Guignard: filme inédito investiga trajetória do pintor falecido há 60 anos

Divulgação Curta!

A vida e a obra do pintor e professor Alberto da Veiga Guignard é tema do filme inédito ''Guignard: Mundo Sem Chão'', que estreia com exclusividade no canal Curta! no ano em que se completam 60 anos de sua morte. Descrito pelo curador e historiador da arte Paulo Herkenhoff como o “mais importante de todos os artistas brasileiros”, Guignard teve uma trajetória envolta em polêmicas, “lendas” e fatos curiosos, muito bem explorados pelo documentário — que também se preocupa em deixar clara a sua relevância para a cultura brasileira.

Conhecido por transformar superfícies diversas em telas em potencial — como portas, janelas, dosséis de cama, violões etc. —, Guignard tinha o costume de dar suas obras de presente quase que aleatoriamente. Essa generosidade e a grande quantidade de trabalhos produzidos deram margem a inúmeras tentativas de falsificação, um grande obstáculo para a catalogação de sua obra. Esse vem sendo o desafio do colecionador Max Perlingeiro e da historiadora da arte Christina Penna — dois dos entrevistados do longa.

O diretor Marcos Guttmann coleta esses e outros relatos que vão dando pistas que ajudam a desvendar a trajetória de Guignard: o jornalista Marcelo Bortoloti, autor da biografia "Anjo Mutilado", fala sobre as histórias românticas e familiares do artista; o jornalista e crítico Frederico de Moraes, a ex-aluna Priscila Freire e a artista plástica Yara Tupinambá abordam reportagens polêmicas sobre Guignard e contam suas versões para os fatos narrados. Além do aspecto biográfico, especialistas fazem análises que exaltam a originalidade artística, entre eles Paulo Sérgio Duarte: “Guignard é um dos momentos mais elevados da História da Arte Moderna no Brasil e, no caso das paisagens, da História de Arte Moderna do Mundo. Quem pintou o mundo sem chão? Guignard”, diz Duarte.

“Guignard: Mundo Sem Chão” é uma produção da Guerrilha Filmes viabilizada pelo Curta! através do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA). Além da exibição na TV paga, o documentário também estará disponível em streaming através do Curta!On – Clube de Documentários, que pode ser acessado através da ClaroTV+ e do site CurtaOn.com.br. A estreia é na Terça das Artes, 6 de dezembro, às 23h.

Documentário “A Sede do Peixe” retrata momentos marcantes da carreira de Milton Nascimento

Era dezembro de 1997, no Rio de Janeiro. O cantor e compositor Milton Nascimento juntou amigos de uma vida e parceiros de música para o especial “A Sede do Peixe” — entre eles, Caetano Veloso, Alcione, os membros da banda Skank e Gilberto Gil.

Esses encontros resultaram em momentos inesquecíveis que marcaram a carreira de Milton. Tudo foi registrado pelas lentes dos diretores Lula Buarque de Hollanda e Carolina Jabor em um documentário que leva o mesmo nome do especial e acabou por se tornar uma verdadeira relíquia da cultura brasileira — sobretudo agora que Bituca se despediu dos palcos. A exibição é na Segunda da Música, 5 de dezembro, às 21h.

Segunda da Música (MPB, Jazz, Soul, R&B) – 5/12

21h – “A Sede do Peixe” (Documentário)

Em dezembro de 1997, no Rio de Janeiro, o cantor e compositor mineiro Milton Nascimento juntou amigos e parceiros de carreira no especial “A Sede do Peixe”. Participaram da produção os convidados Caetano Veloso, Alcione, os músicos da banda Skank, Nana Caymmi e Gilberto Gil. A obra é uma relíquia cultural, retratando momentos inesquecíveis, muitas vezes descontraídos, na carreira de um dos maiores ícones da MPB. Direção: Lula Buarque de Hollanda e Carolina Jabor. Duração: 55 min. Classificação: Livre. Horários Alternativos: 6 de dezembro, terça-feira, às 01h e às 15h; 7 de dezembro, quarta-feira, às 09h.

Terça das Artes (Visuais, Cênicas, Arquitetura e Design) – 6/12

23h – “Guignard: Mundo Sem Chão” (Documentário)

No ano em que se completam 60 anos da morte do pintor Alberto da Veiga Guignard, o diretor Marcos Guttmann reúne especialistas, colecionadores e ex-alunos do artista no documentário “Guignard: Mundo Sem Chão”, para descreverem a importância e atualidade de sua arte e os obstáculos que ele enfrentou na vida. Direção: Marcos Guttmann. Duração: 52 min. Classificação: Livre. Horários alternativos: 7 de dezembro, quarta-feira, às 03h e às 17h; 8 de dezembro, quinta-feira, às 11h; 10 de dezembro, sábado, às 16h30; 11 de dezembro, domingo, às 23h.

Quarta de Cinema (Filmes e Documentários de Metacinema) –7/12

21h – “Cineastas” (Série) - Episódio: “Lúcia Murat”

O cinema-guerrilha de Lúcia Murat — que realizou seus filmes sob inspiração de sua própria vida como militante — é analisado e comentado por sua filha Julia Murat, pelo crítico Pedro Butcher e pelos atores Irene Ravache, Caio Blat, Caco Ciocler e Marisa Orth. Diretor: Hermes Leal. Duração: 45min. Classificação: Livre. Horários alternativos: 8 de dezembro, quinta-feira, às 01h e 15h; 9 de dezembro, sexta-feira, às 9h; 10 de dezembro, sábado, às 11h.

Quinta do Pensamento (Literatura, Filosofia, Psicologia, Antropologia) – 8/12

22h20 – "Cacaso na Corda Bamba” (Documentário)

Filho de uma família rural, Antônio Carlos de Brito encontrou na poesia um sentido para a vida, transformando-se em Cacaso. O artista multifacetado mudou a poesia brasileira, sendo um dos precursores do movimento marginal. Diretores: José Joaquim Salles e Ph Souza. Duração: 88 min. Classificação: Livre. Horários alternativos: 09 de dezembro, sexta-feira, às 02h20 e às 16h20; 10 de dezembro, sábado, às 12h45; 11 de dezembro, domingo, às 21h25.

Sexta da Sociedade (História Política, Sociologia e Meio Ambiente) – 9/12

23h – “Depressão, uma epidemia mundial?” (Documentário)

O documentário investiga a natureza global e o potencial epidêmico da depressão, de um ponto de vista social, desafiando a noção individual que se tem deste fenômeno. O filme busca reunir visões originais e inovadoras sobre o assunto a partir de depoimentos de sociólogos, filósofos, assistentes sociais e neuropsiquiatras, a fim de analisar o contexto que estaria criando um terreno fértil para a depressão. Através de uma viagem ao redor do mundo, cria-se a possibilidade de uma reflexão global sobre as características próprias de nossa era. Direção: Michele Dominici. Duração: 52 min. Classificação: 10 anos. Horários alternativos: 10 de dezembro, sábado, às 03h; 11 de dezembro, domingo, às 15h; 12 de dezembro, segunda-feira, às 17h; 13 de dezembro, terça-feira, 11h.

Sábado, 10/12

20h – “Estados da Arte” (Série) – Episódio: “Oralidades/Sonoridades”

Para além do modernismo da Semana de 22 e do concretismo da década de 1950, os artistas em atividade no Norte e Nordeste do Brasil nunca deixaram de produzir uma arte potente que dialoga com o seu entorno e com o mundo. Esta série propõe uma releitura da arte brasileira a partir das singularidades produzidas nessas regiões. Neste episódio, são abordadas novas formas de narração: o repente deixa as ruas e praças e se instala no Youtube e nos podcasts. Para mostrar esse cenário, a série entrevista os artistas Almério, Isabela Moraes, Alcione Alves, Paulet Lindacelva, Tercio Araripe e José Lourenço Gonzaga. Classificação: Livre. Horários alternativos: 11 de dezembro, domingo, às 10h.

Domingo, 11/12

19h20 – “Batismo de Sangue” (Ficção) 

Baseado em fatos reais, o filme conta a participação de frades dominicanos na luta clandestina contra a ditadura militar no final dos anos 1960. Movidos por ideais cristãos, eles decidem apoiar a luta armada e são presos e torturados. Um deles, Frei Tito, é mandado para o exílio na França, onde, atormentado pelas imagens de seus carrascos, comete suicídio. O roteiro é uma adaptação do livro de Frei Betto, vencedor do prêmio Jabuti. Diretor: Helvécio Ratton. Duração: 110 min. Classificação: 14 anos. 

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do O Universo da TV.

Postagem Anterior Próxima Postagem

Formulário de contato