3 de setembro, sempre aos sábados e domingos, às 23h. Somente os últimos três episódios serão reapresentados nos dias 29/9 (quinta-feira) e 30/9 (sexta-feira).

Postar um comentário

0 Comentários

Ad Code