Ad Code


Documentário inédito sobre a São Paulo Cia. de Dança estreia no Curta!, com integrantes refletindo sobre a sua arte

Divulgação Curta!

Belas coreografias apresentadas nos palcos, cenas de ensaios, depoimentos emocionados e reflexão sobre o ofício. Assim é 'Moto Contínuo — Uma Imersão na São Paulo Companhia de Dança', documentário inédito e exclusivo que estreia no Curta!. Com direção de Marco Del Fiol, o filme mostra, em suas muitas camadas, os bastidores da companhia de dança paulista, criada em 2008 pelo governo do estado.

A narração traz as falas de profissionais que, em diferentes áreas, são parte da construção da companhia: da diretora artística Inês Bogéa à pianista ensaiadora; dos bailarinos aos membros de equipes responsáveis por fazerem os espetáculos chegarem ao público. Todos dão depoimentos nos quais transparece o amor pelo trabalho ou pelo ofício da dança.

Entre os muitos testemunhos, Bogéa abre o documentário falando sobre a função do diretor: “O papel do diretor é colocar tudo em movimento: da hora que surgem as ideias, até essas ideias ganharem corpo, e a gente chegar na cena e dividir as obras com a plateia”. Revelando sua inspiração para dançar, um dos bailarinos conta que “via na dança uma forma de ir para o mundo”. Já a professora, ao orientar um aluno em um ensaio, ensina: “Sinta o prazer de girar, e não o esforço. Não importa se a plateia está cheia ou vazia, o prazer é seu. Se você perder a relação com o seu prazer de dançar, fica tenso”.

As cenas de espetáculos variados, de aulas e de ensaios vão sendo exibidas enquanto as experiências são narradas por seus componentes. Uma das mensagens reveladas é que, por trás do sublime, há o humano com toda a sua complexidade. “O filme é uma experiência sensorial e emocional. Olhamos a companhia de dentro, bem de perto. São imagens e depoimentos com uma enorme carga de cumplicidade e poesia. É uma arte que nos toca sem precisar de palavras”, reflete o diretor Marco del Fiol.

‘Moto Contínuo — Uma Imersão na São Paulo Companhia de Dança’ é uma produção da Casa Redonda viabilizada pelo Curta! através do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA). Após a estreia no canal, o longa estará também no Curta!On, streaming disponível na ClaroTV+ e em CurtaOn.com.br. Novos assinantes têm sete dias para desfrutar da plataforma gratuitamente. A estreia é na Terça das Artes, 6 de setembro, às 22h30.

Segundo episódio da nova temporada de ‘Grandes Cenas’ traz cena icônica de ‘Bacurau’

Para os diretores de "Bacurau", Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles, a cena mais importante do filme é aquela em que o personagem Damiano (Carlos Francisco) explode a cabeça do invasor Willy (Chris Doubek). Os bastidores desse momento icônico do filme são revelados por eles em episódio inédito da segunda temporada de "Grandes Cenas".

No programa, o público descobre que os diretores filmaram seis planos diferentes da cena em que Willy é abatido por um tiro de bacamarte. É mostrada uma prótese hiper-realista da cabeça do ator Chris Doubek sendo enchida de sangue falso pela chefe de maquiagem do filme, Tayce Vale. O boneco foi feito nos Estados Unidos por um engenheiro de efeitos especiais que já trabalhou para Quentin Tarantino e Robert Rodriguez.

Com apresentação de Matheus Nachtergaele e dividida em 13 episódios, a segunda temporada de “Grandes Cenas” foi produzida pela Casa de Cinema de Porto Alegre e foi viabilizada pelo Curta! através do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA). No dia seguinte à estreia, o episódio também estará no Curta!On - Clube de Documentários, disponível na ClaroTV+ e em CurtaOn.com.br. A estreia do episódio é na Quarta do Cinema, 7 de setembro, às 23h30.

Segunda da Música (MPB, Jazz, Soul, R&B) – 05/09

20h30 – “Com a Palavra, Arnaldo Antunes” (Documentário)

Um documentário autobiográfico sobre o papel que a palavra, a música e a imagem ocupam na obra de Arnaldo Antunes. De sua origem como poeta ao sucesso como cantor e compositor, o artista revisita os momentos mais marcantes de sua carreira. Duração: 80 min. Classificação: Livre. Horários alternativos: 06 de setembro, terça-feira, às 0h30 e 14h30; 07 de setembro, quarta-feira, às 08h30; 10 de setembro, sábado, às 16h; 11 de setembro, domingo, 22h30.

Terça das Artes (Visuais, Cênicas, Arquitetura e Design) – 06/09

22h30 – “Moto Contínuo — Uma Imersão na São Paulo Companhia de Dança” (Documentário)

Quanta musculatura física e emocional é necessária para um corpo flutuar? Inês Bogéa, diretora artística da São Paulo Cia. de Dança, e sua equipe trabalham para compreender e realizar o que é o balé em todas as suas possibilidades. Do clássico ao contemporâneo, a companhia se adapta e evolui a cada montagem com diferentes coreógrafos e suas distintas linguagens. Entre salas de ensaio, palcos e bastidores, o documentário apresenta depoimentos das múltiplas vozes que constroem o corpo de uma companhia disposta a superar até uma pandemia para se manter em movimento.  Duração: 88 min. Classificação: Livre. Horários alternativos: 07 de setembro, quarta-feira, às 02h30 e às 16h30; 08 de setembro, quinta-feira, às 10h30; 12 de setembro, sábado, às 03h15; 17 de setembro, sábado, às 22h30.

Quarta de Cinema (Filmes e Documentários de Metacinema) – 07/09

23h30 – “Grandes Cenas” (Série) – 2ª Temporada - Ep.: “Bacurau

A partir de entrevistas com realizadores de filmes, a série destaca e analisa cenas memoráveis do cinema brasileiro. Neste episódio, os diretores Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles discorrem sobre a concepção e a repercussão de “Bacurau” (2019). O foco aqui é a violenta cena na cabana de Damião, o primeiro gesto de contra-ataque do povo de Bacurau contra os invasores estrangeiros. Duração: 20 min. Classificação: 10 anos. Horários alternativos: 08 de setembro, quinta-feira, às 3h30 e 17h30; 09 de setembro, sexta-feira, às 11h30; 10 de setembro, sábado, às 20h30; 11 de setembro, domingo, às 10h30.

Quinta do Pensamento (Literatura, Filosofia, Psicologia, Antropologia) – 08/09

23h – “Geração Tela – Uma Geração Doente?” (Documentário)

Smartphone, televisão, computador, videogame e tablet são inevitáveis em nosso dia a dia. Essa intrusão cotidiana gera inúmeras controvérsias. Estamos danificando nosso cérebro com todas essas telas? Quais serão os efeitos dessa exposição sem precedentes na história da humanidade? Este filme científico mostra o que é mito e o que é fato comprovado pela ciência. Direção: Rodrigo Séllos. Duração: 52 min. Classificação: Livre. Horários alternativos: 09 de setembro, sexta-feira, às 03h e às 17h; 11 de setembro, domingo, às 16h45; 12 de setembro, segunda-feira, às 11h.

Sexta da Sociedade (História Política, Sociologia e Meio Ambiente) – 09/09

22h35 – “Operação Camanducaia” (Documentário)

Em outubro de 1974, a polícia de São Paulo realizou uma operação que chocou a sociedade da época e que deixa até hoje cicatrizes e perguntas sem resposta.  Cerca de 93 crianças e adolescentes acusados de pequenos delitos foram presos em São Paulo de maneira arbitrária pela polícia e levados para Minas Gerais. Foram despidos, espancados e jogados em um barranco perto da cidade de Camanducaia. Apenas 41 deles apareceram na cidade na manhã seguinte, machucados, nus e esfomeados, invadindo bares e restaurantes à procura de roupas e comida. Os outros 52 jovens continuam até hoje com o paradeiro desconhecido. Ocorrida durante o período da ditadura militar, a ação gerou repercussão internacional pela cruel violação dos direitos humanos daqueles jovens. Apesar de ter sido denunciado na Justiça, o caso acabou arquivado no Tribunal de Justiça de São Paulo e segue sem punição para os envolvidos. O documentário resgata essa história, com depoimentos de mais de 40 pessoas, como o jornalista Paulo Markun, o padre Júlio Lancellotti e o ex-governador de São Paulo Laudo Natel, para reconstituir as memórias, as motivações e as consequências da operação. Diretor: Tiago Rezende de Toledo Duração: 75 min. Classificação: 16 anos. Horários alternativos: 10 de setembro, sábado, à 02h35; 11 de setembro, domingo, às 13h15; 12 de setembro, segunda-feira, às 16h35; 13 de setembro, terça-feira, 10h35m.

Sábado – 10/09

19h30 – “Segundo Take” (Série) – Ep.: “O Ébrio, com Tatiana Lohmann”

A série tem como proposta recriar cenas antológicas do cinema brasileiro sob o olhar de outros profissionais. A cada episódio, diretores e atores dividem com o público suas paixões cinematográficas e seu processo criativo ao refilmarem uma grande cena. Neste episódio, a diretora Tatiana Lohmann convida a atriz Fernanda D’Umbra para, juntas, recriarem uma cena emblemática do longa “O Ébrio”, de Gilda de Abreu, de 1946. O original traz o cantor Vicente Celestino interpretando a música que dá nome ao filme, como forma de lamentar seus infortúnios amorosos. No remake proposto pela dupla Tatiana e Fernanda, é uma mulher — vivida por Fernanda — quem faz as vezes de abandonada, enquanto canta uma versão da antiga canção regravada agora como rock. Direção: Adriana Borges Duração: 26 min. Classificação: 12 anos Horários alternativos: 11 de setembro, domingo, às 09h30.

Domingo – 11/09

19h – “Casa de Areia” (Ficção)

Após a morte do marido em um acidente, uma mulher grávida (Fernanda Torres) e sua mãe (Fernanda Montenegro) lutam para sobreviver no rigoroso deserto do Nordeste brasileiro com a ajuda de um morador local. Diretor: Andrucha Waddington Duração: 115 min. Classificação: Livre. 

Postar um comentário

0 Comentários

Ad Code