''Posso dizer que esse filme é o presente de uma grande luta. São 7 anos de um trabalho bonito e muito duro'', Viola Davis é o destaque de Trace Trends

Divulgação

No Trace Trends desta semana, a apresentadora Xan Ravelli e Kenya Sade mostram a potência da presença de mulheres negras no entretenimento. A atriz e ganhadora do Oscar Viola Davis é a entrevistada do Trace Papo e fala sobre a inteligência e a força das mulheres negras africanas e guerreiras e do lançamento do longa "A Mulher Rei”, sucesso de bilheteria no Brasil e no mundo. O episódio vai ao ar excepcionalmente nesta quinta-feira  (10), às 23:20 no Multishow, e depois fica disponível na plataforma de streaming da Globoplay. 

O longa, que se baseia em fatos reais, retrata a história memorável das Agojie, uma unidade de guerreiras compostas apenas por mulheres do reino africano Daomé e marca um momento importante da carreira da atriz.   “Posso dizer que esse filme é o presente de uma grande luta. São 7 anos de um trabalho bonito e muito duro. Às vezes uma luta decepcionante, às vezes triunfante, uma luta por mérito, orçamento e por atores. Uma vez que o filme recebeu o sinal verde para ser produzido e foi dado o orçamento é uma luta para fazer esses personagens respirarem e viverem essa história”, afirma. 

Além de interpretar, Viola Davis assina a produção do filme e destaca em coletiva quais foram os maiores desafios de se entregar para narrar a história. “Eram 5 horas por dia, dieta, estar na África do Sul por 5 meses, filmar na selva, gravar as primeiras cenas de luta às 02:00 da manhã  e fazer tudo isso aos 56 anos de idade, aliás. Mas, é minha famosa frase que qualquer coisa que você puder sonhar mantenham afastado do medo”. 

Os atores Taís Araújo e Lázaro Ramos, comandaram a pré-estreia do filme no Rio de Janeiro e promoveram um encontro particular entre amigos da atriz norte-americana e artistas nacionais. “Eu acho sensacional esse resgate que a Viola fez no filme “A Mulher Rei", eu falei sobre isso para ela em entrevista, com base no discurso que ela fez no Oscar, e ela disse sobre resgatar essas histórias, temos muitas histórias que precisam ser contatadas ainda. [...]  “Foi lindo receber a Viola em casa com os nossos amigos e foi importante porque queríamos que ela se sentisse à vontade naquele ambiente, não era uma agenda de trabalho, tinha poucas pessoas e foi muito amoroso e afetuoso. É a segunda vez que encontro Viola e Julius e foi muito especial”, afirma Taís Araújo. 

A cantora Margareth Menezes falou ao Trace Trends sobre o impacto do filme e aponta que a trama se trata de uma reparação histórica no cinema. “Representatividade total em relação ao que a gente pode ver e descontruir o lugar da mulher negra e das histórias da submissão impostas por tanto tempo, principalmente por causa da escravidão, mas também pela continuidade desse processo de invisibilidade e enfraquecimento das mulheres retintas perante a sociedade. É a primeira vez que vemos uma produção tão integral da mulher negra com toda a sua potencialidade e toda a sua arquitetura de pensamentos”

Conectando com outras histórias de mulheres poderosas, ainda neste episódio conta com a participação de Samantha Almeida, head de diversidade, inovação e diretora de conteúdos da Globo, a médica e apresentadora Thelma Assis, a advogada e empresária Eliane Dias, a jornalista Flávia Oliveira, a cantora pop e transexual Jotta A e a baiana Duquesa.

Com apresentação de Alberto Pereira Jr, Xan Ravelli, Ad Júnior, João Luiz Pedrosa e Kenya Sade, o Trace Trends tem, a cada semana, um episódio inédito exibido todas às  quintas-feiras, no Multishow, e disponibilizado no Globoplay. 

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do O Universo da TV.

Postagem Anterior Próxima Postagem

Formulário de contato