Ad Code

No Brasil o 19% dos domicílios acessam à TV Paga de forma pirata

Divulgação

PAY-TV Forum, apresentado por Teletime, está focado na situação atual e o futuro da indústria da televisão paga. Inclui perspectivas do mercado e hábitos de consumo, pacotes dos serviços de Streaming, a exclusividade de conteúdo e mais.  

BB Media oferece uma análise exaustiva centrada na disponibilidade e metadados de conteúdo dos Serviços de Streaming e de TV Paga. Depois de monitorar este mercado no Brasil, foi determinado que há um alto nível de fresh market, de +39.9M de domicílios que não assinam TV Paga e/ou plataformas de Streaming. Em contrapartida, são mais os domicílios que possuem somente assinatura de plataformas de Streaming (+18.4M) dos que possuem apenas TV Paga (+2.4M), enquanto +12.1M dos domicílios têm ambos os serviços em conjunto. 

Olhando para o futuro, estima-se que a penetração de TV em domicílios assinantes diminua a um 12,83% no ano 2026, enquanto no ano atual projeta-se que feche com 18,35%. Por sua vez, espera-se que dentro de 5 anos a quantidade de cordcutters seja de +1.3M em comparação com +10M de domicílios assinantes. Quanto aos serviços de Streaming, espera-se uma penetração de 53% para o ano 2026, o que se traduz em um total de +41.7M de domicílios com internet, quando no 1Q2022 foram registrados +30.5M. Embora a penetração de TV Paga continue a diminuir, ambos os serviços coexistem dentro do que conhecemos como convergência; afinal, existem +12.1M de domicílios no Brasil que possuem tanto TV Paga quanto plataformas de streaming. 

Ao analisar o market share de domicílios declarados com TV Paga no país, identificou-se que a Claro TV cobre um 44% do mesmo, quase metade. É seguido de perto pela SKY (32%), depois pela Oi TV (14%) e pela Vivo (8%). 

Dos +14M de domicílios assinantes de TV, destaca-se que o nível de pirataria dos mesmos atingiu um 18,8%, e uma sub-reportagem do 8%. Isso é impressionante considerando que no nível latino-americano a pirataria tem um escopo muito menor, de 15,4%, além de sub-reportagem de 10,9%. 


No ranking de Serviços de Streaming com maior quantidade de títulos no país, Clarotv+ lidera a lista com +10.7K filmes e séries. É seguido pela Vivo Play (+10.3K títulos), Amazon Prime Video (+9.4K títulos), iTunes (+9.3K títulos) e fecha o TOP 5 Google Play Movies (+7.6K títulos). Mas quando se trata da quantidade de domicílios usuários que utilizam essas plataformas, é Netflix quem lidera, com +12.9M de domicílios. 

Os provedores de TV Paga que lideram o mercado foram adaptando sua oferta e disponibilizando sob demanda diferentes filmes e séries. Ao analisar as plataformas de Streaming daquelas operadoras de TV que possuem maior nível no market share, Clarotv+ continua sendo o serviço com mais títulos. Seguido por Vivo Play com +10.3K títulos, Oi Play com +4.3K e Claro Video com 2.296. Os principais modelos de negócio entre esses serviços são TV Everywhere e Transaction VOD.  

Seguindo esta linha, a média de plataformas SVOD utilizadas no país aumentou consideravelmente. No 2Q2019 a média de plataformas SVOD utilizadas por domicílio era de 1.8, este número foi gradativamente aumentando até atingir o 3.3 no 1Q2022.  

Christian Peralta, Chief Customer Officer, estará presente no evento em nome da BB Media, empresa global de Data Science especializada em Mídia e Entretenimento por mais de 35 anos. 

Christian apresentará sobre o cenário competitivo da indústria focando em dois temas particulares: primeiro a perdida de base das operadoras tradicionais; segundo o crescimento da quantidade de players e assinantes de Streaming, além do crescimento da pirataria.  

Postar um comentário

0 Comentários

Ad Code