Discovery Home & Health e discovery+ estreiam a nova série ''Mães & Filhas - Relações em Conflito''

NOVA SÉRIE OFERECE JORNADA TERAPÊUTICA A MÃES E FILHAS COM RELAÇÕES ESTREMECIDAS
Divulgação

A partir de quarta-feira, 7 de dezembro, às 22h25, o Discovery Home & Health e o discovery+ exibem com exclusividade a série Mães & Filhas – Relações em Conflito (Like Mother, Like Daughter?), produção documental que registra as interações complexas que ocorrem entre doze mulheres, seis duplas de mães e respectivas filhas, todas elas passando por momentos de mudanças significativas e de abalo nos vínculos. Os oito episódios que compõem a série têm estreia simultânea na TV e no streaming.

As câmeras acompanham essas mães e suas filhas em um processo intenso de três semanas durante o qual as doze vão viver na mesma casa e participar de uma jornada de autoconhecimento com o objetivo comum de trabalhar suas diferenças, expressar suas emoções, compartilhar suas perspectivas e redefinir limites para que possam construir relações saudáveis.

Guiando esse processo terapêutico coletivo estão a Dra. Cynthia Powell-Hicks e a Dra. Allycin Powell-Hicks, também mãe e filha e ambas doutoras em psicologia clínica. Dra. Cynthia e Dra. Allycin sugerem encontros e conversas para que as mulheres do grupo trabalhem juntas, lidem com traumas e desenvolvam oportunidades de diálogo. A seguir, um breve perfil das participantes.

Blake vive junto à mãe, Sylvia. As duas costumam ter discussões que terminam em gritaria e agressividade dos dois lados. Depois dessas brigas, passam semanas, até meses, sem trocar uma palavra sequer;
Ryleigh é filha de Shawna. A jovem costuma fugir do confronto e percebe que a distância em relação à mãe só aumenta... Shawna, por sua vez, tem dificuldade em entender a exposição da filha nas redes sociais e teme tê-la perdido definitivamente;
Drea é mãe de Alyssa e usa a palavra ‘animosidade’ para definir a relação das duas, de parte a parte. Alyssa tem cinco filhos e Drea ficou com a guarda da primeira neta, nascida quando Alyssa tinha 15 anos. A disputa jurídica pela guarda da criança ergueu uma barreira entre mãe e filha;
Tee Tee é filha de Sando, para quem o vínculo de mãe e filha é ‘inexistente’. Sando cresceu na África e teve uma infância difícil e, se por um lado não quer demonstrar fragilidade para a filha, do outro diz que não pode dar a Tee Tee aquilo que ela precisa, porque não teve referências. As duas moram na mesma casa, junto ao filho de Tee Tee;
Megan e Tanya são filha e mãe com dificuldade de levar as interações para além de uma rotina protocolar. Elas passam meses sem se ver e reconhecem o hábito de empurrar tudo para debaixo do tapete;
Filha de Candence, Leah conta que ambas passaram quatro anos sem se falar. As duas não se olham nos olhos, têm dificuldade de dividir o mesmo ambiente e até mesmo de participar da mesma conversa. Todas as interações entre Candence e Leah são atravessadas por uma intensa mágoa.
No primeiro episódio, Dra. Cynthia e Dra. Allycin reúnem as seis duplas e as convidam a falar abertamente, em frente às demais mulheres, sobre por que estão ali, por que aceitaram participar desse processo terapêutico coletivo e compartilhá-lo na série. As emoções aumentam à medida em que emergem segredos guardados há muito tempo, revelando conflitos com origens profundas e feridas que ainda doem.

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do O Universo da TV.

Postagem Anterior Próxima Postagem

Formulário de contato