Ad Code

'Profissão Repórter' acompanha trabalhos de instituições que acolhem crianças e adolescentes vítimas de algum tipo de violência

Divulgação Globo

O Brasil registrou, em média, 130 casos por dia de violência sexual contra crianças e adolescentes no ano passado. O dado é do Anuário Brasileiro de Segurança Pública de 2022, que apontou, ainda, que 61,3% das vítimas de violência sexual no país têm menos de 13 anos. Em 79,6% dos casos o autor do crime era conhecido da vítima. O 'Profissão Repórter' desta terça-feira, dia 20, vai mostrar os esforços para punir os criminosos e acolher as vítimas: crianças e adolescentes retirados de seus lares em decorrência de maus-tratos, torturas, trabalho infantil, uso de drogas e violência sexual.  
 
O programa acompanhou a atuação de projetos em duas cidades no Acre – Tarauacá e Sena Madureira. Em um deles, a própria coordenadora da casa de acolhimento foi vítima de maus-tratos na infância. Hoje, ela ajuda quem passou pelo mesmo drama que ela. "Eu consegui sobreviver porque um dia alguém me acolheu. Hoje, minha missão é cuidar de quem passou pelo que passei”, diz Chaena Villaça, da Casa de Acolhimento de Sena Madureira. 
 
As repórteres Nathalia Tavolieri e Gabi Villaça, que foram ao Acre, também conheceram as crianças e adolescentes que moram na casa de acolhimento da cidade de Tarauacá. Assim que chegam ao local, tem início uma nova rotina: acompanhamento médico, odontológico e psicológico. "Nosso maior objetivo é ensinar que a vida das vítimas não pode ser resumida a violência sofrida. Elas têm um nome, uma história e muita coisa pela frente para viver”, afirma a psicóloga da casa de acolhimento, Bruna Pessoa. 
 
Outra equipe do ‘Profissão Repórter’ – composta pelo repórter André Neves Sampaio e pelo cinegrafista Leandro Matozo – foi a São Luís, no Maranhão, onde acontece o coletivo "Menina Cidadã". Formado, em maioria, por jovens mulheres do bairro Cidade Operária, o projeto luta pelos direitos das meninas contra a violência sexual. 
 
Durante uma semana, a repórter Danielle Zampollo acompanhou o trabalho da Divisão de Capturas da Polícia Civil de São Paulo. Em média, são recebidos 200 mandados de prisão por semana – desse total, 8 são de violência sexual contra crianças. A delegada Ivalda Aleixo comanda, há 4 anos, uma equipe de 50 policiais, que são responsáveis pelas prisões de acusados e condenados pela justiça. O professor José Luís Camargo Ribeiro foi preso durante a operação “Não me Toque”. Ele foi condenado a 40 anos de prisão por ter estuprado dois sobrinhos, com idades entre oito e dez anos. Ao todo, a operação cumpriu sete mandados de prisão ligados a este tipo de crime. 
 
O ‘Profissão Repórter’ vai ao ar depois de ‘Cine Holliúdy’.

Postar um comentário

0 Comentários

Ad Code