Conheça os primeiros aprovados nas 'Audições às cegas' no 'The Voice Brasil'

Foi dada a largada para a competição musical que apresenta vozes de todo o país ao grande público. No primeiro programa da nova temporada do 'The Voice Brasil', exibido na última terça-feira, dia 15, dez vozes garantiram vagas nos times Gaby, IZA, Lulu e Teló. Ao final do episódio, foi a vez dos técnicos subirem ao palco para um número especial de “Divino Maravilhoso”, canção de Caetano Veloso e Gilberto Gil, eternizada na voz de Gal Costa. Conheça, a seguir, os aprovados de cada time.
 
Neto & Felipe – 27 e 30 anos | Jales – SP

Gshow/Victor Pollak

Apesar de formados, respectivamente, em História e Letras, os amigos de longa data trabalham exclusivamente com música. Aos 12 anos, Neto, que tocava violão e piano desde a infância, conheceu o guitarrista Felipe na escola e entrou para sua banda. Dois anos depois, o vocalista deixou o grupo e os dois resolveram assumir a função. Aprenderam a cantar em dueto se apresentando em barzinhos. Durante a faculdade, a dupla se chamava Demerara, e suas influências eram folk, rock e sertanejo; em 2019, tendo migrado gradualmente para o sertanejo, mudaram o nome para Neto & Felipe. Já gravaram com a dupla Guilherme e Santiago, têm quatro singles autorais e consideram participar do ‘The Voice’ a melhor oportunidade para mostrar seu trabalho ao Brasil. No palco do reality, os amigos cantaram “O Cio da Terra”, de Chico Buarque e Milton Nascimento, e se surpreenderam com as quatro cadeiras viradas. A dupla escolheu o Time Teló.
 
Dgê – 33 anos | Rio de Janeiro – RJ

Gshow/Victor Pollak

Formado em Enfermagem, na infância fugia de casa para poder cantar na igreja. Aos 12 anos, foi morar nos fundos de um aviário após passar por problemas familiares. Trabalhou no local por algum tempo e, a convite de um vizinho, começou a fazer backing vocal. Sem abandonar a música, teve vários empregos e morou de favor com amigos e nos fundos de uma igreja. Finalista de um concurso musical, teve um feedback negativo e parou de cantar por anos. Cuidava da carreira de uma cantora gospel até perceber que estava sufocando sua paixão pela música. Há pouco mais de um ano, voltou a cantar na noite e hoje vê o ‘The Voice’ como a chance de mostrar que suas características pessoais são, na verdade, agregadores para se tornar um cantor de sucesso. No programa, Dgê apresentou “De quem é a culpa?”, sucesso na voz de Marília Mendonça, virando as cadeiras de IZA, Gaby e Teló. O participante escolheu ir para o Time IZA.
 
Mila Santana – 31 anos | Simões Filho – BA

Gshow/Victor Pollak

Casada com um artista circense desde 2019, a soteropolitana não mora com o marido. Passa metade do ano no Brasil e a outra, na Itália. Canta em um cruzeiro que viaja o mundo fazendo jazz, soul e música brasileira. Quando não está no navio, faz eventos e performances na rua acompanhada de uma caixa de som. Aos sete anos, sua mãe a escutou cantando e a colocou no coral da igreja. Quando começou a cantar outros ritmos, não teve o mesmo apoio do pai. Compõe músicas ligadas ao soul, R&B e canções regionais. Em 2021 lançou nas plataformas uma música autoral e tem um EP em parceria com o DJ Raiz, com canções ao estilo afrobeat. Hoje tem a aceitação da família e considera isso um divisor de águas. No ‘The Voice Brasil’, Mila cantou “Don’t Cry Baby”, de James P. Johnson, Saul Bernie e Stella Unger, conquistando o interesse de todos os técnicos. A artista escolheu ficar no Time Gaby.
 
Mel Fernandes – 27 anos | Curitiba – PR

Gshow/Victor Pollak

Fã de Djavan, Milton Nascimento, Marisa Monte, Elis Regina e Gal Costa, a cantora e professora de música é formada em Canto pelo Conservatório de Curitiba e em Música pela Universidade do Paraná. Cantando em casa desde os 5 anos, aos 8, começou a se apresentar na igreja e nunca mais parou. Aos 13 anos, foi estudar e aprender outros ritmos. Canta em casamentos desde a época da faculdade, toca um pouco de violão e já participou de um grupo de MPB e do coro cênico de Curitiba, apresentando-se em teatros. Mora com o marido, o filho recém-nascido e a enteada em Curitiba, cidade que adora. Sente que cantar é a sua forma mais genuína de demonstrar amor, sentimento que quer transbordar. Sempre se emocionou com o ‘The Voice’ e acredita que este é um programa em que terá a visibilidade de todos. “Vilarejo”, de Marisa Monte, foi a escolha de Mel para as Audições às Cegas, quando garantiu vaga no Time Lulu.
 
Makem – 31 anos | Fortaleza – CE

Gshow/Victor Pollak

Makem se considera uma pessoa de muita fé. Vem de família evangélica, mas hoje é ligada ao misticismo. Cresceu em bairro periférico, perto de comunidades carentes, e sempre teve contato com pessoas diversas. Sua mãe era do coral e a irmã tocava violão na igreja. Aos 11 anos, quis seguir outro caminho, sem fazer o que lhe diziam, e passou a ter contato com o rock, chegando a se apresentar no underground da cidade. Sofreu preconceito e foi expulsa de uma banda aos 17 anos, quando passou a se interessar por outros sons. Foi se conectando, aos poucos, com Elis Regina, Tim Maia e Whitney Houston. Hoje, sua maior influência é o soul. Gosta bastante de compor sobre as sutilezas da vida e acredita que as pessoas precisam se ouvir e se ver na música. Mora com o namorado, o sobrinho e suas galinhas. No ‘The Voice Brasil’, Makem interpretou a canção “Tigresa”, de Caetano Veloso, e fez todas as cadeiras virarem, mas escolheu seguir no Time Teló. 
 
Val Andrade – 41 anos | Caraguatatuba – SP

Gshow/Victor Pollak

Formada em Psicologia, dá atendimento clínico e oferece mentoria para cantores, prestando suporte para quem vai passar por audições ou quer perder a inibição no palco. Começou a cantar na infância, se apresentando na igreja com o pai, e aos 20 anos passou a se apresentar profissionalmente. Fez backing vocal em estúdios, cantou em barzinhos, participou de banda baile e viajou para o México, Chile e Argentina em uma turnê de teatro musical. Desde o início da pandemia, parou de trabalhar como cantora, dedicando-se atualmente ao ofício de psicóloga. Dá aulas on-line, atuando na formação de fonoaudiólogos, cantores e professores de canto. Em 2017, Val subiu no palco do ‘The Voice Brasil’, mas as cadeiras não viraram. Seu filho Caio, de 9 anos, foi o maior incentivador para que ela tentasse novamente. Desta vez, chegou ao reality cantando “I Put a Spell On You”, de Jay Hawkins, e virou as cadeiras de IZA, Teló e Gaby. A cantora escolheu ficar no Time IZA.
 
Gisele de Santi – 36 anos | Porto Alegre – RS

Gshow/Victor Pollak

Cantora e compositora de letras conhecidas pelo público, a música tomou outra proporção em sua vida após a gravação da sua composição "Do Lado de cá" pela banda Chimarruts, que a fez receber propostas de trabalho até fora do país. Péricles, As Marcianas, Negra Li e Anna Vilela também já gravaram canções de sua autoria. Com mais de 1500 músicas escritas, se apresentou muito em barzinhos, bailes e festas. Atualmente, tem trabalho mais com jingles e músicas para publicidade. Com três álbuns gravados e premiados, já cantou com nomes como João Bosco, Vitor Ramil, Jade Baraldo e Mariana Volker. Resolveu se inscrever no ‘The Voice’ depois da participação de um amigo e começou a entender que o programa poderia ser um espaço para ela. No palco, a artista se apresentou ao som de “Dindi”, virou todas as cadeiras e, no final, escolheu o Time Lulu.
 
Marina Rosa – 36 anos | Franca - SP

Gshow/Victor Pollak

Neta de cantora de rádio, bióloga e ativista, Marina cantou na igreja durante a infância e estudou em uma escola de música graças ao trabalho de seu pai. Durante a faculdade, fazia shows de voz e violão com o namorado, que a ensinou a tocar um pouco do instrumento. Ouvia muito da família dele que ela devia ser cantora profissional, mas até então utilizava o dom apenas para pagar sua faculdade, em carreira solo, participando de festivais pelo Brasil. Relutou em ser cantora até que, como diz, a música a abraçou. Ambientalista e atuante em ONGs, gosta de ir trabalhar a pé, dando bom dia aos cachorros da cidade. Para Marina, participar do ‘The Voice Brasil’ pode ser uma forma de comemorar o fato de se reconhecer como musicista e entender que a ambientalista e a cantora de samba habitam o mesmo corpo em paz. Nas Audições, a artista cantou o samba “Clareou”, de Rodrigo Leite e Serginho Meriti, fazendo Gaby virar a cadeira.
 
Camila Malkov – 32 anos | Diadema - SP

Gshow/Victor Pollak

A líder do ministério de louvor na igreja onde o pai é pastor começou com sete anos na música, apresentando-se num culto evangélico. Hoje canta em casamentos e festas e trabalha também como costureira, fazendo produtos personalizados. Já se apresentou em alguns programas de TV e deu aula de técnica vocal numa escola de canto e de musicalização infantil. Além de cantar na igreja, faz clipes de covers gospel na Internet e tem canções autorais, uma delas para seu filho, Benjamim. Como referências, tem Soraia Moraes, Gabriela Rocha, Aline Barros e Ana Paula Valadão, e enxerga no ‘The Voice’ uma grande oportunidade, a realização de um sonho. Mas diz que apesar de respirar música não haverá frustração caso não seja a vencedora do reality. “Case-se Comigo”, de Vanessa da Mata, foi a música que fez os técnicos IZA, Gaby e Teló virarem as cadeiras nas Audições às Cegas. Por fim, Camila escolheu seguir no Time Teló.
 
Bete de Castro – 33 anos | Recife – PE

Gshow/Victor Pollak

Fã de Bossa Nova, Bete também canta forró, frevo, samba e muitos gêneros da MPB. Sempre gostou do palco e, aos 11 anos, ganhou um concurso de uma rádio local, competindo com crianças da sua idade. Competindo depois com adultos, ficou em terceiro lugar na classificação final. Viajou o Brasil com um grupo e apresentou-se em eventos. Formou-se em Recursos Humanos e em Música, e está terminando a pós-graduação em musicoterapia, tendo estagiado no setor de Oncologia. Junto com o marido, tem uma escola onde ele ensina instrumentos e ela, técnica vocal e iniciação musical. Atualmente aplica os aprendizados de musicoterapia com seus alunos e, além de dar aulas, faz eventos corporativos, casamentos e festas infantis. Já compôs músicas para crianças, mas ainda não tem nenhum trabalho gravado. No ‘The Voice Brasil’, Bete cantou “Iracema”, de Adoniran Barbosa, e conquistou vaga no Time IZA.
 
Veja como estão os times, no momento:
 
Time Gaby
Mila Santana e Marina Rosa
 
Time IZA
Dgê, Val Andrade e Bete de Castro
 
Time Lulu
Mel Fernandes e Gisele de Santi
 
Time Teló
Neto & Felipe, Makem e Camila Malkov
 
O 'The Voice Brasil' tem direção artística de Creso Eduardo Macedo, e apresentação de Fátima Bernardes, com Thais Fersoza nos bastidores. A produção é de Valesca Campos, e a direção de gênero é de Boninho. O reality vai ao ar às terças e quintas, após ‘Travessia’. 

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do O Universo da TV.

Postagem Anterior Próxima Postagem

Formulário de contato